- Início

- Conteúdo

Nada Como Uma Boa E Gostosa Prosa

Coluna

Compartilhe Este Post

Aliás, você tem proseado frequentemente? Uma vez, durante uma conversa, um amigo me disse: “nada como o pessoal do interior que, ao final da tarde, pegam suas cadeiras e se juntam com os vizinhos na calçada para prosear”. Com uma boa conversa, é possível se atualizar dos fatos, narrar os feitos do dia, falar bem ou mal de alguém, meter o pau no governo ou em algum político que aprontou uma daquelas. Essa é uma forma de se relacionar e se divertir, fora das redes sociais, ao vivo e a cores, cada qual com seu jeito.

Há até aqueles momentos de silêncio, ora porque faltou assunto ou, então, porque o ambiente está tão harmonioso que se torna uma prosa “silenciosa”, cada qual com seus pensamentos e suas elucubrações mentais. Daí a pouco um começa com um assunto ou faz uma pergunta e, novamente, mais prosa.

Já em um ambiente profissional, a prosa ganhou outros contornos e formas, sendo chamada por diversos nomes, como relacionamento, atendimento ao cliente, participação em reuniões, levantamento de briefing, entrevista de emprego ou para um veículo de comunicação e/ou feedback. A comunicação neste ambiente permite que colaboradores e gestores tratem de assuntos delicados, por meio de orientação, estímulo e instrução, em prol de resultados satisfatórios e aumento da produtividade.

Atualmente, o mundo, com suas mudanças na tecnologia, tem nos impulsionado cada vez mais para conversas via web, por meio de mensagens eletrônicas com os recursos comoWhatsApp, LinkedIn, E-mails, Twitter e vídeo conferências, reduzindo as oportunidades de contato, de olhar nos olhos, de trocar um abraço, desabafar, participar ativa e efetivamente da vida das outras pessoas, incluindo os relacionamentos profissionais, na frenética busca  da produtividade e melhores resultados.

Curiosamente, diante desse contexto, no cenário VUCA (Volátil, Incerto, Complexo e Ambíguo), há uma sinalização do retorno da humanização, do resgate do respeito, dos valores de reconhecimento e consideração, do amor ao próximo, do olhar nos olhos, do respeito à diversidade e do desenvolvimento das mulheres que estão, cada vez mais, assumindo postos de liderança.

As mudanças são inevitáveis, essas que vêm de fora para dentro, mas as principais estão sob a nossa vontade, sob o nosso desejo e podemos sim, não só preservar as boas relações, tratando as pessoas com gentileza e amorosidade, mas, também, exercitando os princípios básicos de uma boa prosa como falar e escutar, prestar atenção, entender o pensamento do outro, perguntar e estar presente de verdade.

Para ser um bom proseador é fundamental ter flexibilidade para aceitar o outro como ele é, com suas qualidades e defeitos, com virtudes e diferenças, respeitando o jeito e as características individuais. Destaco alguns tipos de pessoas que um proseador provavelmente vai encontrar no seu caminho:

Síndrome de Gabriela – É aquele tipo rígido, inflexível, que não muda de opinião. Este perfil é apegado as suas ideias, pouco criativo, fechado a inovações e ações fora da sua rotina.

Sabe tudo – É o tipo que se julga superior. Seus pensamentos são sempre os melhores, lhe faltando a virtude da humildade. Este perfil não é fácil de manter um contato, pois seu assunto preferido é falar sobre si mesmo.

Desconfiado – Para esse tipo, toda conversa tem uma segunda intenção. Este proseador se preocupa demais com a opinião das outras pessoas,  se mostrando frágil e dependente de apoio ou aceitação. Sob sua perspectiva, de modo geral, as pessoas enganam, difamam ou traem o tempo todo.

Exagerado – É o tipo que amplia e expressa tudo com uma intensidade superior ao normal. Exagera e dramatiza seus feitos, ficando até engraçado e divertido em prosas informais.

Sizudo – É aquela pessoa que está sempre de cara feia epouco sorriso. Raramente este indivíduo se abre para um papo reto, aberto e franco. Geralmente, este perfil assusta quem não o conhece, parecendo que não gosta de estar com outras pessoas, embora, por dentro, sinaliza ser uma pessoa carente de afeto e gota de estar diante de outras pessoas.

Assim, diante de diversos tipos, é melhor entender que cada um se expressa do seu jeito, tendo características e personalidade distintas, gerando um maior desafio ao proseador, de se adaptar a cada um. É importante que haja a compreensão de que por trás de uma pessoa com cara fechada, ansiosa ou tímida, provavelmente, há um ser humano extraordinário e que vale a pena, pelo menos, ter um dedinho de prosa.                                                                                                                                          

Sugiro que nunca perca esse espirito de prosear, de manter uma boa conversa, de fortalecer relacionamentos, de se mostrar transparente, com o coração aberto e puro para falar e, principalmente, para ouvir. Esse é um bom assunto para usar na sua próxima prosa com seus amigos.

Por Reinaldo Passadori, Mentor, fundador e CEO do Instituto Passadori. é um dos colunista do RH Pra Você. O conteúdo dessa coluna representa a opinião do colunista. Foto: Divulgação

Gostou desse post? Compartilhe!