- Início

- Conteúdo

Tempos de Crise?! Aproveite para criar, crescer e se reinventar!

Coluna 1316

Compartilhe Este Post

Tempos de crise e dificuldades podem representar grandes oportunidades para as pessoas e as empresas se reinventarem. No entanto, a pressão, a tensão e a ansiedade que em geral estão presentes nas crises aumentam o stress, o que pode comprometer a capacidade de pensar de forma clara, dificultar manter o foco e a concentração no trabalho, diminuir a capacidade adaptativa e, ainda pior, bloquear a capacidade criativa!

Parece paradoxal, mas momentos de crise são excelentes para que as empresas invistam nos líderes e nos funcionários como forma de ajudá-los a superar a tensão, os desafios e a desenvolver as competências necessárias para seguir adiante e vencer as barreiras existentes, facilitando assim contornar a própria crise.  O clima de apreensão, insegurança e desconfiança que pode se instalar em fases de crise econômica e política como esta que estamos vivendo há alguns anos no Brasil mina a capacidade das pessoas de acreditar na possibilidade de superação e em seus potenciais. Dar demasiado peso aos rumores de que “tudo que está mal ficará ainda pior” pode realmente conduzir as pessoas para este “lugar pior” ao desencadear verdadeiras bolas de neve a partir da descrença, desesperança e pessimismo que levam ao medo, ao desânimo, à baixa motivação e que, consequentemente, levam à menor capacidade de enfrentar as dificuldades e desafios. E aí sim, tudo piora!

É nas crises que se descobre aptidões, que se desenvolvem habilidades, que se encontra o impulso para o crescimento e o se reinventar. E se a ansiedade e as emoções não forem bem gerenciadas o stress pode atrapalhar fortemente, se tornando um vilão neste processo.

Minhas maiores e melhores ideias e projetos surgiram em fases de crise e de incertezas. Nestas fases tirei da gaveta projetos de trabalho esquecidos, coloquei em andamento projetos antigos e desenvolvi projetos novos. Nas crises mudei hábitos e minha rotina, passei a me cuidar melhor, iniciei uma atividade física, comecei a meditar. Mudanças que perduram até hoje, como resultado da decisão e da crença de que, para superar a crise, tenho que ser melhor do que já sou.

Dia a dia procuro manter a “memória das conquistas” acesa como forma de manter o ânimo e o meu otimismo em alta. Ser otimista não é negar a realidade, mas encarar as coisas pelo lado positivo e esperar um desfecho favorável, mesmo em situações difíceis. Pesquisas comprovam que os otimistas vivem mais e melhor, além de serem mais resilientes. Então não deixe o pessimismo pegar você.

Vida boa e longa para todos nós!