- Início

- Conteúdo

Nova Geração De Profissionais Prefere Startups A Multinacionais

Mercado de trabalho

Compartilhe Este Post

Chamados de ‘millennials’, os jovens profissionais atuam com uma nova dinâmica no mercado de trabalho. Criar raízes em uma empresa, trabalhar pensando prioritariamente na remuneração (deixando de lado o propósito) e aceitar vagas em organizações que não sejam tecnologicamente atualizadas e engajadas são práticas cada vez menos aderidas. Além disso, outros fatores como até mesmo a questão da vestimenta vêm passando por mudanças. “Eu jamais entraria em uma empresa que tenha dresscode”, afirma, por exemplo, Gabriel Andrade, de 22 anos, analista de comunicação do GetNinjas.

Assim como para o jovem analista, ambientes que ofereçam flexibilidade e plano de carreira saem na frente na retenção dos novos talentos. De acordo um estudo realizado pelo Trampos, site de emprego na área de criatividade do Brasil, 68% dos jovens entrevistados consideram a flexibilidade do horário e o desenvolvimento pessoal os pontos mais importantes no momento de aceitar oportunidades no mercado de trabalho. Por conta disso as startups, cujos modelos de negócios são marcados pela criatividade, inovação e pelo acompanhamento das tendências do mercado, se tornaram opções tão ou mais procuradas pelos millennials do que as imponentes, mas tradicionais multinacionais.

“De uma forma geral, vejo que há uma série de diferenças entre uma empresa convencional e uma startup, porque na nossa realidade é sempre colocado em pauta o nível de responsabilidade de cada um no business”, aponta Mellody Gesualdo, supervisora operacional da Singu, marketplace de beleza e bem-estar.

Outro estudo, este realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), aponta que a cada 10 pessoas entre 15 e 24 anos, sete saem do emprego, mais especificamente das multinacionais. O dado só reforça o quanto os jovens estão insatisfeitos com o modelo de trabalho seguido por essas empresas. A nova geração dispensa reuniões, vestimentas rigidamente formais, e horários controlados e definidos. “No GetNinjas, há o respeito por quem nós somos e nós temos a liberdade de sermos quem desejarmos”, pontua Gabriel.

Aprendemos sobre negócios, boas práticas, tendências de mercado e metodologias de sucesso. O modelo tradicional acaba te fazendo ser só mais um e fica estampado que você é descartável; já numa startup, os resultados que são gerados para a empresa ficam escancarados o tempo todo e o aprendizado é muito rápido", afirma Artur Mendes, implementador de projetos na Octadesk, especializada na gestão de relacionamento com clientes.

As startups contam com uma construção interna diferente, tornando possível que os colaboradores realizem as atividades diárias da forma que preferirem. "A importância do trabalho de cada funcionário é sempre levada em consideração de uma forma muito particular, assim, a empresa funciona como um todo", afirma Mellody.

Gostou desse post? Compartilhe!