- Início

- Conteúdo

Janeiro Branco - o mês em que a atenção se volta para a saúde mental do indivíduo

Compartilhe Este Post

Saúde mental nas empresas ainda é tema em debate e repleto de estigma. No mês dedicado ao tema, intitulado de Janeiro Branco, a nossa jornalista Gabriela Ferigato traz o Ebook: "É preciso falar sobre a saúde mental no ambiente de trabalho" com panorâma completo sobre o que é e como as empresas vem tratando o tema no seu dia a dia. 

Aproveitando o assunto, recebi também hoje o artigo do psiquiatra Thiago Guedes e da psicóloga Joyce Pontes, do Hapvida, sobre sugestões fundamentais para encarar a situação. De acordo com o psiquiatra Thiago Pontes, a autoavaliação é necessária para se observar o grau de prioridades que se dá aos afazeres do dia a dia. "Algumas perguntas precisam ser respondidas como: será que é necessária tanta urgência em resolver ou responder algo? Caso não responda agora, quais as consequências? Isso irá me afetar tanto assim? Sabendo responder essas perguntas, faremos uma escala de prioridades, o que facilita o nosso dia a dia", observa.

O médico destacou ainda que é importante perceber que nem tudo depende de apenas um indivíduo e que não se pode controlar o mundo. "Saber dos limites e aceitá-los é uma outra forma de prevenir o descontrole emocional. Ter momentos de lazer é fundamental para ter um equilíbrio emocional, ter tempo para fazer o que gosta, estar perto das pessoas que te fazem se sentir bem é fundamental para manter a mente saudável", explica Thiago.

Já a psicóloga Joyce Pontes, alertou que a saúde física para estar em pleno funcionamento depende totalmente da saúde mental, e quando a mente não anda bem o organismo pode acabar somatizando e externalizando em forma de doenças.

"Na falta de saúde mental, qualquer resposta negativa sobre algo desejado pode se tornar uma frustração, pensamentos e emoções mal elaborados, além de comportamentos inadequados. Por estes e outros fatores é necessário cuidarmos da nossa saúde mental, e para isso é essencial buscarmos nossa autoaceitação, o autoconhecimento das nossas emoções. Aprender a dizer não às pessoas e situações que não nos fazem bem, sair da nossa zona de conforto, ser gentil com você mesmo e com os demais", diz.

Também é importante, segundo a psicóloga, dormir e se alimentar bem, manter boas amizades, compreender os erros e incentivar-se sempre a buscar melhorar como pessoa, investir no lazer, e procurar uma ajuda profissional. "Tudo isso além de melhorar a autoestima, acaba influenciando a saúde em geral", garante ela.