- Início

- Conteúdo

Mutant E Ong Criam Operação De Teletrabalho Na Periferia De São Paulo

DIVERSIDADE

Compartilhe Este Post

A Mutant, empresa B2B brasileira especializada em Customer Experience, mantém parte de seus colaboradores trabalhando em home office por acreditar que, ao retirar da equação as dificuldades de deslocamento encontradas por funcionários que moram longe da empresa, ambos os lados são beneficiados ao aderirem a essa tendência mundial do universo corporativo. 

Foi pensando nisso que a Mutant criou, em parceria com o Instituto Anchieta Grajaú, um novo posto de trabalho no extremo sul de São Paulo e contratou jovens adultos moradores do bairro de Grajaú para trabalharem como monitores de qualidade de atendimento, analisando ligações feitas e recebidas por empresas, uma das soluções oferecidas pela Mutant para aprimorar as interações nos pontos de contato entre marcas e seus respectivos clientes. 

A ideia surgiu de uma necessidade da própria ONG, que sentiu que havia uma lacuna não preenchida: jovens adultos não estavam sendo contemplados pelas diversas atividades oferecidas no Instituto, direcionadas a crianças de 2 a 17 anos usufruírem quando não estão na escola. Após concluírem os estudos, esses jovens ficavam ociosos e não conseguiam encontrar emprego, já que moram numa região muito afastada das principais áreas comerciais e financeiras da cidade. A solução foi levar o trabalho até eles.

A Mutant reformou e equipou um espaço cedido pela ONG, montando a infraestrutura necessária para os novos funcionários, que passaram por todo o processo de seleção: entrevistas com a área de RH, integração, treinamento e agora fazem parte do time Mutant. Os oito primeiros contratados começaram a trabalhar na última segunda-feira, 17 de dezembro, e a Mutant já estuda uma possível ampliação – a ideia é criar até 100 postos de trabalho. A iniciativa é a primeira do projeto “Joga Junto Mutant”, que busca criar ações para atender necessidades desatendidas.

Gostou desse post? Compartilhe!