- Início

- Conteúdo

Seminário Aponta A Governança Corporativa Como Solução Para Questões Empresariais E Governamentais Do Brasil 

Compartilhe Este Post

Curitiba recebeu na última terça-feira (19), a quarta edição do Seminário de Finanças e Governança Corporativa, o mais importante da região. O evento, realizado em parceria pelo Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) e pelo Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças do Paraná (IBEF-PR), com apoio da Federação das Indústrias do Paraná (FIEP), trouxe temas relevantes para o atual cenário econômico e financeiro do país.

"Estamos vivendo uma era de profundas transformações em todos os segmentos de negócio e na sociedade. Esse ambiente em constante transição e altamente inovador impacta no cotidiano das organizações. As tecnologias disruptivas nos forçam a rever todos os produtos, serviços e processos dentro das empresas e um tema que sempre surge é o papel da liderança e da governança corporativa nesse contexto", cita o presidente do Conselho de Administração do IBGC, Ricardo Setubal.

"O atual cenário econômico e empresarial exige uma nossa reflexão. Entendemos que a construção de um ambiente seguro e consistente para os negócios, passa pelo desenvolvimento de modelos e boas práticas de governança", diz Claudio Lubascher, presidente do IBEF PR.

Assuntos relevantes e que orbitam em torno de discussões atuais como a nova economia, o cenário político e econômico, transformação digital, diversidade como diferencial competitivo e boas práticas de gestão foram abordados nos seis painéis que aconteceram durante todo o dia no Centro de Eventos da FIEP.

João Cox, presidente do Conselho da TIM, citou os desafios das empresas com conselhos "analógicos" na transformação digital presente na nova economia. "A evolução no mundo nos últimos anos tem sido muito acelerada e o desenvolvimento já não é linear. Estamos vivendo um momento de ruptura tecnológica com intensidade e enfrentamos um desafio nos conselhos de administração. Atualmente, além da diversidade de competências já existente, necessitamos de conselheiros que cresceram e foram formados na nova economia e habituados com as soluções digitais. Por isso, os conselhos terão que mudar para as empresas se adaptarem e se desenvolverem", comenta.

Paulo Rabello de Castro, ex-presidente do BNDES e premiado como o Economista do ano de 2018 pela Ordem dos Economistas do Brasil (OEB), analisou o cenário econômico e político brasileiro após os 100 primeiros dias da nova gestão federal. "Há um cansaço pela espera que temos durante décadas pelo aproveitamento do ponto de virada que aparentemente nunca chega. E a virada não acontece a qualquer momento ou é algo que possa ser induzido. Aproveitar a oportunidade é fundamental para o desenvolvimento, seja de países ou das empresas. Por exemplo, esses primeiros 100 dias de governo podem ser o início de um ponto de virada. Mas ainda é preciso aguardar para sabermos disso", menciona. "O país precisa mais do que apenas uma reforma previdenciária. Precisamos de uma reforma tributária e financeira para finalmente entrarmos em um novo momento de desenvolvimento econômico", completa.

Gostou desse post? Compartilhe!