CANAL

Gustavo Caetano

CEO da Sambatech, uma das empresas mais inovadoras do mundo, considerada pela FastCompany.

Se pararmos para fazer uma breve análise do mercado corporativo de uns anos para cá, não há dúvidas que houve uma evolução imensa em diversos aspectos. Isso fez muitas instituições se adaptarem e reinventarem para atender as novas necessidades do setor, que está cada vez mais imediatista e exigente. Reflexo disso foi o crescimento pelas soluções tecnológicas, ativos esses que têm sido importantes aliados para tornar os processos mais rápidos e adaptáveis, auxiliando na tomada de decisão, execução e entrega de produtos/serviços melhores.

A fim de alcançar a agilidade organizacional desejada, as corporações também têm adotado o conceito de Business Agility, que nada mais é do que a capacidade de se adequar às transformações de forma produtiva e econômica, preservando a qualidade da entrega e o atendimento dos clientes. É por meio desse método que as corporações conseguem eliminar as burocracias existentes. Um estudo feito pela Business Agility Institute, entidade global especializada nessa metodologia, mostra que 79% das organizações apresentam pouca habilidade com essa estratégia.

Em contrapartida, aquelas que conseguiram aplicá-la da forma correta tiveram resultados relevantes como aumento de receita e market share, reconhecimento da marca, melhoria nas relações com os seus clientes, na velocidade de entrega, maior transparência e envolvimento dos colaboradores.

Mas, para que elas sejam cada vez mais eficientes, as empresas devem adotar soluções tecnológicas que consigam automatizar métodos arcaicos para alcançar um bom nível de produtividade, desenvolver produtos e serviços, e ter equipes engajadas e seguras. Além disso, é importante identificar as áreas que precisam ser ágeis, desburocratizar processos e melhorar o acesso às informações para todos os setores.

Outro ponto fundamental também é permitir que os funcionários tenham autonomia para colocar suas ideias em prática, uma vez que eles serão a peça chave nesse novo momento. Eles necessitam se adaptar e estar preparados a essas mudanças, já que a adaptabilidade é uma das características determinantes para fazer parte de uma organização ágil. Nesse ponto, a área de RH dará todo o suporte necessário a eles.

Por fim, concluo que o conceito de Business Agility é uma tendência global e possui inúmeras vantagens para os negócios. Ao adotar essa estratégia, as marcas se tornam ainda mais ágeis, produtivas e alinhadas com o novo momento que estamos vivendo dentro das instituições. Por isso eu sempre digo, mudar não é uma escolha, é questão de sobrevivência. Ou muda ou seu negócio fecha!

Gustavo Caetano é CEO da Samba Tech, embaixador da Reserva e autor do best seller Pense Simples. É um dos colunistas do Rh Pra Você. O conteúdo dessa coluna representa a opinião do colunista. Foto: Divulgação. 


De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil pra você?
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5


0 Comentários

COLUNISTAS

Alberto Ogata

Como lidar com os impactos psicológicos da quarentena – o papel do RH

09/04/2020

Vicente Graceffi

Cuidar de pessoas

21/04/2021

Flora Alves

Volta às aulas? Ou novas aulas?

09/07/2020

Ricardo Amorim

Inovação, commodities e os ciclos das bolsas globais

18/11/2020

Gustavo Caetano

Como ficam cultura, pertencimento e gestão em meio ao hibridismo?

02/08/2021

Gustavo Caetano

A transformação do líder durante a pandemia

07/07/2021
Athomus Tecnologia da Informação