- Início

- Conteúdo

Como Estabelecer O Valor Da Bolsa-Auxílio Para Jovens Talentos?

Jovens Talentos

Compartilhe Este Post

Muitos empresários questionam qual é a quantia mínima da bolsa-auxílio. Na verdade, a lei não determina. Contudo, oferecer uma contraprestação competitiva é benéfico para corporação e estagiário. As companhias têm o papel fundamental de atrair o jovem e incentivá-lo financeiramente para continuar estudando e exercendo a experiência profissional.

Em primeiro lugar, é preciso diferenciar as duas possibilidades de estágio. Conforme o Art. 2º da Lei 11.788/08, ele poderá ser obrigatório ou não-obrigatório. O primeiro caso é mais comum em cursos de licenciatura e da área da saúde, pois os formandos precisam ter a parte prática antes de começarem a exercer de fato a profissão. Portanto, não é necessária a remuneração.

Já no segundo, o aluno opta por estagiar a fim de complementar sua formação e adquirir experiência. Assim, a corporação deve prover uma bolsa-auxílio, auxílio-transporte, recesso remunerado, entre outras vantagens previstas na legislação.

O ideal é apresentar um valor compatível e atraente. Afinal, o objetivo é motivar e reter um talento interessado em aprender cada vez mais. Uma boa forma de definir o montante é considerar o custo de uma mensalidade paga pelo jovem ou tomar como base pesquisas realizadas por agentes de integração com a média paga no mercado.

Empregador, exerça seu poder de manter e ampliar a característica pedagógica do estágio. Há 17 milhões de pessoas aptas a estagiarem e construírem um futuro. Contribua com a transformação na vida delas! Afinal o estágio é bom para o jovem, para a empresa e para o futuro do nosso país.

Por Seme Arone Junior, Presidente da Abres - Associação Brasileira de Estágio

Gostou desse post? Compartilhe!