- Início

- Conteúdo

O Poder da Amizade

Coluna 3677

Compartilhe Este Post

Eu sei que pode parecer “piegas” o que eu vou falar, mas quem tem amigo realmente não morre de fome.

Eu sempre me considerei uma pessoa cercada por muitas pessoas, mas tinha dificuldade de considerar essas pessoas amigos. Para mim um amigo teria que ter crescido comigo, teria que conhecer minha família, ter passado bons bocados e por aí vai. Demorou para cair a ficha que, na verdade, amigos não precisam ser eternos. Podem chegar sem avisar e fazer uma grande diferença na sua vida.

Quem conhece um pouco da minha história sabe que eu sou movida a desafios. Dos mais simples aos mais complexos, desde que eu não tenha que ficar estagnada em algum lugar seguro. Acontece que esta vida cansa. Tem hora que sua criatividade parece não rolar. E daí vem a grande sacada: Seus amigos podem te ajudar a continuar a caminhada. Somente o fato de você ter pessoas as quais pode pedir ajuda, já faz uma grande diferença na jornada. Mas, às vezes, as pessoas que você está acostumado a dividir desabafos não, necessariamente, serão as pessoas que você precisa para lhe ajudar na caminhada.

Um dia desses eu estava querendo algo meio maluco, queria estar junto dos maiores palestrantes do Brasil, para ter referências, modelos a seguir. Eu não queria simplesmente acompanha-los a distância, eu queria estar com eles. Pois bem: Primeira pergunta: Quem é a Tati? Segunda pergunta: Porque eles iriam querem estar comigo? Eu não tinha uma resposta positiva para nenhuma dessas perguntas.

Primeiro pedi ajuda a meus amigos conhecidos e ninguém sabia como me ajudar.

Como começamos então? Oras bolas, pelo começo! Telefone na mão, dedinho no teclado do computador e bora encontrar essas celebridades que tanto me inspiram!

Durante a caminhada da busca é legal porque você começa a perceber quem tem conexão com seus valores ou não. Ligação 1: Olá, meu nome é Tatiane Souza, sou de Bauru e gostaria de me encontrar com o “piiiiiiiiiiiiii” pois preciso muito da ajuda dele para construção de meu legado. Nesta hora a pessoa do outro lado da linha responde: “Quem é você mesmo?” O que deseja do senhor “piiiiiiiiiii”?” Eu sou Tatiane Souza....bla, bla, bla. “Ah entendi. Envia um email para [email protected] que o responsável irá lhe responder”. Ué nessa hora a ficha cai, mas a esperança não acaba. Vamos lá escrever o email (este em questão nunca foi respondido). Bora para próxima ligação.... idem... Bora para próxima ligação.... esse já passou quanto custaria a hora do senhor “piiiiiiiiiiiiiii”. Então pensei. Cara, hora de desistir. Mas antes, deixa eu tentar pela ultima vez. Vou lá: Olá meu nome é Tatiane Souza, sou de Bauru e gostaria de falar com o senhor Eduardo Shinyashiki. Do outro lado alguém responde: “Olá você é de Bauru? Que legal deve ser morar no interior né? Só um momento por favor....Tati, então o Edu está em trânsito para uma palestra, será que posso pegar seu contato e passar para ele te ligar o quanto antes?” Para tudo! Como assim? Ele vai me ligar? Sem cobrar nada? Sem me pedir um e-mail para o [email protected]?

Nesta hora você percebe quem são seus amigos. Não são pessoas que lhe conhecem, nem viveram anos com você. São pessoas que lhe respeitam sem achar que são melhores ou piores que você. São pessoas que possuem um desejo em atender sua necessidade sem querer nada em troca. Neste caso especifico meu amigo se chama Pedro Shinyashiki, um menino de ouro que irá para sempre morar em meu coração.

Porque estou contando essa história? Porque acabei de receber a ajuda de outro amigo que me conhece muito pouco, e a ajuda dele foi grandemente maior que dos meus amigos que me conhecem muito. E porque ele resolveu me ajudar? Por nada...simplesmente porque sentiu que queria fazê-lo!

Por essa e tantas, eu quero agradecer a Deus por colocar em minha história novos amigos todos os dias. Isso faz muito sentido pra mim.

E você? Como vem praticando sua amizade?

Por Tatiane Souza, presidente e sócia da Gente Mais Consultoria e Treinamentos. É uma das colunistas do RH Pra Você. O conteúdo dessa coluna representa a opinião do colunista. Foto: Divulgação.