- Início

- Conteúdo

Revisão da própria vida

Coluna 481

Compartilhe Este Post

Dia desses, semana passada, fiz um vídeo para o meu canal do Youtube, chamado “Comunicação é Tudo”. Normalmente titubeio diante de vários temas, procurando algo que seja atual, ao mesmo tempo intrigante e útil para quem irá vê-lo. O mesmo ocorre quando vou escrever um artigo, normalmente um tema mais bem elaborado, cujo objetivo é despertar interesse, propor uma reflexão, apontar um ou mais caminhos, entreter ou até, por que não, incentivar a alguma revisão de algum comportamento ou atitude até então adotada.

Escolhi escrever sobre revisão da própria vida, aproveitando o mundo de mudanças que vivemos, impulsionadas pela tecnologia, pandemia, novos eleitos como prefeitos e vereadores, incertezas sobre o novo normal. Aí está um bom tema!

E começo te convidando a fazer essa pequena viagem sobre você, perguntando:

  • Como está a sua vida agora?
  • E sua saúde, bem cuidada? Livrou-se do Coronavírus? Foi infectado e saiu dessa?
  • Tem feito aquele checkup anual?
  • Se homem, em novembro, no movimento “novembro azul”, fez o exame de próstata?
  • Se mulher, um pouco antes, cuidou de verificar sua mama?
  • Em relação à sua vida social, embora impedido pelo confinamento social, manteve, mesmo a distância, suas amizades e contatos? Mensagens via WhatsApp? Instagram? E-mails?
  • No trabalho, mudanças? Home office agora? Continua trabalhando? Alguma dificuldade com as novidades?
  • Na parte da grana, soube economizar? Seus investimentos, está cuidando com zelo? Sabe cuidar do seu dinheiro? Tem algum tipo de educação financeira?
  • Tem se atualizado, mesmo via web? Há muitas disponibilidades de cursos tradicionais, pós-graduação e tantos outros particulares que migraram de presenciais para ensino à distância, com ofertas pela própria estrutura oferecida. Aproveitou seu tempo disponível para se atualizar?
  • Sua vida espiritual, como está? Tem feito algo a respeito? Meditado? Participado de alguma religião? Feito algo em prol de alguém, alguma causa, alguma entidade assistencial? Destinado um pouco do seu tempo em prol do bem comum?

Nesse cenário de algumas variáveis, muito embora encontre pessoas que estão bem, no geral, isso significa mais bem do que mal nesses aspectos, tenho observado pessoas assustadas e perdidas, desiludidas e infelizes até, talvez diante das incertezas do porvir ou de saírem de suas zonas de conforto.

O convite é uma revisão mesmo, de valores, de conceitos, de paradigmas, de pensamentos, de crenças. A proposta é não ficar na superfície, mas olhar-se com amorosidade e verificar o que não se encaixa, o que está faltando ou o que está sobrando para uma readequação às novas circunstâncias e a nova realidade que se avizinha.

Tenho ouvido falar e tantas projeções sobre como será o novo normal. Há os otimistas e pessimistas, os futurologistas, os sonhadores, os céticos, os crentes, há de tudo um pouco, mas uma coisa é certa: O novo normal será do jeito que você quiser ou da forma que você o idealizar e se esforçar para ter.

Algumas sugestões para te apoiar nessa jornada que te oferece alternativas extraordinárias, iniciando com o prefixo “Re”, cujo significado é repetir, voltar a fazer, ter uma nova ótica sob o mesmo ponto de vista.

O convite é para Rever, Resgatar, Redimensionar e Reviver.

Rever – Seu significado é voltar a ver, fazer uma revisão com a intenção de melhorar. Mas o que rever? Que tal rever alguns conceitos diante de uma nova realidade que se evidencia à nossa frente, com as mudanças de todo tipo nas nossas cidades, nos nossos países, no mundo em geral, impulsionadas pelo avanço vertiginoso da tecnologia, pela pandemia que se espalhou pelo mundo, pela necessidade de não apenas sermos meros observadores, mas protagonistas da nossa própria história.

Rever conceitos é, acima de tudo, aprender, desaprender e reaprender sob o foco de uma nova dimensão, de uma nova frequência impulsionando o mundo, de um novo ritmo, em uma realidade na qual todos estão certos, embora ninguém tenha razão, pois cada qual tem uma percepção de mundo limitada aos seus conhecimentos, à sua experiência de vida, aos limites impostos pela educação recebida e pelas conclusões sobre o que é certo e o que é errado pelas experiências vividas, pelos pensamentos que se cristalizaram em crenças, formando os padrões e paradigmas. Rever tem a ver com adotar uma atitude flexível e abertura para novas e fascinantes possibilidades.

Resgatar – Sob essa égide, o resgate tem a ver com a recuperação da alegria de viver sob um novo sol, sugerindo-nos conseguir o que desejamos com esforço, com nossas escolhas conscientes, fazendo o sacrifício de abrir mão e libertarmo-nos das amarras de decisões tomadas prematuramente e sem sentido no contexto da vida atual. Resgatar o prazer de um novo sentido da própria vida e isso pressupõe a percepção nítida do momento presente, de que a vida acontece aqui e agora e a percebemos por meio das emoções sentidas e percebidas pela nossa consciência.

Redimensionar – Tem a ver com dar valor certo para cada atitude e respectiva ação diante desse novo cenário, no qual contribuímos para sua forja. Criamos a nossa realidade e ela pode estar inserida no mundo. Mais do que nunca, a oração da serenidade, atribuída a São Francisco de Assis se encaixa nesse raciocínio, que diz: “Senhor, dai-me serenidade para aceitar as coisa que não posso mudar, coragem para mudar aquilo que posso e sabedoria para diferenciar uma da outra”.

As circunstâncias desenham uma nova realidade nas atividades profissionais, nas carreiras, nos estudos, nos meios de transporte, nos novos conceitos sociais, no enfrentamento da corrupção que estava institucionalizada, nos riscos da proliferação das facções criminais, no fortalecimento das forças armadas, aumentando o poder dissuasório de eventuais ingerências internacionais e internas, na violência institucionalizada, no risco de uma segunda onda da pandemia, nos interesses eleitoreiros e manipulação da grande mídia, na incerteza da lisura nas eleições americanas e brasileiras, da exacerbação de poderes de ministros do Superior Tribunal Federal, na alta taxa de desemprego em torno de 14 milhões de  pessoas no final de 2020.

A grande questão é, com a esperança em alta e com os pés no chão, e tomarmos as melhores decisões para, mais do que sobrevivermos, vivermos em consonância com o que nos é importante.

Reviver – Lembrei-me de um antigo pensamento que diz “Nem só de pão vive o homem, vive também dos sonhos e dos pensamentos puros que trazem alento e alegria ao coração”.

Reviver significa voltar à vida, renascer, adquirir um novo vigor para o que der e vier. Alguns desistem, mas há aqueles que nunca desistem diante dos obstáculos, aliás agradecem as graças recebidas, por meio das pequenas conquistas e benesses conquistadas, mas também pelos obstáculos, pois eles fortalecem o espírito, tornam-nos fortes e resistentes, flexíveis e maleáveis, mas persistentes e firmes no nosso propósito.

Desejo, sinceramente, nessa passagem de ano, no início de um novo ano, que seu espírito se renove, que creia em um ser superior a quem possa agradecer pela oportunidade de escrever uma nova história para a sua vida, com base no que sabe, no que aprendeu no seu passado, revendo e ampliando sua aguçada percepção para ficar o maior tempo possível no seu momento presente e que o seu futuro espelhe esse novo posicionamento tomado nessa revisão e tomada de decisões para daqui para a frente na sua vida.

Reinaldo Passadori, Professor de Oratória e Escritor, Mentor, fundador e CEO da Passadori Comunicação, Liderança e Negociação. Adaptação do seu livro ‘Quem Não Comunica Não Lidera’ – Ed. Passadori. É um dos colunista do RH Pra Você. O conteúdo dessa coluna representa a opinião do colunista. Foto: Divulgação.

Você também vai gostar