- Início

- Conteúdo

4 Dicas Para Planejar Seus Investimentos Em 2019

FINANÇAS

Compartilhe Este Post

2019 já começou e, mesmo que a mudança não implique em uma transformação imediata no cenário econômico, muitas pessoas já dão início à programação de suas finanças para este ano. Seja para quem já investe ou para quem está começando é importante ficar atento às atualizações do mercado. A equipe de especialistas da casa de análise financeira Suno Research listou algumas dicas para quem quer ter os melhores resultados no mercado de capitais no ano que chegou.

Antes de tudo, quite suas dívidas!

Para os especialistas, essa é a primeira premissa para aqueles que pretendem ingressar no mercado de capitais em 2019. Apesar da taxa Selic ter caído de forma expressiva nos últimos dois anos, o custo de uma dívida no Brasil continua sendo demasiadamente alto, o que pode facilmente arruinar as finanças de qualquer um no longo prazo, ainda que essa pessoa invista. "Dificilmente o investidor conseguirá obter um retorno na bolsa de forma consistente no longo prazo que seja tão alto quanto o custo de uma dívida", alerta o especialista em renda variável da Suno Felipe Tadewald.

Tenha uma reserva de emergência

O especialista ainda aconselha a formação de uma reserva de emergência que seja suficiente para cobrir os custos de pelo menos seis meses, justamente para ter uma proteção natural contra momentos adversos. "O investidor não deve direcionar ao mercado de capitais recursos que ele pretende retirar ou pode precisar no curto ou mesmo médio prazo. O ideal é formar uma reserva de emergência, justamente para não ter a necessidade de vender suas ações ou fundos imobiliários", completa Tadewald.

Invista em ações de empresas sólidas e que pagam bons dividendos

Apesar da valorização recente do mercado, ainda existem ações de boas empresas negociadas a preços atrativos, que pagam bons dividendos e oferecem ao investidor um bom potencial de ganhos no longo prazo. No entanto, para o analista de Investimentos Rodrigo Wainberg é preciso ser seletivo na escolha. "Geralmente as ações mais líquidas sobem antes do resto. Então, é bom olhar para papéis com menos acompanhamento. Ações de setores cíclicos, ainda não precificadas, são boas escolhas. Construção civil, varejo, indústria são alguns exemplos", completa.

Segundo os analistas, como a expectativa é positiva para os resultados das boas e saudáveis empresas para os próximos anos, que deve se traduzir em dividendos maiores, o investidor que comprar ações em 2019 muito provavelmente estará garantindo um yield on cost (relação de dividendos pagos sobre o custo da ação) bastante atrativo no longo prazo, além de que os papéis tendem a performar acima da média. "Só não pode cair em conto de fada. Quando a bolsa sobe forte, surgem cada vez mais oportunistas prometendo dinheiro fácil na bolsa", alerta Wainberg.

Fundos Imobiliários

Grande oportunidade para aqueles que querem iniciar aportes no investimento de renda variável, os fundos Imobiliários bateram recordes de volume no Brasil em 2018. Para o Vice-Presidente de Fundos Imobiliários da Suno, Marcos Baroni, quem investe nesse tipo de ativo deve ficar atento à retomada da economia e como ela impactará o consumo do brasileiro, o que poderá favorecer a rentabilidade dos shoppings centers.

Com inflação sob controle, é possível que os juros não subam no 1º semestre, o que favorece a percepção de risco do Brasil e, por consequência, trazem melhores retornos aos FIIs. "O mercado corporativo, especialmente o paulista, já começa dar algum aceno em relação à redução de vacância e aumento de preços dos aluguéis, especialmente em ativos de melhor padrão construtivo e bem localizados. Ativos com contratos sólidos e de longo prazo continuam sendo opções importantes em um portfólio diversificado", aconselha Baroni.

Gostou desse post? Compartilhe!