- Início

- Conteúdo

A criatividade é um monstrinho faminto e você também tem o seu

Coluna 596

Compartilhe Este Post

Algumas coisas me incomodam profissionalmente e uma delas é quando alguém me diz: “você faz isso com tanta facilidade...”. Acredite, nada é assim tão fácil quanto parece

Ideias que nascem naturalmente ou falas que no meio de um bate-papo parecem ser resultado de um talento especial são apenas resultado de muita busca, troca, estudo e construção. Ah! O foco também tem um papel importante na execução de um trabalho qualquer que seja ele.

É importante também destacar a importância que os problemas reais têm na geração de grandes soluções e ideias inovadoras. O Trahentem, ferramenta que criei para o design de experiências de aprendizagem, é um bom exemplo. Ele nasceu da minha busca por ajudar os Designers Instrucionais de minha equipe a fazer um bom design, centrado nas pessoas.

Eu acredito que os problemas sejam a grande “cola” do conhecimento. Eles fazem com que tudo aquilo que aprendemos, formal ou informalmente, vá se movimentando para construir novos mosaicos que vão decorar a nossa galeria de soluções.

Por isso, na minha opinião, a criatividade é um monstrinho faminto que precisa ser alimentado diariamente com uma dieta variada e equilibrada. Quando você faz isso está fornecendo os pedacinhos que servirão de recursos para a construção do mosaico.

Se você gosta de artes, especialmente de Antoni Gaudí, sabe que os mosaicos mais belos são formados por pedacinhos de materiais diversificados e coloridos que se combinam para formar o que você quiser.

Sou curiosa e eclética e, por isso, os meus “caquinhos” vem de fontes diversificadas e é isso que faz com que a dieta do meu monstrinho seja muito colorida. Ler é um vício e tenho certeza de que morrerei sem ler um décimo do que gostaria. Mas esta não é a única fonte, e não pense que só leio o que está relacionado com o meu trabalho. Pasme, eu li "50 tons de cinza" quando foi lançado e ontem à noite lia Carlos Drummond de Andrade em voz alta tentando imitar a forma como ele mesmo recitava seus poemas.

Viajar, andar por aí, fotografar flores, assistir séries, aprender música, praticar Yoga, cozinhar, trocar ideias com amigos (em geral muito mais jovens que eu), aprender sobre novas tecnologias e sobre coisas que a gente nem sabe que existem são alimentos tão importantes quando as imersões em inovação e cursos com grandes profissionais. Tudo isso alimenta o seu monstrinho faminto.

Se você não alimentar sua criatividade perderá a oportunidade de desfrutar o prazer indescritível de pensar “caramba, de onde veio essa ideia” e, no momento seguinte, se dar conta de todos os lugares onde esteve e das pessoas que conheceu enquanto recolhia os caquinhos que colecionou para um dia ter essa ideia.

Hoje, mais do que nunca, precisamos de profissionais capazes de dar novas respostas em cenários complexos e velozes. Se você quer ser este profissional e gosta do cenário que está se configurando no qual a gestão horizontal é a companheira da dupla inseparável confiança-responsabilidade, alimente o seu monstrinho e seja a pessoa para quem outros dizem “nossa, você faz isso com tanta facilidade”!

Por Flora Alves, CLO da SG – Aprendizagem Corporativa, idealizadora do Trahentem® e uma das maiores especialistas de aprendizagem no Brasil. É  uma das colunistas do RH Pra Você. O conteúdo dessa coluna representa a opinião do colunista. Foto: Divulgação.

Você também vai gostar

Volta às aulas? Ou novas aulas?

desenvolvimento

Flora Alves, CLO da SG, reflete sobre a importância de ferramentas tecnológicas no processo de aprendizagem e o impacto nas futuras profissões