- Início

- Conteúdo

Em tempos de "Coronacrise", o Líder deve estar UNIDO com seu time

Coluna 1075

Compartilhe Este Post

Em tempos de "Coronacrise",  o Líder deve estar UNIDO com seu time, ter censo de URGÊNCIA e não perder suas características que são ÚNICAS

É interessante como mesmo líderes e empresários com anos de experiência, ainda ficam inseguros diante dos novos desafios que surgem em suas vidas. O novo sempre assusta, mas, pouco a pouco, vamos percebendo que aquilo que nos parecia insuperável, inconcebível e invencível, acaba sendo possível, adaptável e suportável, não é mesmo?

Muitos líderes e empresários foram pegos de surpresa com a nova crise: (COVID-19) e ficaram sem chão, sentindo-se desprotegidos, indecisos e preocupados. Muitos ainda estão em pânico. 

Infelizmente para muitos esta crise está sendo vista como o fim de seus sonhos, negócios e até mesmo de suas finanças...  E sendo bem realista, de fato, para diversas empresas e profissionais isso poderá se tornar realidade se não reagirem.

Isto me fez lembrar de uma história verídica sobre Paulo de Tarso (Apóstolo Paulo) em uma de suas viagens de navio repleta de diversidades, porém superada, acompanhe:

Pouco tempo depois, desencadeou-se da ilha um vento muito forte. O navio foi arrastado pela tempestade, sem poder resistir ao vento; assim, cessamos as manobras e ficamos à deriva. Foi com dificuldade que conseguimos recolher o barco salva-vidas.  Levantando-o, lançaram mão de todos os meios para reforçar o navio com cordas; e temendo que ele encalhasse nos bancos de areia de Sirte, baixaram as velas e deixaram o navio à deriva.  No dia seguinte, sendo violentamente castigados pela tempestade, começaram a lançar fora a carga. No terceiro dia, lançaram fora, com as próprias mãos, a armação do navio.  Não aparecendo nem sol nem estrelas por muitos dias, e continuando a abater-se sobre nós grande tempestade, “finalmente perdemos toda a esperança de salvamento”.

Nessa história, Paulo realmente enfrentou uma situação bastante complexa, porém, manteve a esperança diante deste acontecimento e ainda animou todos à sua volta dizendo: recomendo-lhes que tenham coragem, pois nenhum de vocês perderá a vida, eu creio em Deus. (Atos 27).

Trazendo para nossa realidade atual, em tempos de “Coronacrise”, não tem sido diferente. Nós estamos no meio de uma tempestade, mas começamos a perceber que é possível nos adaptar, sermos resilientes e nos reinventar, ressignificar as perdas e recomeçar mesmo estando ainda dentro do caos (como um navio à deriva), mas com esperança e fé de que seremos todos salvos, assim como o Apóstolo Paulo.

Há 1 ou 2 meses atrás, sequer imaginávamos chegar neste estágio de isolamento social, mas chegamos. Uns não tão bem assim, outros um pouco melhores, mas o fato é que continuamos aqui buscando novas opções criativas e mais flexíveis, fazendo mais com menos e revendo diversos valores (aprendendo a velejar conforme a maré).

Estamos aqui aprendendo novas maneiras de fazer o que fazíamos, acostumando-nos com a nova rotina profissional e enfrentando a transição.

Falando em transição, adaptação, e superação, este tempo de crise têm servido para mostrar as qualidades e competências de inúmeros líderes, o quanto eles se mostram unidos com seus times para colaborar, tem urgência em se adaptar e promover o crescimento da equipe, mesmo diante das incertezas, mesmo sem saber ao certo o que fazer ou esperar do amanhã. Eles são verdadeiramente únicos!

No filme “Divertida Mente”, disponível na Netflix®, podemos contemplar a inusitada história que se passa dentro da cabeça de uma garotinha, em que os sentimentos de raiva, medo, alegria, imaginação e tristeza vivem lado a lado enquanto ela lida com as dificuldades da vida.  E contrariando o falso Conceito de Felicidade vendido pela sociedade, mídia e redes sociais, o filme mostra que cada sentimento tem a sua importância na construção do ser humano.  Que viver feliz e alegre o tempo todo não é sinal de plenitude ou equilíbrio emocional, mas sim, saber lidar com as emoções consideradas negativas como: medo, angústia, raiva, nervosismo, sentimentos que devem ser vivenciados para a evolução e progresso humano.

O filme termina valorizando a tristeza, e mostrando que ainda que a sintamos, não significa que somos perdedores ou inferiores, mas sim humanos. Além disso, mostra que a tristeza pode ser a solução para diversos problemas, pois, por meio dela, podemos encontrar novas perspectivas de vida.

E por que eu trouxe esta analogia para o nosso contexto? Eu sei que, por vezes, parece que estamos sendo otimistas e positivos demais, afinal, “por trás dos bastidores” muitos líderes estão quase tendo um “colapso nervoso”, estão irritados e angustiados. Estão sem paciência, com insônia e até mesmo cogitando a ideia de parar ou dar um tempo nos negócios, tirar um ano sabático, enfim, desistir.

Quero te falar que eu também fico muitos dias sem ver a luz do sol (esperança) e que dúvidas e ansiedade me tomam a mente, porém gostaria de dizer-lhes que tais sentimentos são normais, compreensivos e dignos de respeito. Você pode se cansar e deve parar para descansar. Você pode sentir angústia, tristeza, tédio e raiva, mas não pode alimentar esses sentimentos e viver dessa forma para sempre.

Ao contrário do que muitos pensam, sentir tais emoções e cogitar a ideia de dar um tempo, não se trata de fraqueza, ainda que vá contra muitos conceitos motivacionais ditos no mercado. Nós não precisamos ser sorridentes e animados o tempo todo.

Se dê o direito de ter um momento seu para chorar, gritar, meditar e limpar sua mente para então começar a reagir.

Daniel Goleman disse: Quando eu digo controlar emoções, me refiro às emoções realmente estressantes e incapacitantes. Sentir as emoções é o que torna a nossa vida rica.

Desta forma, por mais que o Líder de A a Z seja Unido com seu time, aja de forma Urgente ao cuidar, auxiliar e liderar a equipe, como um ser Único, ele é livre para sentir medo, irritação, dor e preocupação, tais emoções não fazem dele menor. As emoções são o que torna a vida rica, real e linda.

Não importa se você pensou em desistir, parar ou dar um tempo. Se precisou escolher entre seus melhores colaboradores e demitir outros mesmo sem querer. Eu sei que doeu, tirou sua paz e machucou. Tudo bem. Em seu lugar, eu estaria do mesmo modo, arrasado.

Contudo, às vezes, seremos obrigados a cortar a corda que sustenta outras pessoas na montanha. O importante é que mesmo com pouca força, você continue, mesmo irritado lidere e mesmo com medo, avance.

Para que um profissional esteja apto para liderar um grupo de pessoas ou empresa, ele precisa antes de tudo, estar bem consigo mesmo. Portanto, permita-se sentir suas emoções e extravasá-las de maneira assertiva e por fim canalizá-las. Chore, grite, angustie-se, mas depois, levante-se e vá lá fora liderar sua equipe com garra, força e ousadia. Cuide de suas emoções e então seja o líder que sua equipe precisa.

O Líder dever ser:

#Unido: Do Latim unîtas, a palavra unidade permite fazer referências à propriedade de tudo aquilo que não pode ser dividido sem que a respectiva essência seja destruída ou alterada.

É uma ação coletiva orientada para um mesmo fim; coesão, qualidade do que é um ou único, por oposição de pluralidade; combinação de esforços e de pensamentos, união.

Trata-se de estar junto mesmo distante. Tem a ver com apoiar, ajudar e dar suporte numa mesma ideia, espírito e raciocínio. Muitas pessoas costumam dizer: “estamos unidos mesmo sem nos falar, ver ou tocar”, isso porque estão conectadas.

#Urgente: Trata-se de ser rápido em ajudar, responder e resolver. O líder deve ter esse senso de urgência em tudo. Não importa se o problema não é dele diretamente, se é pequeno ou grande, ele resolve hoje porque trata o tema como algo importante e age rapidamente sem procrastinar.

#Único: Sem outro igual, ou seja, cada ser humano é dotado de atributos muito específicos e isso não é diferente na vida do líder. Não existem líderes iguais e portanto não devemos compará-los. Cada qual possui o seu valor e para que possa render o máximo de seu potencial, deve ser colocado na posição correta, de acordo com os seus dons e talentos naturais.

Há líderes para empresas diferentes, momentos diferentes e para equipes diferentes. Que tipo de líder você é e em qual empresa, lugar, circunstância ou grupo você se encaixa melhor?

Lembre-se do seguinte: para que o líder desenvolva todas estas habilidades, ele precisa, antes de tudo, estar bem consigo mesmo. Portanto, reveja seus valores, seus sonhos e planos, cuide de suas emoções, respeite-as e então as canalize. Pois somente desta forma você será um verdadeiro Líder de A a Z, inabalável em momentos críticos.

Continue firme, estamos juntos nessa jornada!

Abraço

Por Marcelo Simonato, executivo, escritor, palestrante e especialista em Liderança e Gestão de Pessoas. É um dos colunistas do RH Pra Você. O conteúdo dessa coluna representa a opinião do colunista. Foto: Divulgação

www.marcelosimonato.com

Redes Sociais:  @MarceloSimonato.Oficial

Você também vai gostar