- Início

- Conteúdo

Quais São As Hard E Soft Skills Mais Valorizadas Pelo Mercado De Trabalho?

Competências

Compartilhe Este Post

Cada vez mais se fala na substituição do trabalho das pessoas por máquinas. Nesse cenário, serão valorizados aqueles que são excelentes no que as máquinas não conseguem fazer. Por isso, as chamadas soft skills - habilidades subjetivas, de difícil identificação e diretamente relacionadas à interação com outras pessoas - vêm ganhando destaque.

Segundo Ilana Berenholc, consultora em Presença Executiva e Liderança e especialista em Personal Branding, há dois elementos que influenciam as soft skills mais valorizadas pelo mercado de trabalho atualmente. Primeiro, é o chamado mundo VUCA - Volátil, Incerto, Complexo e Ambíguo. O segundo é a inteligência artificial e a probabilidade de profissionais serem substituídos por robôs. “Dessa forma, pensamento crítico, agilidade, criatividade, flexibilidade, inteligência emocional e empatia são habilidades que todo profissional deve buscar desenvolver”, ressalta.

À medida que o mundo se torna cada vez mais digital, as hard skills -habilidades que podem ser ensinadas em uma capacitação, como fluência em um idioma ou domínio de uma ferramenta - mais valorizados têm a ver com o universo tecnológico, como, por exemplo, programação.

De acordo com uma pesquisa feita pela Harris Poll para o CareerBuilder, a grande maioria dos empregadores (77%) acredita que as Soft são tão importantes quanto as hard skills.

“Quando penso na gestão da marca pessoal, acredito que são as soft skills que mais diferenciam um profissional. hard skills podem ser aprendidas com mais facilidade, mas são habilidades como resolução de problemas, liderança, criatividade, habilidade de comunicação, etc. que distinguem um profissional”, afirma Ilana. “Além disso, desenvolver essas competências ajuda o profissional a se preparar para o futuro incerto que vivemos, mas que é inevitável”, completa. 

Já segundo outro levantamento, este da Capgemini Digital Transformations, em caráter global, revela que as soft skills são uma carência ainda enfrentada por 60% das organizações. O estudo mostra que as habilidades mais buscadas são: foco no cliente (65%); colaboração (64%); vontade de aprender (64%); e habilidade organizacional (61%).

Para a especialista em Gestão de Pessoas e Recrutamento e Seleção, Rosi Almeida, é fundamental que o profissional moderno saiba desenvolver o equilíbrio entre suas habilidades. “Pode ser equivocado nos apegarmos à máxima de que ‘antes só se falava em hard skills e agora as soft são importantes’. O caráter prioritário sempre foi moldado pelos cargos e pelo perfil empresarial, variando do operacional à gerência. Porém, hoje, é necessário que exista a combinação de habilidades. Um bom serviço técnico não compensa um atendimento ruim, assim como um profissional carismático e colaborativo pouco terá a oferecer se não desenvolver o básico de suas hard skills”, comenta.

Gostou desse post? Compartilhe!