- Início

- Conteúdo

Como o burnout foi o trampolim para a criação de uma empresa GPTW

Compartilhe Este Post

Prestes a completar quatro anos de fundação, a Next Shipping, empresa de logística internacional com sede em Itajaí (SC), já é a 5ª maior do estado catarinense em movimentação marítima na importação e acumula crescimento de mais de 500%. Apesar de o negócio principal ser a logística, a Next foi criada pensando na vida dos profissionais da área de comércio exterior. Essa história começou há 15 anos, quando os amigos e sócios Evandro Turatto e Bruno Meurer ainda estavam no início da carreira.

Evandro e Bruno são formados em comércio exterior e trabalharam em grandes companhias do setor por mais de 10 anos. Mas o ambiente de trabalho estressante, com horas exaustivas e doenças decorrentes deste estilo de vida incomodavam os amigos. "Quando começamos a carreira, achávamos que era normal as pessoas trabalharem 20 horas por dia, terem síndrome de burnout, depressão e odiar a área. Mas aquilo não podia ser normal e isso nos incomodava", lembra Turatto, que chegou a pensar em mudar de profissão para ter mais qualidade de vida.

Ambos tinham o desejo de mudar aquela realidade e, em 2017, Turatto convidou Meurer para o desafio de abrir uma nova empresa. "O Bruno tinha o mesmo pensamento que o meu, a nossa dor era resolver os problemas dos colaboradores e, então, criamos juntos um novo conceito de empresa. Estávamos preocupados de o por quê a Next ia existir. E ela ia existir para transformar o comércio exterior e melhorar a vida dos funcionários", conta Turatto, hoje diretor de marketing e comercial.

Em 3 de abril daquele ano nasceu a Next Shipping, com CNPJ emprestado do concorrente e a casa dos sócios como sede. "Foi um começo difícil, mas quando explicamos para as pessoas o que imaginávamos para o nosso projeto e porque existíamos, as coisas ficavam mais fáceis. Tínhamos o apoio dos colaboradores, fornecedores, assim como dos nossos clientes", comenta Meurer, atual diretor operacional e de recursos humanos.

A Next foi criada com poucos recursos e investimentos do bolso dos próprios sócios, que, em menos de 90 dias, começaram a ver os resultados e puderam reinvestir na empresa. Hoje, já são mais de 40 funcionários, 200 clientes ativos na carteira como Colcci (AMC), Havan, Goodyear, Cadence, Brandili Têxtil, Tramontina, sede própria e crescimento de mais de 500%.

Pessoas são prioridade

Em 2018, Evandro e Bruno foram para o Vale do Silício, na Califórnia, estudar sobre tecnologia e gestão de pessoas e se inspiraram em modelos eficientes. Trouxeram de lá ideias para aprimorar os negócios e as práticas de RH, muito difundidas entre startups e empresas de tecnologia.

O resultado é que a Next se diferencia desde o momento da contratação. Além da tradicional entrevista, o candidato passa por testes para demonstrar suas habilidades técnicas e comportamentais, para avaliar se a pessoa também está alinhada aos conceitos éticos e propósitos da equipe. Outra ação que ocorre com frequência são os momentos de celebrações por conquistas individuais e coletivas. "Brindamos muito, desde pequenas a grandes conquistas e, inclusive, as pessoais de cada colaborador como casa nova, carro novo, até já fizemos chá de panela dentro da empresa", comenta Turatto.

A Next criou programas que valorizam a história do funcionário dentro da empresa e sua evolução pessoal e profissional, com benefícios que vão desde folga e presente de aniversário, férias extras, não trabalhar às sextas-feiras, 15o salário até cursos, intercâmbios e viagens pagos pela Next. Em 2019, todos os colaboradores foram para a Disney para comemorar o cumprimento de metas. A viagem deve se repetir em 2021, mas para outro destino que ainda será escolhido. Em 2020, mesmo diante dos desafios de uma pandemia, a empresa não reduziu o número de funcionários e ainda aumentou o quadro de vagas em mais de 60%. Atualmente, mantém o modelo híbrido à escolha dos colaboradores.

Mas, para os sócios, o que diferencia a Next de outras empresas não são apenas os benefícios oferecidos, mas sim a comunicação aberta e transparente, feedbacks constantes e apoio às pessoas em vários aspectos (profissional, pessoal, psicológico, emocional). Além disso, com tão pouco tempo de atuação, a Next prova que cuidar das pessoas é primordial para fazer uma empresa crescer de forma sólida e saudável. "Há muito trabalho duro na Next Shipping e as pessoas dão ainda mais porque estão motivadas para isso, porque acreditam no propósito da empresa. Quando olhamos para nossos resultados e para a nossa equipe vemos que estamos no caminho certo”, diz Meurer.

Com isso, a Next se tornou a melhor empresa para trabalhar em Santa Catarina, segundo o ranking estadual do instituto Great Place to Work (GPTW) em 2019 e 2020. A empresa foi certificada pelo segundo ano consecutivo, conquistando o primeiro lugar na categoria das pequenas (de 30 a 99 colaboradores). Nesta edição, ainda recebeu a nota recorde de 99 pontos.

Foto de capa: à esq: Bruno Meurer; à dir: Evandro Turatto - foto por Pedro Lemoine

Você também vai gostar

Revisão da própria vida

desenvolvimento

Reinaldo Passadori, em seu novo texto, faz um convite para rever, resgatar, redimensionar e reviver.