- Início

- Conteúdo

Como motivar os colaboradores usando o conceito de pirâmide de Maslow

Coluna 87

Compartilhe Este Post

Você já ouviu falar na pirâmide de Maslow? O conceito foi desenvolvido pelo psicólogo norte-americano Abraham Maslow, com o objetivo de entender e separar as diferentes necessidades humanas em cinco categorias de forma hierárquica. Na base da pirâmide estão os desejos mais urgentes que estão relacionadas às questões fisiológicas (comida, água, abrigo e sono), logo em seguida vem a segurança (da família, do corpo e propriedade), social (amor, amizade, família e comunidade), estima (reconhecimento, status e autoestima) e no topo estão as realizações pessoais (criatividade, talento, desenvolvimento pessoal).

Dessa forma, Maslow aponta que as pessoas só passam a perceber as outras necessidades quando a anterior for atendida. Quando trazemos esses aspectos para o âmbito profissional, podemos destacar a motivação como um dos fatores importantes dentro de uma organização, porque uma vez que os colaboradores estão motivados, eles tendem a ser mais produtivos, participativos e criativos.

Nesse caso, a pirâmide "corporativa" pode ser classificada da seguinte forma: fisiológica (relacionado ao horário de trabalho, ambiente saudável e equipamentos apropriados); segurança (remuneração compatível, estabilidade na empresa e trabalho em local seguro); sociais (relacionamento com os colegas de trabalho, clientes e líderes); estima (progressão de carreira, premiações e reconhecimento) e autorrealização (ambiente de trabalho desafiador, oportunidade de aprendizado e crescimento).

Seguindo essa linha, é preciso adotar algumas estratégias para motivar os colaboradores, tais como ter equipamentos básicos para que eles possam desempenhar suas funções, dispositivos atualizados e coerentes com a sua função além de alinhar o horário e carga de trabalho. Todos esses pontos podem ser considerados como as necessidades básicas dos funcionários.

Além disso, é importante garantir um ambiente de trabalho saudável, uma vez que cuidar da saúde faz parte da base da pirâmide e muitos profissionais sofrem com estresse e esgotamento por excesso de tarefas. De acordo com um estudo realizado pela International Stress Management Association (ISMA), associação, sem fins lucrativos, de caráter internacional voltada à pesquisa e ao desenvolvimento da prevenção e do tratamento de stress no mundo, 30% dos mais de 100 milhões de trabalhadores brasileiros sofrem de Burnout, um distúrbio psíquico, precedido do esgotamento mental e físico. Para evitar que esses números aumentem, os empresários podem promover ações diferenciadas, como apoio de profissionais da saúde como terapeutas e psicólogos, plano de carreira bem definido, feedbacks constantes, reconhecimento sobre as conquistas diárias e alinhamento da expectativa.

 

A pandemia do novo Coronavírus nos mostrou que conceitos como home office, dress code menos rígido e horários flexíveis funcionam e tendem a ser vistos com bons olhos pelos funcionários. Isso, com certeza fortalecerá o nível de responsabilidade e criará uma relação com afinidade maior. É preciso também ter sistemas de reconhecimento para aqueles que mais se destacarem em suas atividades, deixando-os motivados e com autoestima elevada.  Seguindo essa linha, pode-se considerar a ideia de criar um plano de carreira para aqueles que mais se destacarem. Isso servirá como um estímulo para desenvolver o trabalho com maestria.

Por fim, é imprescindível que as empresas invistam em treinamentos para que seus funcionários possam ter a possibilidade de novos aprendizados. Isso faz com que eles se sintam realizados e contribui para que as entregas tenham mais qualidade.  Além disso, os gestores conseguem identificar mais facilmente as principais dificuldades enfrentadas pela equipe, dúvidas frequentes e onde podem melhorar, por meio da tecnologia. Isso permite que seja desenvolvido uma série de ações que vão atender as reais necessidades da empresa, proporcionando resultados mais qualificados para ambos os lados, além de auxiliar na alta performance dos funcionários.

Diante desses pontos, concluo que ter uma equipe motivada e engajada trará bons frutos para as empresas. Ao seguir os pontos que abordei acima, você, como gestor ou profissional de recursos humanos, vai manter seus colaboradores motivados e cada vez mais engajados com o propósito da companhia, impactando os resultados. Reflita e aplique esse conceito em sua área!

Gustavo Caetano é CEO da Samba Tech, embaixador da Reserva e autor do best seller Pense Simples. É um dos colunistas do Rh Pra Você. O conteúdo dessa coluna representa a opinião do colunista. Foto: Divulgação. 

Você também vai gostar