- Início

- Conteúdo

Self communication

Coluna 276

Compartilhe Este Post

Nada como uma viagem fantástica, na qual você traz na bagagem não só as lembranças das emoções; dos locais; das diversões; do conhecimento de novas paragens; além de histórias que serão repetidas por muito tempo e para muitas pessoas; das experiências vividas; das aventuras e dos momentos mais significativos.

É a mesma sensação, ao final de um curso de comunicação que terminou agora, no qual tive a oportunidade de conduzir, acompanhando o envolvimento e a evolução dos participantes. Creio que o maior beneficiado nesta etapa é quem facilita esse processo de transformação pessoal, pois aprende um pouco com cada um.

Um dos pontos mais destacados nesse processo de crescimento pessoal é o resgate da autoestima, ou seja, o valor que cada um dá a si mesmo, observando aspectos positivos e, também, o quanto você se desvaloriza. Apresento algumas perguntas para você analisar e perceber melhor como está a sua autoestima:

  • Como está a sua vida?
  • Como estão seus sentimentos?
  • Você é ou está feliz?
  • Quais são suas principais características positivas?
  • Quais são seus pontos fracos?
  • O que você julga que precisa mudar para se sentir mais feliz?
  • O que não tem dado certo na sua vida?
  • Quais são os seus sonhos?
  • Você consegue realiza-los?
  • Você se alegra com as suas conquistas?
  • Você é uma pessoa grata?
  • Quando você fala com você mesmo, o que diz?
  • Você cuida do seu corpo? Faz algum exercício físico? Um check-up anual?
  • Programa horários específicos para dormir ou descansar?
  • Tem algum hobby para relaxar?
  • Seu trabalho lhe é prazeroso?
  • Faz algo em prol de alguém, alguma entidade, algum trabalho voluntário?
  • Tem sonhos e os realiza com frequência?
  • Quais são suas principais qualidades? Pense em 10, pelo menos.
  • Tem estudado e desenvolvido sua capacidade intelectual?
  • Se diverte com seus amigos? Vai a festas, jantares, almoços ou viagens?
  • Participa de algum grupo, entidade, associação? (Ex: Rotary, Lions, Maçonaria, Sindicatos, Associações, Clubes, Grupos de estudo).

Nos nossos treinamentos que tratam, principalmente, de transformações de pessoas é fundamental o autoconhecimento, ou seja, quando as pessoas falam de si mesmas. Há pessoas que falam mal ou sobre algum aspecto do corpo (nariz, boca, barriga, cabelos, postura etc) ou sobre seu jeito de ser (sem vida apático, feio, sem graça, desengonçado etc) e não reconhecem o ser extraordinário que existe do outro lado do espelho, tais como um corpo saudável; inteligência; a capacidade de ser criativo; de realizar o que deseja; de tomar decisões; de fazer escolhas; de ter a liberdade do livre arbítrio; de mudar de vida; de lugar; de país; de relacionamentos; casar ou ficar só; escolher alguém para ficar junto ou não, entre outra infindáveis possibilidades.

Creio ser a gratidão, um dos principais caminhos para se fortalecer a autoestima. Uma pessoa grata reconhece, valoriza, tem a humildade para saber dar valor a tudo o que tem e que recebe, mesmo as coisas mais simples.

Talvez seja, e creio nisso, que a inteligência emocional está intrinsecamente vinculada à autoestima. Quanto maior a consciência e o equilíbrio emocional, mais coerente, consistente e autovalorizada uma pessoa se sente, afinal é a síntese dessa inteligência de conhecer-se, valorizar-se, conhecer e reconhecer o outro, controlar suas emoções, ter relacionamentos francos e sinceros e, em especial, perceber-se com amorosidade, conhecendo seus limites e suas qualidades.

Parte dessa congruência para o reforço da autoestima, além do autoconhecimento, é valorizar as qualidades já existentes e também investir para neutralizar a negatividade de habilidades ainda não tão bem desenvolvidas. Nesse contexto, penso ser bastante apropriado você se dar conta de algumas dessas características, a exemplo dos estudos de Eneagrama, oriundos de Gurdjieff. O eneagrama classifica as pessoas em nove tipos diferentes, a partir das suas características positivas e negativas.

Claro que aqui é a síntese da síntese de um estudo muito profundo, mas serve de estímulo para quem se interessa no seu processo de autoconhecimento, autodesenvolvimento e, consequente, autoestima.

Os tipos são:

1 – Perfil Perfeccionista.

Características positivas: Determinados, Práticos, Responsáveis.

Características negativas: Hostis, Irritados, Teimosos.

2 – Perfil Prestativo.

Características positivas: Carismáticos, Dispostos Envolventes.

Características negativas: Apegados, Incriminadores, Prepotentes

3 – Perfil Bem Sucedido.

Características positivas: Flexíveis, Focados, Motivadores

Características negativas: Baixa Estima, Frenéticos, Manipuladores

4 – Perfil Romântico.

Características positivas: Criativos, Detalhistas, Sensíveis.

Características negativas: Críticos, Mordazes, Deprimidos, Trágicos.

5 – Perfil Observador.

Características positivas: Analíticos, Especialistas, Ponderados.

Características negativas: Calculistas, Distantes, Frios

6 – Perfil Questionador.

Características positivas: Consequentes, Gregários, Leais.

Características negativas: Apegados, Moralistas, Rígidos.

7 – Perfil Sonhador.

Características positivas: Bem-Humorados, Improvisadores, Otimistas.

Características negativas: Alienados, Fantasiosos, Utópicos.

8 – Perfil Confrontador.

Características positivas: Assertivos, Objetivos, Realizadores

Características negativas: Agressivos, Intolerantes, Vingativos.

9 – Perfil Preservacionista.

Características positivas: Calmos, Flexíveis, Mediadores.

Características negativas: Apáticos, Inseguros, Pouco senso de direção.

Não se pode, evidentemente, esperar um estímulo e as respostas serem iguais, pois estamos tratando de seres humanos, cada qual com suas crenças, seus valores, sua história, suas experiências ao longo da vida que foram formatando seus pensamentos, cristalizando suas crenças e definindo seus paradigmas. O ser humano não é uma pessoa lógica, muito pelo contrário, é emotivo, sentimental e totalmente suscetível ao tratamento que recebe.

Uma afirmação simples, mas poderosa é que tratamos as pessoas pela forma como as percebemos, da mesma forma que nos tratamos da forma como nos percebemos. Por esses motivos, sugiro que cada um tenha um espelho bem grande em sua casa, bem limpo, se possível cristalizado, para mostrar a totalidade e integralidade da pessoa extraordinária que você é.

Baixa ou alta autoestima é mais uma decisão e uma vontade do que depender de apreciação, aprovação e autorização de outras pessoas. Sobre a vontade, há um pensamento de Albert Einstein que diz: “Há uma força motriz mais poderosa que o vapor, a eletricidade e a energia atômica: a vontade”. Por isso, sugiro que você a utilize a favor da sua alta autoestima.

Por Reinaldo Passadori, Mentor, fundador e CEO da Passadori Comunicação, Liderança e Negociação. É um dos colunista do RH Pra Você. O conteúdo dessa coluna representa a opinião do colunista. Foto: Divulgação