Pessoas de qualquer idade não resistem a uma boa história, sejam filmes de contos de fadas, as sagas sobre jovens bruxos ou as variadas opções do Netflix. Histórias são um entretenimento maravilhoso, mas também são uma forma eficaz de mostrar aos possíveis candidatos por que devem trabalhar para sua empresa.

O candidato a emprego de hoje costuma estar distraído e sobrecarregado com o excesso de opções. Usar o storytelling de modo convincente e consistente ajuda a criar uma marca empregadora eficaz por meio das mensagens sobre sua empresa que aparecem em todos os canais, do seu site até as mídias sociais e a página do Indeed.

Em uma série recente de entrevistas conduzidas pelo Indeed sobre o processo de contratação, um candidato a uma emprego disse: “Há algumas empresas que se destacam instantaneamente para mim como lugares onde adoraria trabalhar. Você quase sente como é trabalhar lá apenas lendo a descrição do trabalho”.

Você não adoraria se eles estivessem falando sobre sua empresa? Para se conectar com os candidatos por meio do storytelling, você precisará incluir os elementos de uma boa história: conexão pessoal, conflito ou luta, personagens interessantes e um ótimo cenário.

Estabeleça uma conexão pessoal

Os candidatos de hoje procuram uma conexão pessoal com a empresa - 65% dos candidatos entrevistados pelo Indeed, em 2017 disseram que se sentiriam conectados a uma empresa com missão e visão que se juntem aos seus valores e crenças. 

Para começar a elaborar a história que melhor ressoará entre os candidatos, eis um exercício simples: pense na história de sua empresa e por que você se sente pessoalmente conectado a ela. Depois, crie uma lista de palavras que você usaria para contar essa história. 

Agora, abra seu site de carreiras ou a descrição do cargo que você está tentando preencher. As palavras na postagem correspondem às palavras que você escreveu? As melhores partes da história da sua empresa estão destacadas? Se não, pode ser hora de considerar uma mudança.

Introduza conflito, adversidade e luta

Esclareça o problema que sua empresa está resolvendo, incluindo um elemento de conflito, adversidade ou luta. Isso também cria uma tensão dramática que faz o candidato querer continuar lendo para ver a resolução. 

A série de vídeos “nossas histórias” da Harlem Children’s Zone (HCZ) é um ótimo exemplo disso. O HCZ é um sistema abrangente de suporte educacional e social que inclui escolas e programas familiares, comunitários e de saúde no bairro do Harlem, em Nova York. Começou como um projeto piloto de um bloco habitacional para tratar questões serias na comunidade, como habitação inadequada, uso de drogas, escolas pobres, crimes violentos e problemas graves de saúde. Hoje, ocupa 97 quarteirões e atende mais de 25 mil pessoas. 

Os vídeos apresentam histórias pessoais de como o HCZ ajudou funcionários e alunos a superar dificuldades para ter sucesso. Por exemplo, o fundador Geoffrey Canada conta como ele cresceu em um ambiente perigoso e prometeu ajudar outras crianças se ele conseguisse sobreviver. Os vídeos apelam às emoções do espectador e imediatamente estabelecem uma conexão entre os problemas que o HCZ está resolvendo e a importância do seu trabalho. 

Pense nos problemas e desafios que você enfrenta – eles podem não ser tão dramáticos quanto isso, mas adicioná-los à narrativa da sua empresa fornecerão aos candidatos a emprego uma resposta convincente sobre o motivo pelo qual eles devem trabalhar para você. 

Inclua personagens interessantes 

Todas as grandes histórias têm personagens interessantes, então introduza as suas. Associar rostos humanos à sua empresa ajuda os candidatos a se identificar com as pessoas por trás de sua história. 

Por exemplo, pegue o KFC e o icônico Coronel Sanders. Harland David Sanders licenciou sua receita secreta de frango frito para vários restaurantes em Utah antes de iniciar a cadeia de franquias Kentucky Fried Chicken (KFC). Desde então, a marca global atualizou sua imagem e apostou no uso do Coronel para a promoção, graças à sua enorme personalidade e apelo do público. Sua imagem e nome são sinônimos da marca e ele aparece no logotipo da empresa. 

Você não precisa ser uma multinacional para fazer isso. Converse com os fundadores da sua empresa, outros funcionários ou mesmo clientes para encontrar pessoas com histórias pessoais particularmente interessantes. Destaque-os no seu site e nas redes sociais para atrair a atenção dos candidatos. Contar histórias que deixam suas personalidades brilharem e compartilhar informações interessantes sobre eles ajudará a se conectar com os leitores. 

Crie um ótimo cenário 

Uma ótima história faz você se sentir como se estivesse lá. Quando você fala sobre sua empresa, descreva como é a vida diária. 

A Juiceland– uma cadeia de sucos com sede em Austin, capital do estado norte-americano do Texas – é um excelente exemplo, destacando seu ambiente de trabalho feliz. A empresa lista "diversão" como seu primeiro valor, dizendo: "Estamos orgulhosos do fato de que nossa equipe gosta de vir trabalhar e passar tempo com pessoas que amam estar por perto". A Juiceland faz a diversão de trabalhar lá ainda mais tangível através de fotos de passeios dos funcionários nas redes sociais e um videoclipe para recrutamento em seu site. 

No mundo de hoje, é mais fácil do que nunca compartilhar sua história por meio de fotos, opções de vídeos e mídias sociais, o que pode propagar uma ideia mais rapidamente do que você pode dizer "retweetar". 

Resumindo 

Criar uma marca empregadora eficaz é contar histórias convincentes e consistentes para alcançar as pessoas em um nível emocional. Usar os elementos-chave da narrativa é uma ótima maneira para se conectar mais profundamente com os candidatos e chamar sua atenção. Em um mercado de trabalho saturado, isso pode ajudá-lo a atrair candidatos para suas marcas e ofuscar a concorrência. 

Se você procurar por histórias de funcionários e empresas, provavelmente há uma grande quantidade de conteúdo que você pode usar para promover o trabalho de sua empresa para os candidatos. E com tantas plataformas faceis  de usar disponíveis, não há motivos para não apostar no storytelling.  

Por Felipe Calbucci (capa), Country Manager do Indeed no Brasil