- Início

- Conteúdo

10 Motivos Para Os Candidatos Faltarem Em Entrevistas

Coluna

Compartilhe Este Post

Vivemos em tempos de desemprego e por consequência, com muitas pessoas precisando trabalhar. Observamos todos os dias nas redes sociais desabafos, pedidos de ajuda e mobilizações de contribuição, seja compartilhando vagas ou auxiliando na análise de currículos. Porém, existe outra realidade que muitos não enxergam ou podem não acreditar: a quantidade de candidatos que faltam nos processos seletivos é muito grande.

Neste cenário, há de existir o questionamento: Mas, por que as pessoas faltam quando são chamadas para entrevistas diante desta situação? Abaixo, você conhecerá algumas razões relacionadas com base nos meus 17 anos de experiência em Recrutamento e Seleção bem como conversas com profissionais de Orientação de Carreira.

Falta de informações mínimas

Infelizmente quase todas as pessoas já tiveram o desprazer de participar de entrevistas para as quais jamais deveriam ter ido. Isso porque no momento da convocação, o RH deixou de passar algumas informações, como por exemplo: cargo, faixa salarial, pacote de benefícios, horário de trabalho, descrição das atividades, entre outros.

São muitos os recrutadores que falam que “tal informação somente será passada pessoalmente”. Alguns, na dúvida acabam comparecendo. Porém, aqueles que já passaram por situações de decepção já desconfiam, não comparecem e nem avisam por acreditarem ser “cilada”.

Abordagem fria do RH no momento da convocação

Muitos candidatos sabem que a primeira impressão geralmente é a que fica. Caso sejam chamados para uma vaga e são tratados ao telefone com frieza, terão a sensação de que a empresa não irá respeitá-los. Como o desemprego já fragiliza, muitas vezes por defesa e para se preservar, o candidato acaba por optar pela falta.

Oferta grande de vagas para determinados perfis

Algumas áreas tem uma boa oferta de vagas e menor concorrência. Nesses casos, o candidato avalia quais são os processos que valem à pena. Se tiver duas entrevistas no mesmo dia, por exemplo, ele acaba escolhendo por aquela que mais interessar.

O mesmo acontece com profissionais mais qualificados, que possuem conhecimentos e experiências diferenciados. São as famosas “moscas brancas”. Eles escolhem as empresas para as quais desejam trabalhar.

Não ter dinheiro para ir à entrevista

Podem achar que é absurdo, mas infelizmente não é. Algumas pessoas deixam realmente de participar por não terem dinheiro nem para a condução.

O recrutador passou o endereço da empresa para algum parente do candidato, que não soube anotar direito ou não passou o recado

Muitas vezes, na pressa, o recrutador acaba deixando recado com quem atender o telefone. Algumas pessoas que atendem não compreendem a informação, sendo que algumas não são alfabetizadas e ficam envergonhadas de expor essa situação.

Já está trabalhando, não sabe como pedir para se ausentar no horário de expediente

Existem aquelas pessoas que se candidatam para as vagas como um teste de empregabilidade. Muitas vezes não estão tão motivadas a sair da própria empresa ou então não sabem o que dizer ao seu gestor para sair durante o expediente. Ficam na dúvida, deixam para o último minuto, faltam e muitas acabam nem avisando.

Aceita a entrevista e só depois avalia e percebe que não vale à pena

Mesmo com o RH passando as informações, após desligar o telefone, o candidato reflete e percebe que é melhor não participar do processo, pois existem fatores como a distância, o trânsito, horário, salário, benefícios e questões familiares, por exemplo. Alguns ficam embaraçados de rejeitar o convite logo de cara.

Falta da percepção do quanto a sua ausência prejudica o recrutador

O RH geralmente é visto como um departamento poderoso, pois escolhe quem entra e quem não entra na empresa. Sendo assim, uma fortaleza que jamais se abalaria por uma simples falta. Os candidatos desconhecem o fluxo de trabalho do departamento e criam essa ilusão. Por se acharem "pouca coisa" diante desta grandiosidade, acabam acreditando que não farão falta.

Insegurança e baixa autoestima

O desemprego torna qualquer pessoa muito frágil. Nesta situação, questionamos se somos mesmo bons. Precisamos pedir ajuda e depender dos outros. Especialmente quem sempre esteve em bons cargos sente na pele o que é perder o “poder”, mesmo porque muitas pessoas acabam se afastando. É difícil para um profissional experiente ser entrevistado tantas vezes por RHs despreparados. É difícil para qualquer profissional responder perguntas, como: “você tem filhos?”, “com quem seus filhos ficam? e nas férias escolares?”, “você pretende ter filhos?”, etc.

Diante disso, algumas pessoas já acham que não vai dar certo e que aquela vaga é muita coisa para elas. Por fim, não comparecem.

Porque se auto-sabotam

De maneira inconsciente, algumas pessoas fazem tudo para dar errado. Arrumam desculpas diversas. Ou tem muito trânsito, ou está chovendo, o horário é ruim, não tem roupa apropriada... Muitas vezes são aquelas que falam que estão desesperadas precisando de um emprego, mas não mandam currículos, não fazem networking, deixam tudo para depois e inclusive não vão às entrevistas por diversos motivos. Sempre há uma razão na cabeça de quem se sabota.

Por Isabela Cavalheiro, diretora e fundadora do Grupo Trhoca. A psicóloga é uma das colunistas do RH Pra Você.

Gostou desse post? Compartilhe!