- Início

- Conteúdo

Quais Áreas Profissionais Que Oferecem As Melhores – E As Piores – Noites De Sono

Qualidade de Vida

Compartilhe Este Post

Não é surpresa dizer que o trabalho impacta em nossas noites de sono. Quem nunca demorou para dormir pensando em alguma questão da empresa ou acordou mais cedo para começar o expediente antes do horário normal?  Isso sem contar as noites em claro por conta do excesso de trabalho levado da empresa para casa. Segundo a psicóloga Flávia Ferreira, dormir pouco por conta do trabalho não é um sinal de que o tempo de sono está sendo investido em produtividade, mas exatamente o caminho inverso.

“Quando você substitui o seu sono, diminuindo a sua qualidade e não dormindo o suficiente por dia, para lidar com trabalho, consequentemente, às vezes sem que haja uma percepção, o seu ritmo cai. Sua capacidade de concentração é afetada, o que interfere em sua criatividade, produtividade e capacidade para lidar de forma mais ágil e concisa com determinadas situações”, explica.

Em meio a este cenário, recentemente, o Center for Disease Control and Prevention (CDC) divulgou um estudo que revela em quais áreas os profissionais tem, em média, as melhores noites de sono e em quais dormir acaba sendo uma tarefa um pouco mais desafiadora. Segundo a entidade, uma noite de sono suficiente deve ser superior a sete horas. O órgão revela que 37% dos adultos não dormem o mínimo necessário, o que pode contribuir para graves problemas de saúde.

De acordo com o estudo, os grupos ocupacionais nos quais os trabalhadores conseguiram ter um descanso maior foram:

1º - Agricultura, pesca e sivicultura;

2º - Educação, treinamento e biblioteconomia;

3º - Serviços sociais e comunitários;

4º - Biologia, física e ciências sociais;

5º - Computação e matemática.

Já as áreas que não contribuem para um bom sono são as seguintes, segundo a análise:

1º - Produção;

2º - Suporte de saúde;

3º - Profissionais de saúde e técnicos;

4º - Preparação e serviço de alimentos;

5º - Serviços de proteção e segurança.

“Nas áreas é difícil alcançar as horas devidas de sono, o essencial é aproveitar o máximo do tempo livre para descansar. Pode ser desafiador, mas fundamental, pensando em saúde, acrescentar algumas horas a mais de sono à rotina. É sempre bom, também, fazer uma autorreflexão dos impactos que o sono está causando em seu dia a dia, pois essa ausência não deve se tornar um costume, algo ‘normal’. Cedo ou tarde haverá alguma consequência”, finaliza Flávia.

Gostou desse post? Compartilhe!