- Início

- Conteúdo

Por Que (E Como) Investir Em Profissionais Do Futuro?

Compartilhe Este Post

O rápido avanço tecnológico dos últimos anos é o responsável por transformar, entre tantas coisas, o perfil profissional exigido pelo mercado de trabalho. Neste cenário, a empresa brasileira de tecnologia e turismo MaxMilhas, investe em novos cargos e competências com o objetivo de fortalecer o potencial de inovação e o apelo competitivo. “Buscamos pessoas e capacitamos profissionais internos para exercerem posições que reúnam não apenas habilidades técnicas, mas também comportamentais. Além do conhecimento para a função, é preciso ter resiliência, facilidade de comunicação, bom relacionamento interpessoal e capacidade de adaptação e aprendizagem. Afinal, este novo mundo corporativo exige mais do que nunca um olhar voltado para a empresa como um todo a fim de alcançar um alinhamento absoluto com nosso propósito”, afirma Max Oliveira, CEO e cofundador da MaxMilhas.

Entre as posições do futuro que a startup já investe está o de analista de qualidade que tradicionalmente faz testes e aprova processos antes do início de algum projeto. Na MaxMilhas, esse colaborador precisa ir além dessas funções e analisar o negócio de maneira ampla a fim de zelar pela cultura corporativa. Outra novidade é o cientista de dados com a responsabilidade de fazer previsões com base em Big Data e por consequência ajudar as tomadas de decisões. Por fim, o especialista em growth hack que une tecnologia e marketing na busca por oportunidades de acelerar o crescimento das atividades empresariais. O arquiteto de squad que tem uma junção de competências também é um destaque no mercado de trabalho e na companhia.

De acordo com Luiza Rubio, head da área de Gente e Gestão da MaxMilhas, a primeira dica para ter profissionais tão específicos no time é olhar para dentro de casa: “Tem muita gente boa na própria empresa que deseja aprender demandas novas e que topa encarar desafios. Então, por que não desenvolver essas pessoas da equipe? É o que temos feito. Em um segundo momento, olhamos para o mercado e identificamos quem tem as habilidades que precisamos para evoluir o negócio”, explica.

A contratação de Luiza faz parte da ampliação e reestruturação do núcleo de Recursos Humanos da empresa que aconteceu no final do ano passado. Apenas no primeiro semestre de 2017, a MaxMilhas apresentou um crescimento de 300% no número de contratações e chegou a uma média de 140 funcionários em áreas como Engenharia, Atendimento e Operações, Finanças e Marketing. No processo, cargos foram criados ou repensados para somar habilidades e formar colaboradores polivalentes e diferenciados, sem esquecer a resiliência e a inteligência emocional: "O técnico é extremamente importante e é preciso manter equilíbrio com as atitudes e comportamentos", alerta a executiva.

Neste contexto, é importante ressaltar que o cenário tem sido extremamente positivo para o desenvolvimento de novas competências e talentos. “O profissional do futuro é aquele que vai além da posição, que procura o novo e tem o interesse em entender porque determinada solução funciona ou não. Portanto, é fundamental que os colaboradores se sintam protagonistas do negócio e tenham liberdade para questionar processos e romper barreiras. A disposição do nosso escritório facilita isso, com toda a equipe no mesmo andar e sem paredes separando as áreas. Hoje precisamos de pessoas que conheçam um pouco de Gestão, Marketing, Tecnologia e Processos. Assim entendem a real necessidade do cliente e tornam o negócio mais assertivo", finaliza Luiza.

Gostou desse post? Compartilhe!