- Início

- Conteúdo

O Segredo De Quem Sabe Se Vender

Coluna

Compartilhe Este Post

Eu odiava vender. Ao meu ver, o vendedor é aquele cara chato que fica te enchendo o saco para comprar algo que você não quer ou não precisa. Mas, meu primeiro emprego foi de vendedora de shopping. Eu gostei do trabalho, porém não de vender.

Uma vez entrou na loja uma moça acompanhada com o noivo porque eles iam casar e ela queria comprar uma saia que na época custava uns 70 reais (há 18 anos atrás). A marca que eu trabalhava era para as mocinhas endinheiradas, contudo, no primeiro piso do shopping (Eldorado) tinha uma mais popular e que tinha roupas muitas vezes iguais às da loja que eu trabalhava. Pois bem, a moça olhava angustiada para a saia e para o noivo. Ela experimentou, vimos de fazer os ajustes no corpo dela só que ela não tinha dinheiro para pagar. Muito sem graça, ela agradeceu e foi embora chateada. Saí à francesa da loja e fui atrás do casal para indicar a loja do primeiro piso. Ela nem acreditou que eu estava fazendo aquilo de dizer que a mesma saia que ela gostou tinha na outra loja em conta. Ela me agradeceu e ainda com os olhos lacrimejando os dois foram embora. 

Eu nunca esqueci este episódio por dois motivos: naquela hora, achei que estava fazendo o certo. Mas, estava errado. Porém, eu não gostava de vender. Não me importava se vendia muito ou pouco, se ia ganhar comissão ou não. No entanto, a psicóloga aqui que vos escreve só queria nessa vida ajudar as pessoas a serem mais felizes e o meu coração ficou aliviado por ter tido essa atitude.

E então, muitos anos depois, quando me vi desempregada, comecei a perceber que eu tinha que me vender profissionalmente para alguém desejar me contratar. Comecei a ir atrás de informações sobre vendas e um dos ensinamentos que eu nunca mais esqueci e que depois de compreendê-lo fez eu me apaixonar por vendas foi: “Se você acredita que os seus serviços vão ajudar a mudar a vida de alguém, você será o melhor vendedor do mundo!”.

Esta regra vale para todos. Se você se acha um (a) bom (boa) profissional, competente e preparado (a) passará uma imagem positiva durante as entrevistas. Dessa maneira, é essencial estar bem consigo mesmo (a) e seguro (a) que o mercado de trabalho precisa de um (a) colaborador como você (o que não significa ser arrogante, mas sim, autoconfiante).

Para finalizar, todos nós somos vendedores e temos que acreditar no nosso produto. Só assim seremos os melhores.

Por Isabela Cavalheiro, diretora e fundadora do Grupo Trhoca. A psicóloga é uma das colunistas do RH Pra Você.

Gostou desse post? Compartilhe!