- Início

- Conteúdo

O Poder Do Feedback

Coluna

Compartilhe Este Post

Conheço muitas pessoas que até hoje não entenderam a importância do feedback e principalmente a forma como o mesmo deve ser feito.

Há pessoas que simplesmente não conhecem o poder das palavras e a forma como podemos utilizar esse momento de forma positiva e transformadora.

Talvez, você já tenha ouvido falar que um feedback positivo (elogio) deve ser dado em público e que um feedback corretivo (bronca) deve ser dado em particular. 

Até certo ponto essa informação está correta, entretanto antes de torná-la 100% verdadeira, devemos levar em consideração de que existem pessoas que não se sentem bem, mesmo quando recebem elogios públicos, portanto antes de dar um feedback positivo de forma pública para alguém, certifique-se de que esta pessoa não ficará constrangida. O tiro pode sair pela culatra...

Do outro lado temos o feedback corretivo, o qual muitas vezes é confundido como algo negativo, o que definitivamente não é.

Este tipo de feedback deve ser dado de forma privada, especialmente se o mesmo dirige-se exclusivamente a uma pessoa e o intuito do interlocutor é de fato buscar uma correção, ou seja, ajudar quem está recebendo o feedback a melhorar.

Num processo de feedback, devemos nos lembrar dos pontos positivos alcançados até aquele momento e ressaltar as atitudes e comportamentos positivos adotados por quem está sendo avaliado (gerar confiança), só depois disso poderemos de forma muito honesta, transparente e educada expor os pontos que porventura necessitam de correção ou melhoria.

Para que o feedback seja melhor entendido e aceito, o uso de exemplos práticos é fundamental. Detalhe o fato e explique o que estava errado e precisa ser corrigido. Dependendo do que precisa ser corrigido, será necessário criar um plano de ação e pontos de medição.

O mais importante de todo esse processo é que o mesmo requer confiança reciproca, portanto o avaliado precisa acreditar no seu avaliador e seguir suas orientações, assim como o avaliador terá que confiar em que está avaliando e apostar suas fichas para se obter o resultado esperado.

Você pode estar imaginando: Não seria mais fácil trocar o colaborador e pronto?

Se perceber no texto acima, não estamos falando apenas de empregado-empregador, patrão-funcionário. O feedback pode e deve ser usado em qualquer relação, seja marido-esposa, pais-filhos, namorados, amigos, colegas de trabalho, etc.

Não podemos simplesmente trocar as pessoas sem ao menos tentarmos ajudá-las a melhorar e a corrigir suas ações.

Pense nisso: Você pode através de um feedback honesto e adequado ajudar uma pessoa a crescer (em todos os sentidos)

Até a próxima!

 

Por Marcelo Simonato, escritor, palestrante e mentor de Carreiras. É um dos colunistas do RH Pra Você. O conteúdo dessa coluna representa a opinião do colunista. Foto: Divulgação

Gostou desse post? Compartilhe!