- Início

- Conteúdo

Quanto Você Está Recebendo Para Adiar Seus Sonhos?

Coluna 1355

Compartilhe Este Post

Uma conversa aqui, um almoço ali e posts desabafo nas redes sociais. A minha percepção é: tem tantas pessoas cansadas. E, não é cansaço físico e talvez nem seja mental, mas é um cansaço vital.

Fiquei pensando em algumas hipóteses para isso e levantei as seguintes:

Hipótese 1: O trabalho ocupa mais espaço que a missão

Hipótese 2: Cumprir tabela está sendo mais demandado do que fazer algo incrível

Hipótese 3: O padrão de vida exige cada vez mais de mim e agora não dá pra arriscar

Hipótese 4: Preguiça de fazer diferente

Hipótese 5: É só uma fase. Logo vai passar (você vive nessa há anos sem perceber)

Hipótese 6: Eu, cansado? É só impressão sua!

Em uma cena do filme “Amor sem Escalas”, o personagem de George Clooney faz essa provocação de forma brilhante: "Quanto te pagaram para você desistir dos seus sonhos?" e completa "e quando você prometeu a si mesmo que ia parar?"

É como a historinha do sapo jogado na água fervente (que pula e se salva) e do sapo que morre cozido enquanto vai se acostumando com a temperatura da água.

Algumas pessoas só mudam quando um balde de água fervente ou gelada é jogada em suas cabeças ou quando as opções são restringidas por outras pessoas. Muitas ficam atordoadas pela surpresa da situação.

Tempos depois as mais fortes costumam agradecer por aquilo: "foi a grande virada'; "Foi o que me fez enxergar", "Se não fosse aquilo hoje eu não seria tão feliz" e por ai vai.

As pessoas mornas se ajustam a nova temperatura trocando calor e em pouco tempo voltando a sua zona de conforto (ou seria de desconforto acolhedora?). Outras congelam ou evaporam e amaldiçoam sua condição para sempre.

Meu conselho é sempre o mesmo: não espere que a vida decida por você. Se olhe no espelho e pergunte-se: aquele brilho no olhar ainda está aí? Aquela disposição para fazer acontecer ainda te inquieta? O sorriso se alarga diante de um novo desafio ou a sobrancelha franze?

Reconheça-se e posicione-se! Transborde seu melhor, a vida retribui!

Por Carolina Manciola, sócia diretora da Posiciona Educação & Desenvolvimento. É uma das colunistas do RH Pra Você.

Gostou desse post? Compartilhe!