- Início

- Conteúdo

Aprenda Quanto Cobrar Por Um Trabalho Como Freelancer

Carreira

Compartilhe Este Post

De acordo com o Relatório de Trabalho Independente e Empreendimento 2018, realizado pela Workana, plataforma que conecta freelancers a empresas em toda a América Latina, em 2017 a atividade autônoma cresceu 80% no país. A alavancagem é mostrada em número pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), que aponta o Brasil como terceira nação com mais profissionais do gênero no mundo, com mais de 1,3 milhão de pessoas em exercício autônomo.

Para Guillermo Bracciaforte, co-fundador da Workana, o trabalho freelancer no país pode ser encarado como necessidade e solução. O empresário explica que “mais do que alternativa encontrada pelos que perderam seus empregos ou por aqueles que buscam uma fonte de renda extra, é uma filosofia de vida”.

Bracciaforte aponta para o fato do quanto a internet facilitou a vida de quem procura por umfreela. Aplicativos de transporte como o Uber e Cabify estão em alta e geram oportunidade para muitas pessoas atrás de uma renda principal ou complementar.  É destacado também por Guillermo o artesanato, com empresas como o Elo7, marketplace de produtos criativos e autorais, que já possui 90 mil vendedores ativos e apresenta crescimento de 45% ao ano em relação ao número de lojistas.

Contudo, em meio ao crescimento da produção autônoma, uma dificuldade enfrentada por muitos freelancers é ter a noção do quanto cobrar pelo seu serviço. O Freelancer.com separou três dicas para ajudar o trabalhador freela em relação a isso:

1 –Determine o seu tempo de trabalho

Um caminho para facilitar o processo de definição do valor da cobrança é definir o custo de acordo com o tempo que será prestado no serviço. Em outras palavras, definir o valor da hora trabalhada. Para fazer o cálculo é importante levar em consideração o seu nível profissional e em qual categoria de trabalho freelancer você se encaixa, para que o preço definido seja adequado ao mercado.

2 – Mantenha o seu preço

Caso algum cliente peça um valor menor do que você propõe, é conveniente que você mantenha o seu preço. Isso traz uma valorização não só do seu trabalho, mas do mercado em que você está inserido. Além disso, caso você não tenha ideia de quanto cobrar por um serviço, pesquise por quanto os seus concorrentes cobram. É importante ficar atento ao trabalho de outros freelancers e até mesmo de empresas concorrentes.

3 – Calcule as despesas

Determinar o preço do freela consiste também em levar consideração todas as despesas que você tem - tanto as fixas, como a de luz, quanto as variáveis, como os custos de transportes para eventuais reuniões -, principalmente se ele for sua renda principal. Não adianta cobrar muito pouco para seduzir clientes se mal for possível pagar as contas depois. Da mesma forma, preços excessivos vão proporcionar pouco ou nenhum trabalho. Estabeleça uma faixa viável para você e para o mercado.

Gostou desse post? Compartilhe!