- Início

- Conteúdo

Pesquisa revela sexismo enfrentado pelas mulheres dentro das empresas

Pesquisas 227

Compartilhe Este Post

Sob a “obrigação social” de estar sempre sorridente e exalando paciência, quase toda mulher, em um momento de estresse ou irritação, já foi questionada com a seguinte pergunta: “Você está de TPM?”. E se a inconveniente indagação já é incômoda quando feita dentro de casa ou no círculo de amigos, imagine quando o cenário é o ambiente de trabalho.

Segundo pesquisa da Catho realizada com mais de 7 mil respondentes, 43% das profissionais brasileiras já precisaram bater de frente com o “Tá de TPM, é?”. Isso sem contar as famosas frases e questões que envolvem o marido, o filho, mas não a competência da mulher.

De acordo com Tábitha Laurino, gerente sênior da Catho, o levantamento só reforça o quanto vieses inconscientes, estereótipos e preconceitos ainda fazem parte da rotina de muitas mulheres no universo corporativo. A executiva pontua que frases e perguntas com caráter sexista deslegitimam as diversas potencialidades da mulher.

“Em muitos casos, profissionais em cargos de gestão, por exemplo, quando se posicionam com firmeza ou são enfáticas no exercer de suas funções, precisam administrar esses comentários. É como se ser ‘firme’ soasse como ‘estresse’, logo, associado à TPM. Por outro lado, um homem com o mesmo posicionamento é visto como ‘obstinado’ ou ‘líder’, comenta.

O machismo em questões  

Assim como a TPM, família sempre é um tema explorado por gestores e profissionais sexistas para abordar profissionais mulheres. Na lista de questionamentos mais comuns, a sensibilidade também vira argumento. Confira abaixo as perguntas mais feitas ao sexo feminino no ambiente profissional:

Ruim para quem já está no mercado, péssimo para quem busca recolocação

Os desafios enfrentados pelas mulheres no trabalho não se resumem ao dia a dia nas empresas. O processo seletivo, em muitos casos, já dá a entender o que está reservado para a profissional que será contratada.

No momento em que as competências e qualificações deveriam ser o tema da conversa, as candidatas devem estar preparadas para perguntas pessoais que envolvam filhos, casamento e uma potencial vida de dona de casa.

Segundo a Catho, estas são as frases que as mulheres mais ouvem nas entrevistas de emprego:

"A grande dificuldade enfrentada pelo mercado de trabalho atual é compreender que ser mãe permite que uma mulher continue sendo uma excelente profissional. Logo, esse não deveria ser um critério de avaliação durante um processo seletivo ou uma entrevista de emprego", finaliza Tábitha.

Você também vai gostar