- Início

- Conteúdo

Retorno Sobre O Investimento Ou Sobre O Engajamento?

Coluna 1142

Compartilhe Este Post

Mais do que nunca, fica claro que dinheiro não nasce em árvore, não é? Por isso, é importante direcionar os investimentos dentro uma empresa para ações que realmente trazem resultados.

E sabemos que o retorno sobre investimento (ROI – do inglês, Return On Investment) é uma das métricas mais importantes para qualquer negócio, pois mostra o que está sendo mais vantajoso para o negócio de acordo com o retorno gerado em comparação ao montante investido.

Mas, você leitor, já parou para pensar que o ROI é importante, porém o engajamento do colaborador é igualmente importante quando se trata de T&D? Sem um time realmente comprometido com os resultados da organização, a empresa fica patinando em um patamar em que não consegue aumentar a produção de acordo com a demanda do mercado.

O engajamento pode ser definido de diversas formas, mas talvez a mais significativa seja aquela que mostra a relação entre a identificação do colaborador com os valores e objetivos de um negócio. Quando isso acontece, o funcionário cria uma ligação afetiva com a empresa, o que o leva a empregar um alto índice de energia na realização de suas tarefas. Ela é seguida por entusiasmo, comprometimento e resiliência, levando a resultados expressivos.

O profissional engajado é aquele que se sente realizado no exercício de suas atividades. Suas atribuições são compatíveis com sua visão de propósito pessoal e, por isso, garantem um significado especial à sua vida. O resultado é produtividade acentuada devido ao empenho do profissional, que sente orgulho de trabalhar na empresa e encontra na organização uma visão alinhada aos seus princípios.

São muitos os resultados do engajamento de uma equipe. Os colaboradores produzem mais, encaram os desafios propostos para alcançar um patamar de excelência, disseminam uma imagem positiva da empresa diante do mercado, reveem procedimentos e estabelecem práticas que reduzem a ocorrência de erros. Com isso, a empresa reduz a necessidade de novas contratações e, consequentemente, os custos pelos altos níveis de produtividade; e mantém seus talentos na organização, já que, pela identificação e satisfação eles sentem uma necessidade menor de buscar outras oportunidades de carreira. Portanto, diminui o turnover.

O engajamento é a ferramenta necessária para reduzir custos, aumentar a produtividade, garantir a satisfação dos colaboradores e atingir novos padrões de excelência. Quando as empresas se preocupam em melhorar as competências, habilidades e bem-estar de seus colaboradores, elas ganham profissionais mais confiantes, autônomos e dispostos a dar o seu melhor pelos objetivos do negócio.

Assim, o treinamento e desenvolvimento funciona como um poderoso combustível de engajamento, despertando o potencial máximo dos talentos. Lembrando que os profissionais do século XXI não querem apenas um salário: eles querem um trabalho com propósito, uma cultura inspiradora e oportunidades para crescer.

As empresas que entenderem isso e acompanharem as mudanças estarão à frente na competição global por talentos!

Por Flora Alves, CLO da SG – Aprendizagem Corporativa, idealizadora do Trahentem® e uma das maiores especialistas de aprendizagem no Brasil. É  uma das colunistas do RH Pra Você. O conteúdo dessa coluna representa a opinião do colunista. Foto: Divulgação

Gostou desse post? Compartilhe!