- Início

- Conteúdo

Como manter a motivação e encarar o novo normal do ritmo de trabalho?

Compartilhe Este Post

A pandemia do novo coronavírus transformou a rotina de milhões de pessoas da noite para o dia, incluindo a forma de trabalhar. Com o isolamento social recomendado pelo Ministério da Saúde para combater a disseminação da COVID-19, o trabalho remoto tornou-se uma realidade para muitos profissionais, exigindo adaptação, resiliência, organização e trabalho em equipe.

No entanto, além dos compromissos profissionais, as obrigações domésticas e familiares aumentaram, com os filhos fora da escola, os cuidados redobrados de limpeza da casa e a atenção extra com os residentes idosos. Há também a necessidade de ignorar o sofá e a televisão para manter a concentração nas atividades de trabalho. Por outro lado, com o aumento da ansiedade diante das notícias diárias sobre a COVID-19 no Brasil e no mundo, é importante cuidar da saúde mental.

Gestão e humanização

Várias organizações não só adotaram o adotaram o home office, como é o caso da DIMEP Sistemas, empresa de tecnologia de gestão de acesso, que ao implantar o trabalho remoto, trouxe soluções tanto para o viés profissional quanto para o viés humano.

Além de disponibilizar gratuitamente por 90 dias os recursos de marcação de ponto WEB e o aplicativo para smartphone do sistema Kairos, para que as empresas possam realizar a gestão de sua força de trabalho durante o home office com segurança e transparência, a DIMEP investiu em cursos e workshops para a liderança gestores desempenharem uma liderança ainda mais eficaz e também em ações de feedback, acolhimento e reconhecimento dos colaboradores.

“A gestão remota requer ainda mais clareza nas atribuições, um compartilhamento constante de informações e o foco nas entregas. Adotar ferramentas que auxiliem no dia a dia de trabalho, como por exemplo gerenciadores de tarefas, ferramentas de conference call e o sistema de controle de horas trabalhadas contribui fortemente. Além disso, manter o famoso ‘bom dia’ ou ‘boa tarde’ com as equipes, ter os acordos de convivência, compromissos registrados e compartilhados nas agendas, manter as sessões de feedback, as reuniões de 15 minutos para repasse dos projetos e alinhamentos, são exemplos de ações para manter-se presente remotamente e criar uma rotina bacana e ao mesmo tempo flexível”, pontua o vice-presidente da DIMEP, Rodrigo Pimenta.

E diante do compromisso com seus clientes e também com o mercado em levar e estimular boas práticas e um home office saudável para lideranças e colaboradores, a DIMEP produziu um e-book com dicas e recomendações para gerir da melhor forma o trabalho remoto. Você pode baixá-lo gratuitamente clicando na imagem abaixo:

Quem também se destaca no combate ao novo Coronavírus é o Olist, plataforma de soluções para marketplaces. A empresa sediada em Curitiba e São Paulo aplicou home office 100% para sua equipe com quase 400 funcionários. E no pacote, incluiu outras ações:

  • Um documento online com informações sobre o Coronavírus (o que é, como surgiu, formas de contágio, sintomas da doença e como se prevenir);
  • Canal no Slack onde todos do time podem compartilhar notícias confiáveis sobre a doença no Brasil e no mundo;
  • Cancelamento de todas as viagens a trabalho que estavam agendadas;
  • Para colaboradores que não têm internet em casa, fornecimento de modem para que possam trabalhar;
  • Ajuda de custo para cobrir gastos como energia elétrica, internet, estação de trabalho etc.;
  • Onboarding 100% remoto para novos colaboradores.

“No Olist temos equipes distribuídas desde 2016. Antes da crise, 21% dos nossos colaboradores já trabalhavam remotamente. É a primeira vez que a empresa inteira está vivendo essa experiência 100% remoto. Entre os nossos valores, gosto de destacar ‘somos gente de verdade’ e ‘somos um só time’ Aqui as pessoas são nossa prioridade e ninguém está sozinho nesse barco. Cuidamos do nosso time e pensamos sempre no todo. Acredito que o que falta para muitas empresas ainda é esse foco no colaborador e nos seus valores. Agora, mais do que nunca, conseguimos ver o posicionamento das empresas em frente às medidas que precisam ser tomadas e nesse processo de humanização”, enfatiza a Head de Pessoas da organização, Daiane Peretti.

Para Daiane, há a dificuldade das empresas em se posicionar diante de uma crise nunca antes enfrentada, além de um trabalho voltado a processos de humanização que ainda engatinha no Brasil. “O que falta para muitas empresas ainda é esse foco no colaborador e nos seus valores. Agora, mais do que nunca, conseguimos ver como as empresas agem de acordo com as medidas que devem ser tomadas a favor da saúde de sua equipe”.

E quando o home office não é opção?

Embora seja cada vez mais parte do “novo normal” e uma tendência que deve se estender para o pós-pandemia, o home office não é uma realidade para todos os tipos de negócio. Portanto, mais do que nunca o cuidado com os colaboradores se faz necessário e evidente.

A Sercom, empregadora de telemarketing que conta com mais de 8 mil colaboradores na Grande São Paulo e em cidades do interior paulista, precisou se adaptar para oferecer um ambiente de trabalho seguro a seu time de funcionários.

A empresa adotou a antecipação de férias para todos os colaboradores integrantes do chamado grupo de risco da COVID-19, e também implantou termômetros equipados com sensor infravermelho que podem medir rapidamente a temperatura da superfície do corpo sem entrar em contato com a pele - tornando a medição mais confiável por acontecer dentro do próprio ambulatório da Sercom -, o que oferece um ambiente de saúde e mais cuidadosamente controlado. Uma vez detectada a febre, o encaminhamento para hospitais para exames detalhados é previsto.

Em caso de confirmação, os colaboradores que tiveram contato direto com o profissional afetado serão liberados para quarentena, e serão acompanhados por 15 dias pela equipe médica da companhia para avaliação de possíveis sintomas. O ambiente de trabalho será isolado em um raio de 2 metros e passará por uma higienização rigorosa.

E a Sercom vai além:

  • Vídeos com dicas de higienização por enfermeiras do trabalho da própria companhia, e vídeos respondendo dúvidas de colaboradores produzidos pelos médicos do trabalho da própria companhia;
  • Blitz Coronavírus - todos os supervisores estão recebendo um kit de orientação sobre o COVID-19 e dicas de prevenção para que, durante reuniões com a equipe, possam orientar e esclarecer dúvidas;
  • Todas as posições de trabalho estão passando por um fluxo mais frequente de limpeza;
  • Dispensers de álcool em gel a cada 2,5 metros estão disponíveis para os colaboradores nas áreas comuns da companhia (número triplicado);
  • Elevadores separados por alas para diminuir o trânsito de pessoas entre os blocos (elevadores do Bloco A e do Bloco B sendo usados somente pelas operações específicas de cada bloco -- sem inversão de blocos);
  • Treinamento para a intensificação de limpeza dos prédios, além de investimento em produtos adequados para evitar a proliferação de vírus;
  • Todos os ônibus fretados passando por higienização rigorosa, além da inclusão de álcool em gel para higienização das mãos;
  • Reforço da campanha de comunicação com dicas de prevenção em todas as mídias internas;
  • Ação lúdica Doutores do Conhecimento -- a equipe de treinamento está realizando ações presenciais em todas as operações e áreas administrativas com o objetivo de orientar sobre prevenção e cuidados.

O colaborador tem sido, desde o início deste período de enfrentamento do coronavírus, o foco dos cuidados da Sercom. O reforço nos mecanismos e canais de comunicação com os nossos colaboradores tem sido fundamental, pois sabemos que vamos juntos enfrentar este período, e com foco na valorização desses profissionais que prestam serviços de atendimento ao cliente, setor declarado pelo governo federal como serviço essencial”, comenta Ana Dávalos, diretora de RH da empresa.

Para ela, a crise estabelecida pelo novo coronavírus é uma oportunidade das organizações reverem práticas, criarem novas estratégias e também desenvolver modelos de trabalho que valorizem o seu colaborador. “Acredito que o coronavírus vem trazer uma reflexão ainda maior sobre a necessidade de uma sociedade mais inclusiva, mais humana.

“A Sercom já tem e pratica esses valores e é importante que as empresas vivenciem essa inclusão e humanização no dia a dia, pois uma cultura de proximidade e respeito leva tempo para ser construída e tem desafios constantes. Dialogar de forma transversal nos permite aprender mais rápido, e o aprendizado vem em rede, de qualquer indivíduo do grupo, independentemente de cargo ou função. Por isso, incentivar a participação de todos no crescimento da empresa é nosso desafio constante”.

Richard Saad, CEO do Grupo Sercom, acrescenta que “em momentos como esse temos que ser rápidos e precoces, e avaliar iniciativas de sucesso adotadas por outros países e adequá-las a cada realidade”.

Home office exige adaptação e cuidados com a saúde

O home office, ao contrário do que se pensa, não é uma adaptação fácil, especialmente quando somado aos impactos que a pandemia causa à saúde mental é incluída a frustração de ver tantas pessoas desrespeitando a quarentena. Também, por conta de toda a rotina profissional ser remota, no começo, principalmente, se faz perder um pouco a sensação da casa ser um local de descanso e relaxamento.

Diante disso, especialistas médicos da SulAmérica Saúde prepararam sete dicas para lidar melhor com o trabalho remoto sem deixar de cuidar do que mais importa: a saúde.

1) Organize seu local de trabalho

Escolha um canto tranquilo da casa para colocar o computador e os acessórios dos quais precisa para trabalhar. Mantenha o local sempre organizado e limpo, higienizando regularmente a bancada de trabalho, as superfícies do computador, do celular e de todos os materiais que use com frequência. Se outra pessoa da família também estiver fazendo home office, procurem trabalhar em locais separados. Se não for possível, combinem algumas regras, como fazer ligações e chamadas de vídeo em outro cômodo da casa. Evite trabalhar na cama: é ruim para a coluna e prejudica sua produtividade. O ideal é sempre utilizar mesa e cadeira, cuidando para sentar-se em postura adequada.

2) Mantenha uma rotina regular

Em casa, é fácil se distrair, por isso é preciso seguir a mesma rotina que você tinha no local de trabalho: acordar e dormir no horário habitual, tirar o pijama ao acordar e colocar uma roupa confortável, porém adequada, organizar a agenda do dia e manter o foco. Faça o horário de almoço longe do computador e encaixe pequenas pausas de descanso durante a jornada.

3) Separe um tempo para o seu bem-estar

Estar em isolamento social pode trazer um pouco de angústia, especialmente para quem mora sozinho, e é preciso alguns dias para se adaptar à nova rotina. Uma maneira de preservar o bem-estar é investir um tempo diariamente para relaxar a mente, alongar o corpo ou até fazer uma atividade física mais intensa - medidas fundamentais para uma boa saúde mental. Retome aquele hobby antigo, anime-se para cumprir tarefas da casa que sempre ficaram em segundo plano, aproveite os cursos online que diversas instituições estão oferecendo gratuitamente, escolha um bom livro ou filme, entre outras formas de distrair-se.

4) Não deixe a televisão ligada o dia todo

Acompanhar o noticiário sobre a doença é importante, mas o excesso pode gerar ansiedade e estresse. Para equilibrar, tente consumir outros tipos de conteúdo e entretenimento, incluindo filmes e documentários.

5) Faça reuniões por videochamada

Use ferramentas de chamada de vídeo para fazer reuniões com colegas de trabalho, mesmo que seja apenas para repassar as tarefas. A interação virtual somente por mensagem deixa as relações frias e abre espaço para interpretações erradas. Alguns especialistas sugerem que se faça chamadas mesmo que não sejam sobre trabalho, como uma conferência para tomar um café a distância com os colegas.

6) Baixe a ansiedade e o tédio das crianças

Para quem tem filhos, a adaptação à nova rotina pode ser mais difícil. Explicar a situação e entreter as crianças é fundamental para que elas deixem os pais trabalhar. Não se sinta culpado se, em meio a uma videoconferência, seu filho aparecer ou lhe interromper. Todos estão aprendendo a viver nessa rotina e sabem das dificuldades do momento. Também é importante criar uma rotina diária com as crianças, e painéis visuais com horários podem ajudar nessa tarefa. Outra dica importante é deixar água, frutas, bolachas e brinquedos ao alcance dos pequenos para que eles tenham autonomia. Se morar com outros familiares ou pessoas que possam cuidar das crianças, combine uma divisão para administrar melhor seu tempo e energia.

7) Termine o expediente no horário certo

É comum não ver a hora passar quando se trabalha de casa. Mas é importante encerrar as atividades sempre no mesmo horário para sobrar tempo para cuidar de si mesmo e das tarefas domésticas. No dia a dia, priorize demandas urgentes para sobrar tempo para outras funções. Um dia bem organizado costuma ser mais produtivo.

Dica bônus: A produtividade não é conquistada somente por meio do trabalho árduo. Manter um estilo de vida saudável também contribui, com alimentação adequada, uma boa noite de sono, exercícios físicos e atividades de lazer. A condição de isolamento social e o excesso de informações sobre a pandemia podem gerar estresse e ansiedade, por isso é importante tomar atitudes positivas e cuidar do próprio bem-estar. No caso das notícias, procure sempre fontes confiáveis e as orientações oficiais das autoridades de saúde. Por fim, contate com frequência, por ligação ou videochamada, seus amigos e familiares, reduzindo a carência e a solidão neste momento.

Para mais dicas e orientações sobre produtividade no home office, acesse o guia completo que foi preparado por médicos da SulAmérica: é só clicar neste link.

Você também vai gostar