- Início

- Conteúdo

Consultor Lista As Soft Skills Mais Em Alta No Mundo Corporativo

Compartilhe Este Post

As soft skills estão em alta no universo corporativo. Mais do que uma tendência, mas sim uma necessidade das empresas que buscam uma equipe de trabalho comprometida e talentosa, são habilidades comportamentais cada vez mais procuradas pelos RHs durante os processos seletivos.

Aportuguesadas como “habilidades comportamentais”, essas skills são difíceis de mensurar, mas fazem uma considerável diferença na busca por recolocação profissional. E elas estão em falta, como revela um estudo da Capgemini feito com mais de 1,2 mil executivos, no qual aproximadamente 60% afirmaram que suas empresas sofrem com a carência dessas habilidades.

 “As soft skills estão em alta porque nos últimos anos empresas e profissionais focaram nas habilidades profissionais que até então eram vistas como essenciais. Buscar especialização, saber programar, conhecer o universo das vendas. A questão é que algumas habilidades que eram inerentes à nossa rotina foram suprimidas e hoje são difíceis de encontrar. Poucos desenvolveram, na busca pelo sucesso, senso de empatia, uma boa comunicação, habilidade de liderança. E são estas qualidades que estão sendo consideradas o futuro do mercado de trabalho”, destaca Roberto Vilela, consultor empresarial e palestrante.

O especialista avalia que as soft skills são tão importantes quanto habilidades operacionais e reforça: trabalhar a inteligência emocional é o segredo para quem quer turbinar o currículo. “O avanço tecnológico criou uma geração de profissionais com grande dificuldade de conviver e trabalhar em equipe. E isso tem prejudicado os resultados das empresas, que já atuam em ações de desenvolvimento de habilidades comportamentais”, explica.

Cinco soft skills para ficar de olho em 2019

De acordo com o consultor empresarial, cinco habilidades podem ser destacadas como essenciais. “A primeira delas é a empatia no universo corporativo. Se colocar no lugar do outro garante que você vá entender melhor as necessidades do cliente e, consequentemente, atuar de forma mais assertiva na resolução dos desfios. Outra questão é a comunicação. Em tempos de aplicativos e redes sociais, saber se expressar e entender o timing do seu cliente é um grande diferencial”, comenta.

Criatividade também é essencial, não só na resolução de problemas, mas para tornar o profissional mais engajado. “Pensar fora da caixa nunca foi tão importante. Precisamos inovar de dentro pra fora e entender que essa ação nem sempre está ligada à tecnologia. Por fim, acredito que ter resiliência, se adaptando às dificuldades e desafios do mercado, e ética para atuar com responsabilidade não podem ficar de fora dessa lista”, lista Roberto.

Mas, afinal, como desenvolver as soft skills?  Para o consultor, além de estudos e apoio de especialistas, é preciso que o profissional dê um passo atrás. “Reveja seus conceitos e sua atuação, avalie de forma crítica o seu modelo de trabalho, esteja aberto à mudança. Desenvolver estas habilidades depende, especialmente, da proatividade de cada profissional”, conclui.

Gostou desse post? Compartilhe!