- Início

- Conteúdo

O papel das empresas (e do RH) no combate ao novo Coronavírus

Compartilhe Este Post

Uma empresa de bebidas que se disponibilizou a produzir milhares de unidades de álcool em gel para doação. Uma montadora de automóveis que passará a produzir aparelhos de respiração artificial em sua fábrica. Nos últimos dias, em meio à pandemia do novo coronavírus, diversas companhias anunciaram medidas e mobilizaram recursos – financeiros e humanos – em prol do combate ao Covid-19.

De acordo com dados da Associação Brasileira dos Captadores de Recursos, até agora, já foram mais de R$ 763 milhões em arrecadação. A soma inclui somente doações em dinheiro, mas há repasse, também, de outros itens, a exemplo de organizações que estão focando sua produção de roupas para confecção de uniformes para médicos, colchões, máscaras, entre outros produtos.

Na visão de Mara Beckert, coordenadora do ISAE Escola de Negócio nos programas de Formação de Conselheiros e Lideranças da Cooperativa de Crédito, Agro e Saúde, o cenário de extrema complexidade, no qual vivemos atualmente, convida a sociedade e as organizações para uma atuação cooperativa e responsável.

“O stress gerado pela exigência de adaptação ao contexto da saúde pública, de paralização e reclusão em período indeterminado desafia as companhias na redefinição de metas e realocação de recursos. O que vale agora é garantir a sustentabilidade dos negócios pós crise e, para isso, será fundamental o comprometimento dos colaboradores em processo de parceria”, destaca.

E como o RH pode atuar junto a essas estratégias e práticas que as empresas vem adotando no cenário de pandemia? Segundo Mara, os próximos meses serão reveladores na condução de estratégias e, por isso, cabe a área de pessoas promover ações de incentivo e engajamento dos colaboradores/ parceiros, sensibilizando a alta direção para a fragilidade do momento que requer atenção especial às necessidades do público interno (colaboradores), para que sejam capazes de responder aos anseios e necessidades do público externo (clientes e sociedade).

O grande diferencial do futuro estará na capacidade das organizações assumirem o processo da própria evolução. Aqui, fica o alerta para a exigência de uma releitura das estruturas vigentes, no sentido de incentivar as experiências empáticas de negócios, como forma de traduzir produtos e serviços para a realidade que a cada dia se constrói”, pontua.

Veja abaixo algumas das ações de empresas no combate ao coronavírus:

Ambev: A cervejaria Ambev anunciou, em março, a produção de 500 mil unidades de álcool em gel para serem doados a hospitais públicos dos municípios de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. Cada hospital receberá 5.000 unidades do produto e a própria empresa será responsável pela entrega. A companhia vai usar as linhas de sua cervejaria em Piraí (RJ) para produzir etanol e garrafas onde serão envasadas 500 mil embalagens.

BTG Pactual: Doação de R$ 50 milhões para projetos de combate ao novo coronavírus. Os recursos serão destinados a quatro frentes: apoio a profissionais da saúde e compra de equipamentos e materiais para garantir atendimento à população; apoio a hospitais para aumento da capacidade de leitos; suporte à população mais vulnerável; fomento à testagem em grande escala.

Electrolux: Em conjunto com o Ministério da Saúde e da Prefeitura Municipal de São Paulo, iniciou a doação de produtos aos hospitais de campanha em construção no estádio do Pacaembu e no Centro de Exposições do Anhembi para o tratamento de casos da Covid-19. Foram mais de 400 refrigeradores doados, entre outros eletroportáteis, para suprir a demanda de novos 2000 leitos, que serão inaugurados em abril. 

Ford: A montadora produzirá 50 mil ventiladores em sua fábrica no estado de Michigan, nos Estados Unidos, nos próximos 100 dias. A iniciativa é um complemento ao programa da Ford e da GE Healthcare para aumentar a produção dos ventiladores existentes. Os ventiladores serão produzidos por 500 funcionários voluntários, que serão divididos em três turnos.

Fundación Mapfre: Doação de € 3 milhões, o equivalente a mais de R$ 16 milhões, para o enfrentamento da pandemia no Brasil. O valor terá como destino o apoio a iniciativas de autoridades governamentais e entidades de saúde, tanto de prevenção da disseminação do vírus quanto tratamento da infecção.

Grupo Boticário: Intensificou a produção e o envase de álcool em gel, álcool líquido 70% e sabonetes para doação a pessoas em vulnerabilidade social, governo e redes públicas de saúde da Bahia e Paraná e a seus colaboradores e familiares. Serão destinadas 216 toneladas de produtos no total. No início de março, em parceria com a prefeitura de Curitiba, a empresa também doou 1,7 tonelada em álcool-gel. Além disso, assumiu um compromisso com a FEMIPA (Federação das Santas Casas de Misericórdia e Hospitais Beneficentes do Estado do Paraná) para doar R$ 500 mil para apoio à compra de equipamentos hospitalares.

GTEX Brasil: Doação de nove toneladas de produtos para as prefeituras dos municípios de Guarulhos, Suzano e Itupeva (SP). Com isso, 43.932 itens, entre desinfetantes, multilimpadores com álcool da marca Urca, e sabões em pedra Urca e Ruth serão destinados às prefeituras das cidades.

Havaianas:  Se uniu aos coletivos de comunidades em cinco capitais do Brasil para, juntos, começarem o movimento #EmpatiaGeraEmpatia, que visa contribuir com pessoas em situação de vulnerabilidade social.  A ideia é construir uma Rede do Bem com a adesão de outras empresas ao movimento. A primeira a aderir é a Colgate-Palmolive, que doará mais de 100 mil unidades de sabonetes das suas marcas de cuidados pessoais, Protex e Palmolive. O movimento está dividido em duas grandes ações. A primeira delas é a entrega inicial de kits de itens básicos como produtos de higiene e limpeza doados pela Colgate e Havaianas para 100 mil famílias. A segunda é o fornecimento de equipamentos de áudio e vídeo para que o coletivo Papo Reto, liderado por Raul Santiago, um dos 20 líderes globais indicados pela ONU, continue divulgando informações importantes para a comunidade neste momento.

Instituto Hidrovias: Doação de R$ 3,4 milhões em equipamentos hospitalares para serem utilizados no município de Itaituba, no Pará. A doação irá equipar o novo Hospital Regional do Tapajós com 200 leitos hospitalares, sendo 160 camas hospitalares elétrica Prioma 500, 38 camas hospitalares elétrica Prioma 600 e 2 camas elétricas 9000x com balança, todas acompanhadas de colchão.

Leroy Merlin: Em parceria com o Movimento Brasil Contra o Vírus, disponibilizou seu Bricolab, espaço para confecção de artigos e promoção de cursos em sua loja da Marginal Tietê, para confecção de máscaras de proteção hospitalares produzidas a partir de suas impressoras 3D. A iniciativa busca abastecer as unidades de saúde públicas e privadas do Brasil.

Marisa: Após efetuar a doação de 15 mil camisetas brancas para profissionais da rede pública de saúde, por meio da Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo (SES/SP), a Marisa doou 12 mil peças de roupas para moradores de rua e idosos através da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH) do Rio de Janeiro. Além disso, atendeu à solicitação da CUFA (Central Única das Favelas), que tem feito um trabalho importante de conscientização e auxílio nas favelas, e doou 400 camisetas que serão usadas para identificar os agentes das comunidades. 

PepsiCo: A Fundação PepsiCo doará mais de 115 mil refeições ao Brasil, por meio de parceria com o Banco Mundial de Alimentos. A companhia também distribuirá 575 mil unidades de produtos próprios, como aveia, achocolatado, biscoitos e água de coco. Adicionalmente, apoiará cooperativas de reciclagem que já sentem os impactos da pandemia do COVID-19, antecipando investimentos realizados em programas de reciclagem dos quais faz parte, para subsidiar parte da renda dos cooperados.

Unilever: Soma R$ 3 milhões em doações de artigos de higiene e limpeza para apoio ao combate do Covid-19. São Paulo, Rio de Janeiro e Pernambuco receberam R$ 1 milhão cada, o que corresponde a aproximadamente dois milhões de unidades doadas no total. São itens como sabonetes, desinfetantes e sabão que serão destinados a comunidades em situações de vulnerabilidade social, hospitais e lares de idosos. A companhia anglo-holandesa anunciou globalmente que vai destinar mais de 100 milhões de euros, por meio da doação de sabão, desinfetante, água sanitária e alimentos, trabalhando em parceria com o Fórum Econômico Mundial em apoio às iniciativas de diversos países para a contenção do avanço da doença. Aos funcionários da Unilever no mundo, fica assegurado o pagamento por até três meses dos salários, caso seja necessário o afastamento de suas funções ou necessidade de interrupção das atividades por qualquer motivo.

Yamá Cosméticos: Produção de 5 toneladas de álcool em gel para distribuição gratuita aos hospitais e instituições da cidade de Cotia. A iniciativa mobilizou a fábrica da empresa que fica no mesmo município e destinará parte da produção para o time de colaboradores. 

Você também vai gostar