- Início

- Conteúdo

Líder, lembre-se: você não está só

Coluna 301

Compartilhe Este Post

“Zoom politikón” é um conceito criado por Aristóteles, cujo significado literal da expressão é “animal político” ou “animal cívico”, referindo-se ao ser humano e o que o diferencia dos outros animais, por ter a capacidade de se relacionar politicamente, criar sociedades, organizar a vida em cidades e praticar a arte do convívio.

É disso que se trata essa matéria, cuja proposta é uma análise sobre sua capacidade de relacionar-se com o outro, no seu papel de liderança, mesmo que seja ser lider de si mesmo. No futuro, você poderá usar esse texto como lembrança de sua fase atual e aferir o seu progresso estimulado por essa sugestão de transformação pessoal e de tomada de consciência.

Nessa proposta, sugiro que faça (ou refaça) a sua autobiografia, repensando ou reescrevendo uma nova configuração de si mesmo. Por exemplo, suas habilidades atuais de relacionamento e comunicação com o outro.

A arte do convívio pressupõe a real intenção de interagir, de se relacionar e de usar seu poder de viver bem com as outras pessoas. Isso significa algum esforço da sua parte em focar a sua atenção mais na outra pessoa do que em si mesmo, em ouvir mais do que falar, em ser empático, em ter paciência, tolerância, em colocar em prática o amor ao próximo e aceitar o próximo do jeito que ele é, pensa e sente.

A prática desse proposta que lhe faço é simples e pode ser muito prazerosa, além de gerar algumas reflexões interessantes e um bom aprendizado sobre si mesmo.

Sugiro procurar um lugar calmo, na hora que decidir fazer esse exercício, além da leitura inicial para te colocar em contato com o assunto. Tenha um caderno ou o seu computador, se preferir, mas o mais importante é ter a intenção de rever seus procedimentos, reforçar o que já faz bem e melhorar aquilo que precisa ser melhorado.

Pode iniciar com o seu nome, desta forma: “Eu sou_______. Socialmente, eu me considero...... (poderá dizer, por exemplo: extrovertido, divertido, comunicativo, quieto, introspectivo, falante, bem ou mal-humorado etc.)  É fundamental ser sincero.

Depois, conte se acha que seus amigos e colegas têm essa mesma opinião sobre você. Por que? Escreva se tem muitos amigos, como mantém esses relacionamentos. Vocês se reúnem de vez em quando para um bate-papo? Ou se comunicam mais por meios digitais? Você acha que tem facilidade de manter um bom papo mesmo com alguém que conhece pouco? E, nas situações inesperadas, como você se sai? Se desejar, conte algum episódio social engraçado, para registrar na sua autobiografia, aquela chamada “enrascada” e como fez para sair da dela.

Agora,  escreva  como  você se relaciona em diferentes ambientes e situações. Sente alguma dificuldade em ambientes que não está acostumado a frequentar? Qual dificuldade? O que sente? Como se sai quando tem que falar em público?

Pense em como você é no dia a dia e escreva se costuma saudar as pessoas com as quais lida, independentemente do cargo ou posição – dizendo “bom dia” ou “boa tarde”. Costuma dizer “por favor” e “com licença” mesmo aos desconhecidos? Agradece ao ser atendido? Quando alguém lhe faz uma confidência, você é discreto e não comenta com os outros?

Pense bem antes de responder: você sabe se colocar no lugar de outra pessoa e sentir como ela está se sentindo? Tem dificuldade de dizer "não" a alguém que você gosta? Escreva como se sentiu ao precisar dizer uma verdade desagradável a uma pessoa. É importante você contar também como se sente quando alguém pede para decidir sobre algo, mesmo que seja algo simples.

Numa roda de amigos ou entre colegas de trabalho, quando você fala as pessoas prestam atenção? Você acha que se comunica bem? Por que? O que falta para você se comunicar melhor?

Sob o ponto de vista de poder pessoal, como se classifica? Você consegue envolver as pessoas quando fala? Você aceita as pessoas como elas são? Trata a todos da mesma forma?

Agora, pense um pouco na sua vida e lembre-se como se saiu diante de conflitos. Conte um caso que sirva de exemplo.

Você acha que sabe escutar com atenção e sem julgar o que os outros dizem a você? Como você lida com pessoas muito diferentes de você e da sua cultura? Sente dificuldade? Com quais tipos de pessoas, por exemplo? Continue escrevendo o que desejar, fique à vontade. Afinal, você está relatando mais um capítulo da sua trajetória profissional.

Um bom líder, nos conceitos contemporâneos, é o que dá exemplo, tem a sensibilidade, paciência e discernimento para conectar-se empaticamente com qualquer tipo de pessoa, sabe ouvir e calar, tem compaixão e amorosidade, respeito e bom senso. Aceita as pessoas como são e não do jeito gostaria que elas fossem.

Receberá elogios e reconhecimentos, não como um fim de sua intenção, mas como natural consequência de seu jeito de ser.

Por Reinaldo Passadori, Mentor, fundador e CEO da Passadori Comunicação, Liderança e Negociação. Adaptação do seu livro ‘Quem Não Comunica Não Lidera’ – Ed. Passadori. É um dos colunista do RH Pra Você. O conteúdo dessa coluna representa a opinião do colunista. Foto: Divulgação.

Você também vai gostar