- Início

- Conteúdo

3 Práticas Comuns Na China Que Podem Inspirar Empresas Brasileiras

CULTURA 267

Compartilhe Este Post

Segundo estudo realizado em julho deste ano pela Universidade Cornell (EUA) em parceria com Organização Mundial da Propriedade Intelectual, a China está entre os 20 países mais inovadores do mundo no ranking do Índice Global de Inovação (GII). Diariamente são criadas mais de 15 mil novas empresas, e em poucos anos a China está prestes a superar o Vale do Silício em número de Unicórnios.

Além do crescimento no mercado, o país também é o que mais investe em Inteligência Artificial e o que mais avança em Tecnologia do Varejo e Fintechs. Diante desse cenário, as tendências da China estão inspirando empresas do mundo todo a buscarem parceiros de negócios e inovações tecnológicas.

Fabio Camara, CEO da FCamara, empresa de transformação digital, viajou ao país asiático para buscar novidades de mercado que possam ser aplicadas no Brasil (em especial no setor de IoT – Internet das Coisas). E segundo o empresário, três práticas adotadas na China merecem atenção das empresas brasileiras:

1 – Reconhecimento facial

De acordo com o CEO Tech, o reconhecimento facial é uma tecnologia rotineira na China. Sua aplicação é utilizada em multas de trânsito, check-in de hotel, compras de supermercado e até mesmo em pedidos de fast food, no qual o sistema identifica previamente o que o cliente deseja comer. “O uso do reconhecimento facial na China é algo impressionante. O país é o mais populoso do mundo e já consegue mapear todos os rostos e informações. As multas de trânsito, por exemplo, não são aplicadas apenas para os motoristas, mas também para os pedestres que cometerem infração”, diz Camara.

No Brasil, a tendência é que o reconhecimento facial comece a conquistar o seu espaço. O Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) já trabalha para utilizar a tecnologia na confirmação da identidade dos consumidores no varejo.

2 – Compras online

No que diz respeito ao comércio eletrônico, os chineses contam com uma infraestrutura desenvolvida de pagamentos via celulares. A medida atinge, principalmente, a geração Y. “Só para termos uma ideia de como é natural realizar compras online por lá, o e-commerce chinês representa cerca de 17% no país. No Brasil, esse número é de 2% a 4%. Os chineses estão diversificando demais a possibilidade de transações online, muito à frente desse segmento por aqui. Fazem transações de celular para celular sem intermediários bancários, com a grande vantagem de transações comerciais sem pagamento de taxas às instituições do mercado financeiro", aponta.

Além disso, as compras realizadas pela internet costumam ser entregues no mesmo dia do pedido.

3 – Inteligência artificial

Na China, inteligência artificial é um ponto alto. Segundo líderes chineses, eles vêem a Inteligência Artificial como a chave para tornar a China um "poder econômico" e o país investirá ainda mais no desenvolvimento de habilidades e recursos de pesquisas acadêmicas para alcançar "grandes avanços" até 2025 e tornar a China um líder mundial em 2030. Alguns exemplos da IA na China, são: energia renovável, robótica e carros elétricos.

Gostou desse post? Compartilhe!