A liderança consiste em influenciar pessoas, alinhando os seus objetivos e definindo ações para atingir resultados. Logo, a menos que o líder inspire confiança nas pessoas, as empresas terão maiores dificuldades em busca do que anseiam atingir. Como os líderes inspiram os colaboradores? Desenvolvendo a Confiança Inteligente.

O Brasil é muito conhecido pelo “jeitinho”, e estamos ainda enfrentando, provavelmente, a maior crise de corrupção de toda a história do país, em que vários líderes governamentais e empresariais estão envolvidos. Esse cenário pode afetar diretamente o julgamento das pessoas, criando um ambiente de desconfiança, principalmente, em relação ao papel de um líder. Para que uma pessoa em um cargo de liderança consiga obter os resultados esperados, terá que quebrar essa barreira, demonstrando para a equipe, por meio de atitudes positivas, que é digna de confiança.

O líder é o espelho da companhia. Assim, se ele não inspirar a confiança para os liderados, fornecedores e clientes, isso refletirá diretamente no resultado financeiro. Para comprovar isso, basta analisar os prejuízos relatados por empresas envolvidas em atos desonestos em todo o mundo. As altas multas não são o principal prejuízo com o qual essas empresas têm que arcar, mas sim a perda de confiança do consumidor, o que afeta o negócio em curto, médio e longo prazo.  Muitas empresas chegam a mudar o nome e a fazer campanhas institucionais para minimizar esses efeitos e retomar a confiança perdida.

A confiança só existe quando é possível determinar como a outra pessoa se comportará. Para isso, as pessoas levam em conta pequenas atitudes adotadas pelos líderes no dia a dia:

- Cumprir prazos: pessoas que não cumprem prazos não passam credibilidade e, pior, caem no descrédito. Caso surjam problemas, não espere para dizer no ato da entrega. Antecipe-se e reveja os prazos, mas sempre entregue até a data estipulada;

- Comunicar-se abertamente: mantenha as portas abertas para a sua equipe. Problemas sempre existirão e você tem que estar preparado para ajudar, apontar soluções e, principalmente, reconhecer os seus erros em muitas situações;

- Cumprir promessas: não prometa o que você não pode cumprir ou coisas que ainda não sabe se acontecerão. O mercado é dinâmico e projetos podem ser mudados. Por este motivo, só crie expectativas de coisas que você conseguirá realizar ou as pessoas não acreditarão em nada mais do que você prometer;

- Demonstrar empatia: a empatia envolve, além de colocar-se no lugar do outro, entender os motivos que a levaram agir de determinada forma. Para isso, é necessário desenvolver o autoconhecimento e, sobretudo, saber ouvir. Essa qualidade irá conectá-lo com o liderado e o ajudará a tomar decisões melhores;

- Respeitar as pessoas: todos cometem erros, inclusive você. Portanto, trate as pessoas de forma respeitosa e seja sempre honesto e transparente.

Além disso outros aspectos complementam os anteriores: estender a confiança, delegar, agir com consistência e acima de tudo, não perder a autenticidade.

Quando a confiança é conquistada, o líder consegue influenciar as pessoas de forma positiva e gera sinergias por meio do bom relacionamento interpessoal. E, com certeza, estando atento a estes aspectos conseguirá levar as pessoas à alta performance e a sua organização a resultados extraordinários.

Por Marcelo Pirani (capa), Jornalista e Sócio-Diretor da Cenarium Training & Coaching 

Evento

O jornalista Marcelo Pirani estará no 10º Fórum ABRH-SC, no dia 24 de outubro, no Clube Itamirim, em Itajaí, com a palestra “A liderança como fator impulsionador de construção de equipes e resultados consistentes”. O evento reúne os principais executivos de Recursos Humanos de Santa Catarina e, além do jornalista, terá a presença da diretora executiva da Accenture no Brasil, Sandra Gioffi, que falará sobre “O papel da cultura no crescimento organizacional” e do CFO da 99jobs, Hugo Kovac, que abordará o tema “Inovação e criatividade na liderança”. 

As inscrições podem ser feitas no site da ABRH-SC http://www.abrhsc.org.br/