- Início

- Conteúdo

Repare, Imperfeito.

Coluna 825

Compartilhe Este Post

Não sei se para você faz sentido, ou se já notou isso em algum momento. Mas, gostaria
de partilhar esta percepção, e quem sabe lhe instigar a uma reflexão, que se profunda,
pode ser transformadora.

Estou falando da correlação entre diferentes temas, diferentes assuntos, diferentes
pontos de vista. Quando olhamos com carinho, notamos que muito está conectado, isso
para não dizer que tudo está conectado, o que talvez pudesse parecer uma abordagem
um tanto quanto quântica, para quem gosta, claro!

Tenho notado que existe uma correlação entre diferentes autores exponenciais de nossa
época atual. O Mindset de Carol Dweck, o tema da vulnerabilidade de Brené Brown, as 5
Disfunções de Patrick Lencioni e os níveis neurológicos de Robert Dilts.

Essa correlação está na imperfeição. Como assim? Explico: O Mindset fixo evita encarar a
imperfeição de frente, pois ela coloca em cheque a capacidade percebida pela pessoa.

Dessa forma, quem carrega um mindset destes esconde-se atrás daquilo que de certa forma já tem certeza que consegue fazer, qualquer outra coisa cai nas desculpas, que em grande soma estão sempre no sistema, nas outras pessoas, no tempo. Isso me lembra um outro autor, T. Harv Eker, autor de “Segredos da Mente Milionária” em cuja obra aponta 17 regras para ser Milionário (ter este pensamento) e a primeira é justamente
“Não seja vitima”. Pois é, mindset fixo poderíamos dizer que é mindset pobre.

Contudo é nossa vulnerabilidade que nos faz capazes de evoluir e mais ainda, nos faz abrir espaço para que outras pessoas se conectem conosco e assim nossa diversidade permite que criemos um mosaico de possibilidades, além do indivíduo. Aqui se formam os times, as equipes que de fato funcionam, através de uma relação baseada na confiança em que cada um reconhece e aceita sua imperfeição e reconhece e aceita a
imperfeição do outro, abrindo caminho para um diálogo franco e assertivo, potencializando e otimizando a realização de projetos e a resolução de problemas e desafios.

Quanto aos níveis neurológicos cabe encerrar com a pergunta: Quem é você? Se alguém de mindset de crescimento, acreditará que o esforço é o meio para o crescer, valorizando as imperfeições como caminho para uma construção hábil de ações que alteram positivamente o ambiente em que se está.

Mas, se a reposta for “de Mindset Fixo” talvez comece duvidando deste texto e da conjunção entre estes autores. Quanto a isso, tudo bem, todos navegamos entre ambos os mindsets e temos diferentes
identidades, sem ser esquizofrênico.

Penso que vale a pergunta: O MindSet que você está usando para os objetivos que está perseguindo está lhe ajudando ou atrapalhando? As crenças e valores que carrega, estão lhe dando potência ou criando limites para percorrer esta estrada?

Por fim, independente da correlação sugerida aqui entre estes autores, que tal buscar um olhar mais atento para a sua vida em geral e perceber as correlações que existem nos temas mais diversos em que você navega? Como diria Saramago, outro grande autor: “Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara!”

Ah! Apenas como curiosidade, este autor, neste pensamento também se correlaciona a outros, como por exemplo Eckhart Tolle, o pai do “Poder do Agora” que nos incita a “Estar no presente.”

Repare! Cresça! Sucesso!

Por Tiago Petreca, diretor fundador e curador chefe da Kuratore - consultoria de educação corporativa. É um dos colunistas do RH Pra Você. Foto: Divulgação

O conteúdo dessa coluna representa a opinião do colunista.