Na minha jornada para redefinir o conceito de trabalho, para mim e para os outros, uma coisa ficou muito clara: a parte mais importante do processo é o colaborador se entender como peça-chave da própria carreira. Gosto e uso muito a expressão “pegue o leme” porque define muito bem a analogia que, para mim, melhor representa a carreira das pessoas na base da pirâmide de trabalho: somos novatos e estamos no mar.

Se não pegarmos o leme e aprendermos a navegar, ou ficaremos à deriva, ou chegaremos ao destino por acaso. Mas, se assumirmos o comando e navegarmos, ganharemos experiência e chegaremos mais preparados para desafios ainda maiores.

Para “pegar o leme” da carreira é preciso, no entanto, saber o destino para onde se quer ir e também qual a melhor forma mais autêntica de você tomar comando do plano de ação. Em resumo, quem é você?

O primeiro passo é, então, a busca pelo autoconhecimento: ter clareza sobre você mesmo e suas características, conhecer seus pontos fortes e seus pontos a desenvolver, saber do que você gosta e do que não gosta. E, principalmente, conhecer os porquês de cada uma dessas coisas são a base para assumir o comando da sua carreira – e, consequentemente, da sua vida.

Para ajudar nessa tarefa de se conhecer, algumas estratégias aplicadas a marcas podem funcionar, como, por exemplo, descobrir como você se descreve, quais suas referências e onde mora a sua curiosidade. Outros pontos importantes para tomarmos consciência rumo a esse crescimento profissional são a imagem que projetamos aos outros, ou seja, nossa reputação (e se ela é o que realmente queremos mostrar), nossos valores, diferenciações e respeito à diversidade.

Quando descobri que essas ferramentas podem ser utilizadas para impulsionar carreiras, um mundo novo se abriu. Em “O Subordinado”, dedico todo um capítulo a essa jornada de conhecer a si mesmo e a mostrar como as ferramentas de criação e gestão de marca pessoal podem ajudar a assumir as rédeas da situação, desenvolvendo todos os pilares que listei acima.

Quando dominei essas ferramentas, passei a trabalhar sabendo que sou quem eu quero ser e que tenho ferramentas para que as pessoas me percebam como eu quero que o façam.

Todo esse discurso é bonito, porém a verdade é que esse processo exige de nós uma coisa complexa: mudança de comportamento. E essa é uma das tarefas mais difíceis. Por isso, defendo que a forma mais eficiente de sair da “aleatoriedade” na carreira, e começar a ser e agir de propósito e com estratégia, é ter objetivos claros.

Esses objetivos te motivarão a colocar em prática tudo o que você aprendeu nessa jornada e terão aplicações efetivas na sua vida – não deixarão a vontade de assumir o controle de sua carreira no plano das ideias, mas sim no da ação.

Ao trilhar esse processo de autoconhecimento, você vai descobrir quais são os seus valores, suas potencialidades, seus diferenciais em relação aos colegas da sua área e como você quer ser visto com base nesses atributos. Se aprendermos a fazer o que precisa ser feito, com paciência e adaptando o que for necessário, não há como as coisas darem errado. Pode até levar um tempo para atingir o objetivo, mas ele certamente será alcançado.

Como assumir o leme da própria carreira

 

Por Beatriz Machado, executiva de marketing e autora do livro “O Subordinado”.