- Início

- Conteúdo

Uma Consultoria Adequada Impacta No Desenvolvimento Organizacional

Produtividade

Compartilhe Este Post

Para empresas de todos os portes, lidar com a rotatividade de funcionários é um desafio, com impactos tanto na área financeira quanto no ambiente de trabalho. Uma rescisão pode custar o equivalente a um ano de trabalho do profissional, se levarmos em conta os gastos com custos trabalhistas e com o recrutamento, seleção e treinamento de um novo funcionário, além da possibilidade do ex-colaborador levar clientes ou capital intelectual.

E, também, temos a queda na produtividade e menor engajamento dos funcionários que permanecem na empresa, gerando altos custos com falhas e retrabalho.

Manter a equipe motivada, valorizando e incentivando os funcionários, investindo em ações de desenvolvimento humano e organizacional desenvolvidas sob medida para cada empresa, é a melhor estratégia para superar esses obstáculos e manter a competitividade e a sustentabilidade financeira do negócio.

Mas, para implantar um programa de desenvolvimento humano e organizacional, é preciso inicialmente conhecer e entender o ambiente e a dinâmica dentro da empresa, avaliando como se dão as relações entre as pessoas e entre os departamentos e onde estão os pontos de conflito ou falta de habilidades e competências individuais.

O diagnóstico inicial das necessidades da empresa e de seus clientes internos, identificando as lacunas, é que vai direcionar o planejamento das ações focadas na mudança, a partir do aprendizado, desenvolvimento de talentos e aquisição de competências em todos os níveis, desde os líderes até as equipes de trabalho.

Visão externa

Nossa experiência mostra que na maior parte das vezes quem está envolvido no dia a dia da empresa não consegue ter uma visão imparcial sobre os pontos fortes e pontos fracos de suas equipes, e muito menos enxergar oportunidades de melhoria tanto nos aspectos internos (do indivíduo) quanto externos (ambiente de trabalho).

Por isso, é importante contar com um “olhar diferente” de um profissional qualificado, que vai identificar as reais necessidades em relação ao desenvolvimento humano e organizacional, criando uma verdadeira cultura de aprendizagem e de colaboração, com abordagens lúdicas e interativas, sempre buscando superar as expectativas.

O objetivo é que a partir de treinamentos pontuais, que visam melhorar habilidades e competências voltadas à comunicação, gestão de conflitos, liderança e trabalho em equipe, entre outras, seja criada uma cultura de aprendizado contínuo, capaz de promover transformações e melhorias no curto, médio e longo prazos. E, com isso, atender a mais alta necessidade do ser humano, segundo Abraham Maslow – a realização pessoal.

O conceito da pirâmide de Maslow, criado na década de 1950 e válido até hoje, determina as condições necessárias para que um indivíduo alcance a satisfação, seja pessoal ou profissional. Segundo o psicólogo, são cinco as necessidades do ser humano, em ordem crescente: fisiológicas, de segurança, de amor e relacionamento, de autoestima e de realização pessoal.

Com o planejamento e o acompanhamento de ações voltadas para o desenvolvimento humano e organizacional, a empresa passa a contar com indivíduos mais preparados, engajados, alinhados aos objetivos do negócio e, no topo da pirâmide, realizados pessoalmente. O resultado? Mais produtividade, ideias inovadoras, maior colaboração, mais conhecimento... Enfim, resultados cada vez melhores. Invista no ativo mais importante da sua empresa: as pessoas.

Por José Goldfreind, Diretor da SETEC Consulting Group

Gostou desse post? Compartilhe!