- Início

- Conteúdo

Na Era Digital, Quem Não Se Conectar, Se Trumbica!

Coluna 1760

Compartilhe Este Post

Os avanços tecnológicos e a redução dos preços dos Notebooks aos Smart Fones, viabilizaram a interconexão de bilhões de pessoas ao redor do mundo neste início de século. Essa realidade está promovendo profundas modificações nos hábitos pessoais e, no cenário das atividades econômicas

Nenhuma empresa, não importa o tamanho ou o ramo de atividade, pode ficar de fora do mundo digital. As empresas que não se adaptarem à essa nova era, perderão competitividade.

Na produção, os robôs e a mecatrônica proliferam, no comércio, o que antes era feito pessoalmente, passou a ser feito por telefone, e-mails, Skype, WhatsApp, etc. com maior produtividade e menor custo!

Hoje, desde de tenra idade, todos operam com desenvoltura equipamentos de intercomunicação digital fixos ou móveis, trocam mensagens, e usam aplicativos de games, músicas e outras coisas mais, acessando e sendo acessados por informações e postagens de todo o tipo e objetivo.

As pessoas passam horas lendo e enviando mensagens e, as redes sociais superam as emissoras de Televisão na capacidade de formar opinião, promover produtos e marcas, lançar artistas, gêneros musicais, e tudo o mais que possa ser digitalizado.

Instituições públicas e privadas permitem acesso digital aos seus portais ou sites, para facilitar o atendimento dos usuários, sem sair de casa.

Acesso aos portais do INSS, Receita Federal, Poder Judiciário, Estados e Municípios permitem enviar declarações e documentos, agendar consultas, fazer solicitações e, obter respostas pela internet. Os eventuais créditos vão direto para as contas bancárias e, podem ser sacados em caixas automáticas

Os Bancos permitem acesso e operações de todos os tipos como transferências, pagamentos, aplicações, e tudo mais, através das caixas automáticas, dos celulares e note books. Você pode ser atendido por qualquer terminal ao redor do mundo e, suas transações são atualizadas em tempo real.

O papel moeda e os cheques estão superados pelos cartões de crédito e, pagar por esses meios já não é bem-vindo em muitas lojas, shoppings e, supermercados.

Grandes lojas virtuais ao redor do mundo estão ao alcance de todos, vendem de tudo e, entregam em casa. Os pagamentos são feitos através de cartões de crédito ou de débito em conta.

Grupos afins se unem através das redes, trocam informações, ideias, influenciam e são influenciados com um simples toque em seu mobile.

Os nascidos nos últimos vinte anos não imaginam a vida fora desse contexto e, logo assumirão o comando das atividades socioeconômicas mundiais.  Este é um mundo digital e. os que não se adaptarem, sairão de cena.

E, o RH?

Empresas atualizadas usam sistemas digitais para recrutar, selecionar, pagar e, gerir o desempenho de seus funcionários.

O recrutamento na era digital é feito através do portal de RH, que recepciona o cadastro de candidatos e, os classifica segundo a aderência ao conjunto de cargos da empresa. Isso também pode ser feito através de provedores de serviços especializados. Existem bons aplicativos e provedores no mercado, inclusive para captar candidatos.

A economia de tempo e dinheiro é enorme, nada a ver com os anúncios classificados do século passado!

Para isso, o RH deve possuir uma sólida política de Cargos e Salários, destacando as competências chaves e, projeção de carreira.

Os currículos cadastrados são classificados pelos critérios de avaliação definidos pelo RH e, havendo vaga, são encaminhados em ordem de aderência aos referidos critérios, permitindo agilidade e qualidade no processo de seleção. Logicamente, a decisão final ainda é presencial, mas muito menos desgastante.

Ressalte-se que isso também se aplica ao recrutamento de estagiários, com a mesma eficácia.

A gestão do pessoal não sofre solução de continuidade. Os admitidos e todos os funcionários a bordo são acompanhados através do Sistema de Planejamento e Avaliação de Desempenho também digitalizado e, segundo os critérios definidos no planejamento individual, são avaliados periodicamente.

Para ser completo, o Planejamento de Desempenho também pode incluir o programa de desenvolvimento pessoal – treinamento e progresso na carreira, facilitando o plano geral de T&D, de aquisição de competências e, de promoções ou resgates.

Os parâmetros utilizados para recrutamento e seleção de pessoal poderão ser validados por índices de sucesso ou fracasso dos admitidos e, se necessário, ajustados.

Os gestores recebem e homologam as avaliações emitidas pelo sistema e, estando de acordo, o próprio sistema emite a avaliação pessoal e, até orientação textual encaminhada ao funcionário avaliado através o sistema interno de comunicações gerenciais! 

Imaginação? Implantei um sistema similar para o grupo de vendedores de uma das filiais que geri, com muito sucesso.

Olha aí a Inteligência Artificial em função! Tudo é feito conforme critérios amplamente divulgados e aceitos previamente, aliviando a carga emocional dos gestores.

Se houver um ganho variável por desempenho, o cálculo também poderá ser realizado e, encaminhado ao sistema de pagamentos de forma automática.

As pesquisas salariais, uma carga extraordinária, mas importante para a aquisição e retenção dos talentos, também pode ser feita com um grupo de empresas selecionadas, de forma automática. O job matching e o tratamento estatístico dos dados informados são realizados através de Inteligência artificial, dando grande precisão, sem trabalho braçal!

Integrando os dados das pesquisas com o Plano de Cargos e Salários, será possível projetar correções, calcular impactos nos custos e, reduzir turnover por razões salariais.

 Quanto aos pagamentos, já é prática bastante comum terceirizar através de firmas especializadas nos complexos cálculos dos direitos trabalhistas. É muito seguro e, libera o RH para funções mais nobres, principalmente na participação do Planejamento Estratégico, para melhor dotar a empresa de planos de gestão de pessoas mais adequado. Praticamente para todas essas funções existem aplicativos e provedores disponíveis o mercado.

No futuro, nenhuma empresa de porte médio ou grande poderá deixar de ser digital, não só em RH, mas todas as funções administrativas, se quiser continuar existindo.

Por Vicente Graceffi, consultor em desenvolvimento pessoal e organizacional. É um dos colunistas do RH Pra Você. Foto: Divulgação. O conteúdo dessa coluna representa a opinião do colunista.

Gostou desse post? Compartilhe!