- Início

- Conteúdo

Desenvolver seus funcionários é a chave para a retenção - aqui estão 4 maneiras inteligentes de começar

Compartilhe Este Post

De acordo com o Relatório de Aprendizado da Força de Trabalho 2018, do LinkedIn, 93% dos colaboradores permaneceriam em uma empresa por mais tempo se investissem em suas carreiras. Espantoso, isso? Não, todos nós queremos estar em movimento. Ao menos deveríamos querer. E o desenvolvimento contínuo nos traz essa energia

O texto abaixo eu li da co-fundadora e CEO da TalentCulture, Meghan M. Biro. E as afirmações que ela coloca nos faz refletir sobre o tema. Acompanhe: Megan escreve que desenvolvimento sinaliza que o empregador valoriza seu pessoal e está ativamente interessado em seu sucesso - não apenas no trabalho, mas a longo prazo. Com tantas plataformas de aprendizado baseadas em nuvem e sistemas de gerenciamento de aprendizado, também é muito mais prático com os empregadores, inclusive as pequenas e médias empresas.

A especialista em RH destacou quatro estratégias eficazes para desenvolver o talento dentro da empresa - e mantê-lo aprendendo e feliz:  

1. Desenvolver soft skills

Em termos de desenvolvimento geral de talentos, uma recente pesquisa do LinkedIn com 2.000 líderes empresariais descobriu que mais da metade (57%) atribui soft skills às habilidades complexas quando se trata do que eles precisam que seus funcionários desenvolvam. As quatro melhores habilidades são liderança, comunicação, colaboração e gerenciamento de tempo.  O desenvolvimento de soft skills é um exemplo claro em que os funcionários percebem que você está interessado em seu crescimento e sucesso em geral - não apenas em quão rapidamente eles podem realizar uma tarefa em sua posição atual. 

2. Oferecer micro learning

O relatório do LinkedIn também descobriu que a principal razão pela qual os funcionários se sentem retidos no aprendizado é que eles não têm tempo para aprender. A solução: oferecer oportunidades de aprendizado em pequenos incrementos de tempo que podem ser administrados em um dia de trabalho. O Youtube mudou a forma como captamos as informações - em partes digeríveis que levam em conta nossas vidas ocupadas e períodos de atenção mais curtos. A duração média de um vídeo no Youtube é de cerca de quatro minutos e 20 segundos. Tome uma sugestão. 

3. Ter gerentes envolvidos

O relatório de aprendizagem do LinkedIn também destacou que 56% dos colaboradores frequentariam um curso sugerido pelo gerente, mas envolver os gerentes no aprendizado dos funcionários é um grande desafio. Não é que os gerentes não queiram que os funcionários aprendam. É que eles geralmente já estão sobrecarregados e ocupados com os desafios diários e mais urgentes de gerenciar suas equipes e lidar com a lista de tarefas pendentes. “O que os gerentes precisam entender é que o desenvolvimento de pessoas e equipes é uma responsabilidade fundamental e é o que ajuda a manter as equipes envolvidas”, observa Emily Poague, vice-presidente de marketing da LinkedIn Learning.  As sugestões:

a.  destaque os gerentes que estão incentivando com sucesso o aprendizado, divulgando suas histórias de sucesso;

b. colabore com os gerentes nos melhores momentos para incorporar o aprendizado ao dia;

c. faça com que os gerentes incluam uma discussão sobre quais habilidades os funcionários desejam aprender em avaliações de desempenho;

d. peça aos gerentes que designem os cursos aplicáveis.

4. Integre o aprendizado à experiência do funcionário.

Considere a pergunta: "Qual seria a probabilidade de fazer do seu próximo empregador um excelente local de trabalho?" É a primeira pergunta no questionário "O que faz um ótimo lugar para trabalhar" - e a primeira escolha de respostas é "Treinamento que me ajuda a crescer".  ”No grande esquema da gestão de talentos, é fácil ignorar o ponto de vista do funcionário. Mas as oportunidades de aprendizado permitem que os talentos mantenham uma trajetória ascendente, apesar de permanecerem em uma posição. Eles ajudam os funcionários a integrar melhor as demandas do trabalho e da vida, permitindo que desejemos aprender muito mais do que apenas as habilidades singulares exigidas por nossas descrições de trabalho atuais. O Relatório de Tendências de Capital Humano da Deloitte de 2017, que focou na importância da experiência do funcionário, foi um divisor de águas para muitos em RH - e oferecer oportunidades de crescimento foi identificado como um dos fatores-chave para proporcionar uma ótima experiência aos colaboradores.

Entre outras observações importantes que a especialista coloca, outra chama atenção: "precisamos deixar nosso pessoal aprender, seja parte do trabalho atual ou uma aspiração futura - e precisamos capacitá-lo para isso”.  

Mas atenção, e aqui é a opinião dessa editora aqui: Do ponto de vista do profissional, é importante que ele também não espere que tudo venha da empresa. Ser protagonista de seu desenvolvimento contínuo é um valor importante e observado pelas companhias. Mas esse assunto vale um texto para uma próxima reflexão.