- Início

- Conteúdo

O que esperar além da mudança?

Compartilhe Este Post

São notáveis as mudanças que a pandemia trouxe, reconfigurando todo o sistema e a dinâmica do ambiente de trabalho. Interessante também é a maneira como essa nova configuração foi aderida tão rapidamente pelos mais variados setores da economia, incluindo áreas tidas como mais conservadoras, como é o caso da construção civil. Apesar de já utilizarmos aplicativos como o WhatsApp e outras ferramentas de comunicação para manter contato com diferentes setores dentro de empresas, desde o início da pandemia aumentamos significativamente o uso dessas plataformas. 

De acordo com os dados da consultoria Kantar, o WhatsApp registrou um aumento de 76% apenas no primeiro mês da pandemia, em março. O número foi coletado a partir de dados de mais de 25 mil pessoas em mais de 30 mercados diferentes. Outros aplicativos como Facebook e Instagram também registraram um aumento de 40% no período estudado. O levantamento apontou também que o crescimento foi maior em países que, no momento do estudo, eram os mais impactados pela Covid-19. 

Ao contrário do que se esperava, a nova forma de trabalho trouxe resultados que fizeram até os mais críticos considerarem novamente a possibilidade de trabalhar mais diretamente com este e outros tipos de plataformas de comunicação. 

Na empresa que represento e em muitas outras, as equipes relataram uma melhora significativa na comunicação entre as áreas, o que de maneira geral facilita a comunicação em sua totalidade. 

Com a troca de mensagens instantâneas entre os departamentos, o tempo de resposta aos questionamentos diminuiu significativamente. Outro fator que contribuiu para uma qualidade de vida melhor das pessoas foi o tempo ganho em razão de não precisarem se deslocarem até o local de trabalho, evitando estresse com trânsito ou transporte público lotado. Não é à toa que muitos membros da nossa equipe notaram um aumento na produtividade e ganho de tempo para desempenhar atividades não relacionadas ao trabalho.

Segundo um estudo realizado pelo Global Evolving Workforce, 54% dos trabalhadores brasileiros consultados se consideraram mais produtivos em home office. Além disso, por trabalhar de casa, é possível adaptar e conciliar as rotinas do trabalho com as rotinas domésticas. 

O home office era algo incomum para algumas empresas, especialmente da área da construção civil, mas a ideia que parecia provisória veio para ficar e já faz parte de uma nova forma de trabalho. Mesmo tendo que ser adotado de forma inesperada, fez com que pudéssemos compreender o quanto ter a infraestrutura tecnológica necessária foi e continua sendo importante. 

Não há uma regra quanto ao tempo de adaptação de cada empresa agora que a pandemia já é algo que conseguimos compreender minimamente. A adoção do home office vai depender da realidade de cada empresa, do modelo de negócios e até mesmo da cultura empresarial frente a esta forma de trabalho. O importante é, antes de optar pelo trabalho remoto, considerar todas as variáveis e recursos necessários para esta prática. 

O grande ensinamento dessa nova era é sem dúvida reafirmar a capacidade de adaptação do ser humano. Demonstramos muitas vezes, que somos capazes de absorver uma mudança, mesmo que ela seja radical. 

O home office e o distanciamento imposto pela Covid-19 vieram para reforçar essas ideias. Claro que o contato e a necessidade que o ser humano tem de interagir e estar próximo do outro são fundamentais. Entretanto, percebemos que existem outras maneiras de criar esta proximidade. A distância não substitui o calor humano, o abraço, o aperto de mão, o olhar. Mas os tempos são outros e nós temos a capacidade de nos adaptar. 

Por Angela Cicote, gestora de Recursos Humanos na Kerakoll, empresa que desenvolve argamassas e rejuntes de maneira sustentável no Brasil

Você também vai gostar