- Início

- Conteúdo

Dormir Subordinado, Acordar Líder

Compartilhe Este Post

Receber a primeira promoção para assumir uma posição de liderança no trabalho é uma grande oportunidade, mas que, muitas vezes, pode acabar sendo uma experiência difícil. Ainda hoje são poucas as empresas que oferecem um treinamento de gestão de pessoas para o novo líder e aquelas que oferecem acabam pontuando mais a parte técnica. No entanto, quando você se torna gestor, a atividade que mais realiza é gerenciar comportamento e não técnica, e é justamente aí que está o grande gargalo da primeira liderança: gerenciar técnica é fácil, mas gerenciar o comportamento das pessoas é muito difícil. 

Geralmente, somos promovidos porque nos saímos bem tecnicamente e entregamos resultados positivos para a empresa. Por outro lado, não sabemos como fazer gestão de pessoas. Do dia para a noite é como se você tivesse se transformado em pai e mãe, estabelecendo responsabilidades, só que não sobre crianças, mas sim sobre adultos que já são educados, que já têm suas filosofias e são extremamente diferentes entre si, por isso essa fase pode ser tão dolorida. 

A minha própria experiência também foi assim. Quando me tornei líder pela primeira vez tive péssimos hábitos, como ciúme e inveja de funcionários que eram muito bons e alta competitividade com os meus colegas porque sentia que precisava mostrar que era melhor do que eles. Também tinha medo do meu chefe e acabava falando somente o que ele gostaria de ouvir, já que não queria perder o cargo que tinha acabado de conquistar. 

Assumir a primeira gestão sem estar preparado é angustiante. Você está inseguro e com medo e acaba adquirindo esses hábitos ruins na tentativa de agradar tanto seu chefe, quanto seus pares, quanto seus funcionários. E todos esses pontos, na maioria das vezes, acaba levando à demissão. Por isso, para aqueles que estão passando por esse momento é importante ir atrás de ajuda para sair dessa situação e progredir. 

A principal atribuição de um líder é despertar nas pessoas o propósito, o senso de colaboração e de responsabilidade, e isso exige dele saber lidar e trabalhar com o comportamento das pessoas. Algumas ações podem ajudar a acertar na gestão e mudar esse panorama de uma primeira liderança negativa. 

A primeira é ser leal ao chefe. Você não pode ter medo dele e precisa dizer tudo o que acontece, pedir ajuda, dizer que não concorda quando houver divergência de opiniões, e assim por diante. É necessário ser leal mesmo não tendo empatia pelo chefe. 

A segunda ação é ser parceiro dos seus colegas de trabalho. Ninguém faz nada sozinho: você tem que colaborar com seus pares e fazer com que eles colaborem com você. A competitividade não adianta, afinal vocês são uma equipe.

Por fim, exerça de verdade a liderança. Ser líder é se interessar pela equipe, ter cuidado ao projetar quem é bom e estimular cada vez mais aqueles que ainda não se encaixaram. A maior atribuição de um líder é formar uma equipe competente, e estimular em seus funcionários o engajamento, o senso de responsabilidade e de colaboração. 

Por Erika Linhares, pedagoga e especialista em educação corporativa

Gostou desse post? Compartilhe!