- Início

- Conteúdo

Governo propõe financiamento para PMEs em troca de garantia de emprego

Compartilhe Este Post

O Governo anunciou, nesta sexta-feira (27/3), que irá abrir uma linha de crédito emergencial voltada para Pequenas e Médias Empresas (PMEs) financiarem suas folhas de pagamento durante o período de dois meses.

O programa vai ser destinado exclusivamente para PMEs, que faturam entre R$ 360 mil e R$ 10 milhões por ano. As companhias que contratarem essa linha de crédito não poderão, delimitado via contrato, demitir os funcionários pelo período de dois meses.

Anunciada pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, a operação demandará R$ 40 bilhões e será feita em parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e bancos privados.

De acordo com Campos Neto, o dinheiro para pequenas e médias empresas vai financiar, no máximo, dois salários mínimos por trabalhador. Ou seja, quem já tem salário de até dois salários mínimos continuará a ter o mesmo rendimento. Entretanto, para os funcionários que ganham acima de dois salários, o financiamento ficará limitado a dois salários mínimos.

Entenda alguns pontos do programa:

  • O financiamento estará disponível para empresas com faturamento entre R$ 360 mil e R$ 10 milhões por ano;
  • O dinheiro será exclusivo para folha de pagamento;
  • Os recursos serão depositados diretamente na conta dos trabalhadores;
  • A empresa terá 6 meses de carência e 36 meses para pagar o empréstimo;
  • Os juros serão de 3,75% ao ano;
  • As empresas que contratarem essa linha de crédito não poderão demitir funcionários pelo período de dois meses.

Você também vai gostar