Ainda é possível reter talentos com tanta competitividade?

A era da experiência garante que sim. Reconhecer e reter talentos, premiar, bonificar, recompensar. As empresas buscam constantemente formas para manter bons colaboradores, uma vez que a concorrência está cada vez mais acirrada no mercado corporativo. Mas já com diversas ações comumente adotadas pelos gestores de RH, que vão desde presentear com eletrodomésticos a garantir cursos profissionalizantes, será que ainda é possível se destacar nesse universo?

Se você já ouviu falar na era da personalização e, principalmente, da experiência, já deve imaginar a resposta. O público interno sempre será tão ou até mais valioso que o público externo, para qualquer marca e segmento de atuação. E por que estamos na era de promover experiências incríveis aos nossos clientes, mas ainda não levamos isso também aos nossos colaboradores?

Felicidade = novas vivências

Uma pesquisa realizada em Nova York, Estados Unidos, pela Universidade de Cornell, identificou que pessoas que investem em novas vivências são mais felizes, isso porque nesse caso a felicidade aumenta conforme o tempo, ao contrário do que acontece com uma aquisição, por exemplo, que é momentânea.

Assim sendo, um colaborador é ainda mais feliz quando vive uma experiência, com pessoas que ama, do que quando realiza algum curso profissionalizante, ganha um presente específico ou até mesmo um dinheiro extra, que tendem a ter um efeito de curto prazo.

A pesquisa “O real impacto do talento”, feita em 2018 pelo Sebrae e a Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH), que analisou 1.927 corporações, identificou que o sucesso de uma empresa está diretamente ligado ao quanto ela investe em valorização, engajamento e desenvolvimento do seu time. Cerca de 70% das empresas com menor sucesso no mercado, que responderam ao estudo, não investem em ações que garantem mais felicidade ao colaborador.

Reconhecer e reter talentos

Ou seja, a melhor forma de se manter competitivo no mercado, reter e manter os talentos, é valorizá-los. E nada é tão valioso quanto a felicidade e o bem-estar, principalmente no meio corporativo e em tempos tão difíceis. Sendo assim, o momento agora é de investir em experiências! E não só aquelas que envolvam o time, mas que se estendam às pessoas que eles mais amam e mais enxergam valor em vivenciar bons momentos.

Chegou a hora de customizar, adaptar produtos também para o público interno, entendendo que a felicidade plena de cada um dos colaboradores está diretamente ligada ao bem-estar coletivo, a produtividade e ao bom desempenho da empresa perante o mercado. E para se destacar, reconhecer e reter talentos, é preciso fugir do comum e do básico, levando em consideração as experiências, de forma a entregar mais valor ao time.

Reconhecer e reter talentos
Por Bruno Carone, co-fundador do Férias & Co.