- Início

- Conteúdo

Ressignificação De Empresas "extrapolando A Motivação E O Engajamento"

Coluna

Compartilhe Este Post

RESSIGNIFICAÇÃO DE EMPRESAS

“Extrapolando a motivação e o engajamento”

 

“Trabalhar com significado é o que permite ao homem exceder a sua própria motivação e engajamento.” 

Agir na ressignificação dos colaboradores para uma nova mentalidade cultural e social exige, sobretudo, destreza e coerência das organizações. 

Organizar a assimilação de uma nova cultura necessita não apenas de uma rotina organizacional concisa e confiável, mas de programas de comunicação e capacitação que orientem o colaborador ao atingimento do plano que se propõe cumprir. 

Planos de ação

Cabe à organização atuar, primordialmente, na elaboração de planos de ação que colaborem com a motivação e com o engajamento do colaborador em seu dia a dia. Que o ajude a focar seus esforços e energia, em performances planejadas e pactuadas por uma agenda de desenvolvimento simplificada e criativa.

Saber vender o projeto da empresa é o que irá definir a qualidade e o nível de engajamento dos colaboradores. Conseguir vincular o plano estratégico a uma boa comunicação faz-se essencial, mas não apenas isso. 

Programas corporativos

Não se trata apenas de lançar bons programas corporativos, mas de manter bons programas corporativos. 

De saber filtrar e eleger programas que sejam úteis à formação e ao desenvolvimento dos colaboradores. Que se mostrem verdadeiramente comprometidos com a simplificação das rotinas e com a mensuração dos resultados conquistados à partir do trabalho.

O ordenamento das informações e a distribuição da conquista em fases, é o que lastreará o vínculo do indivíduo com qualquer plano em sua integridade.

Presença institucional

Muito além de revelar o sonho, a organização precisa apontar o caminho e os desafios que guiarão a empresa rumo à conquista do destino projetado. Precisa saber orientar seus times aos planos vigentes e, sua presença institucional na vida do colaborador, torna-se indispensável.

Porém, como viabilizar uma agenda administrativa que suporte todas as estratégias comerciais, que garanta o completo cumprimento das políticas internas e que inspire os colaboradores a efetivar os objetivos propostos pela organização?

A premissa é a de que todo colaborador precisa estar “convicto” de que está vinculando a sua vida a uma empresa cuja missão o represente em seus ideais e necessidades. 

O que os colaboradores mais querem?

Compreender com clareza as suas responsabilidades e como seu sucesso será medido; Conhecer o plano de desenvolvimento profissional oferecido pela organização; Derivar um significado e um sentido de realização no trabalho; Ser parte da cultura da empresa; Construir sólidos relacionamentos com os colegas de trabalho.

Para tornar possível cada um desses anseios de forma a engajar a e comprometer seus colaboradores, conheça a seguir algumas iniciativas que poderão impulsionar os resultados da sua gestão.

ELEJA PRIORIDADES

Defina um bom plano de gestão

Estabeleça uma agenda de trabalho concisa e “conquistável”. Ajuste a comunicação institucional ao calendário da gestão, e priorize estar presente (presencialmente ou por meio de vídeos), em cada um dos eventos da companhia. Aja na ressignificação dos colaboradores para a cultura e para os objetivos comerciais de cada ciclo comercial. Motive e engaje individualmente cada coadjutor. Busque maneiras de inspirar o mérito em todos eles.

ATRIBUA VALOR À GESTÃO

Defina os indicadores da companhia

Todo colaborador precisa ter acesso a um panorama sobre a evolução das suas conquistas e sobre o progresso geral da companhia. Para isso, defina os índices da organização e comunique-se de forma programada. Estimule para que o colaborador não perca o foco do desenvolvimento individual e coletivo. Prove como todos são importantes para perpetuação da empresa no mercado e na sociedade. 

GAMIFICAÇÃO DA CONQUISTA

Diminua o impacto do trabalho

Aprenda a dividir os desafios em fases. Inspire-se num jogo de vídeo game. Por meio de um trabalho eficiente de BI, mapeie o mercado, identifique os novos entrantes e as estratégias empreendidas pelos seus concorrentes. Crie todas as oportunidades e as tendências do seu mercado. Antecipe-se a qualquer movimento dos seus competidores e esteja no controle de qualquer mudança. 

FACILITE A INOVAÇÃO

Saiba lastrear a criatividade 

Documente cada processo e reescreva-os periodicamente. Agindo assim, você verificará que a melhoria do sistema ocorrerá naturalmente. Crie programas de inovação e premie as melhores iniciativas. Sedimente formas de disseminar os desafios estratégicos da gestão e engaje os colaboradores a empreenderem soluções para cada um desses desafios. Foque em desafios que promovam economia e lucratividade para a empresa.

SAIBA EMOCIONAR AS PESSOAS

Amplifique as convicções pessoais

Não dá para fazer gestão sem saber emocionar as pessoas. Caso seus líderes não possuam o carisma ideal para motivar e engajar seus públicos internos, busque o apoio de um parceiro que saiba preparar as oportunidades de encontro, e a criar as emoções necessárias para que seus líderes possam assumir a partir daí. Não permita que haja dispersão por parte dos colaboradores. Simplificar a comunicação e saber dosar a quantidade de tudo permitirá que não haja descrédito pelas informações ou iniciativas. 

FAÇA FAZER SENTIDO

Motivação e engajamento

Não espane seus times de trabalho com informações que não agreguem diretamente à função ou ao resultado. Faça tudo fazer sentido ao invés de simplesmente propagandear a motivação e o engajamento. Torne possível que sentimentos e sensações guiem a comunicação e a distribuição de todas as informações. Organize uma agenda para a comunicação. Distribua os assuntos no tempo de forma organizada. Nunca confunda ou polua seus colaboradores com múltiplas mensagens. 

CONECTE-SE COM O COLABORADOR

Confirmação da cultura organizacional

Consolide um canal de comunicação com o colaborador. Mensure sua interação com os assuntos da companhia e premie o envolvimento de todos. Desenvolva e crie conteúdos que promovam reflexão e diálogo entre todos eles. Crie uma interface de notícias, de contribuições e de troca de mensagens. O engajamento digital dos colaboradores torna-se um dos desafios mais preciosos para a nova comunicação interna. 

NÃO OSTENTE NADA

Não gaste mais do que precisa

Privilegie a frequência e não o padrão dos seus eventos internos. Os colaboradores precisam ter a impressão de que todo gasto é justificado. Prefira estruturar a comunicação a ostentar eventos grandiosos e sem conquistas aparentes. Especulações são comuns sobre a empresa estar indo bem ou mal. Manter a neutralidade das ações garantirá que não haja qualquer tipo de pré-julgamento ou ruído interno.

NÃO ESPANA SEUS LÍDERES

Não confunda papéis

Atribuir à liderança a responsabilidade de multiplicar sozinha os programas da companhia, é assumir a incompetência da comunicação institucional da empresa. Líderes são colaboradores iguais aos outros e precisam ser impactados da mesma maneira pela organização.

REFORCE A CONVICÇÃO 

Conquiste o colaborador

Motivar e engajar colaboradores torna-se tarefa simples diante da necessidade de estabelecer um plano estratégico que os tornem convictos do trabalho que deverão cumprir. Organizar a comunicação a partir da percepção do colaborador é o que promoverá o equilíbrio necessário para que haja a união de todos. Saiba que a convicção está além da confiança e do respeito. Ela está associada a uma certeza que confunde-se com a própria fé.

DÊ VOZ AO COLABORADOR

Consideração e reciprocidade

Construa pontes de acesso entre o estratégico e o operacional, e crie oportunidades e caminhos para ouvir seus colaboradores. Ouvir o cliente interno é indispensável para que se conquiste a motivação e o engajamento que se busca alcançar. Saiba que seus comentários precisam ser considerados. Determine prazos para que os apontamentos e feedbacks sejam respondidos. Crie sistemas de pesquisa e empreenda em pesquisas periódicas para a avaliação da gestão. 

AGENDE A TRANSFORMAÇÃO

Cause um efeito de mudança

Defina uma agenda de eventos e de atitudes para que a transformação possa ser guiada e percebida. Não se faz cultura com propaganda, mas com um calendário sistêmico de atividades que promova e teste a transformação de forma consistente entre os seus públicos de interesse. Engaje seus colaboradores para um projeto de vida e simplifique o trabalho de todos na organização. Torne tangível a mudança. Mostre-a sem nenhum pudor e certifique-se de que todos estão comprometidos com os objetivos da organização.

COMUNIQUE-SE COM OBJETIVOS

Comunicação instrutiva

Comunicação vazia e sem propósito não moverá ninguém a lugar nenhum. O planejamento sensato das pautas somados à distribuição correta dos assuntos de interesse para os diferentes perfis de colaboradores, fazem-se necessários para que todos possam perceber as suas conquistas ao longo do caminho. Sua comunicação precisa encoraja-los a seguir adiante com seus sonhos pessoais e coletivos. Precisam oferecer a orientação necessária para que ninguém se distraia dos objetivos macros.

SUSTENTE TODOS OS SEUS PROGRAMAS

Perpetue a cultura da companhia

Revise seus programas corporativos e busque uma maneira de uni-los para uma maior abrangência e sedimentação da cultura e da atividade empresarial. Muito mais significativo do que lançar bem um programa é saber como sustenta-lo. Mantenha sempre acesa a chama que nutrirá e moverá seus colaboradores para os propósitos da companhia. 

FOMENTE O INTRAEMPREENDEDORISMO

Desenvolva empreendedores internos

Transforme seus colaboradores em empreendedores internos. Estimule a criação de comitês permanentes de inovação para assuntos e áreas específicas da sua empresa. Norteie seus programas de melhoria em desafios para a solução de problemas reais. Em estudos e discussões robustas e dirigidas às questões de interesse dos funcionários e da organização.

INTEGRE SEUS COLABORADORES

Ressignificação de colaboradores

Primeira iniciativa: Não confundir “orientação de colaboradores” com “integração de colaboradores”. 

A orientação incide sobre informar ao novo colaborador tudo o que ele precisa saber para começar o seu trabalho. Trata-se de uma introdução à estrutura organizacional, políticas e procedimentos. Isso é só uma peça do processo de integração.

A integração deve durar de 3 meses a um ano dependendo das responsabilidades do cargo e da quantidade de conhecimento organizacional necessários para que o colaborador desempenhe bem a sua função. O objetivo é alinhar os novos e os atuais colaboradores à cultura da empresa. Esteja centrado no reforço da ligação do colaborador com a organização e com os seu colegas.

INTERCÂMBIO DE COMPETÊNCIAS

Sinergia e desenvolvimento

Crie oportunidades para que seus times possam se encontrar e debater sobre as competências da companhia. Dessa forma eles desempenharão um papel importante na formação e no desenvolvimento de todos os demais. À partir das competências identificadas como indispensáveis pela empresa, estimule para que sejam os próprios colaboradores a atuar na facilitação e no aculturamento dos demais para cada uma delas. 

RECONHECIMENTO DO TRABALHO

Encoraje o protagonismo

Reconhecimentos são oportunidades genuínas para as empresas demonstrarem que estão atentas aos progressos e às conquistas individuais do colaborador. Reconhecimentos podem ser prêmios, homenagens ou uma simples menção. Ele serve para demonstrar as virtudes e o resultado geral do colaborador na linha do tempo da organização. Programas de veteranos, de voluntários, premiações comerciais, homenagens por tempo de casa ou por tempo de serviço sem acidentes, podem agir para estimular outros colaboradores a cumprirem com o mesmo empenho, foco e dedicação. Torne a família do colaborador, cúmplice de suas conquistas. Somente assim ele se sentirá integralmente reconhecido pela organização. 

Flávio Basset é diretor da Capacitarte e da Showz. É um dos colunistas do RH Pra Você.

Gostou desse post? Compartilhe!