CANAL

Tiago Petreca

Construir-se pede uma base sólida. Para ajudar nesta jornada trago provocações sobre a #vidaintegrada

Vida Integrada

O que vejo nem sempre é o que você vê. Mesmo quando vemos algo parecido, ainda assim podemos interpretá-lo de formas diferentes. Uma diversidade de significados e entendimentos sobre um mesmo tema ou circunstância. Uma beleza, na verdade, pois nesta variedade de interpretações existe um terreno fértil para o pensamento crítico. Negar a diversidade é fertilizar um terreno polarizador, em que discussões infrutíferas acontecem devido ao interesse de “vencer” o debate, quando deveria acontecer a construção de um novo pensamento através da troca de percepções.

Alguns temas fortemente presentes em meu campo de percepção é o da saúde mental, da humanização das empresas e do mindset. Caso estes temas também sejam corriqueiros para você, ainda assim teremos diferentes traduções de seus significados e formas de como lidar com eles.

Um tema que abarca aqueles citados acima é o da Vida Integrada ou da Vida Integral.

Entender e aplicar isso na vida cotidiana exige uma revisão de mindsets, que se feito adequadamente podem promover um processo de humanização afetando positivamente a saúde mental. Vida integrada é aprender a cuidar do básico, do essencial. É estonteante o quanto os interesses são direcionados para temas que prometem uma resolução rápida de problemas. Certo que precisamos resolver rápido, afinal estamos cada vez mais frente a frente com dificuldades que antes não tínhamos, e nosso cinto de utilidades está defasado.

Buscamos soluções sofisticadas, tecnológicas, virtuais e digitais, quando deveríamos nos dar a oportunidade de parar um pouquinho e entender que estamos tratando dos fundamentos de uma transformação na maneira como vivemos. A tecnologia afeta nossos hábitos, nossas rotinas, entra como um gato sorrateiro por entre a fresta de uma porta entre aberta.

O Virtual empresta a oportunidade de nos conectarmos mesmo em grandes distâncias enquanto, ao mesmo tempo, nas redes nos desconectamos de quem está pertinho da gente, como diz Laurie Santos, professora do curso mais procurado em Yale, The Science of Well-Being.

Vida integrada é basal

Tem a ver com hábitos. Rotinas que lhe permitem viver e sentir uma vida mais inteira. Perceba que a vida é resultado da soma dos hábitos que carregamos, diariamente. Eles nos ajudam a dirigir a vida de forma inconsciente, navegar de forma a não nos estressarmos tanto diante da infinitude de decisões! Mesmo assim, estamos mais estressados, mais esgotados, mais angustiados. Potencialmente por resultado da utilização de hábitos que não nos dão a potência de, diante do que temos hoje, experimentar uma vida boa.

Quantas vezes você parou para analisar que hábitos você carrega e o quanto eles estão adequados para lhe ajudar a viver uma vida com mais significado? Um outro tema que deve ter feito um “pop up” na sua cabeça é o do propósito, não é?

Sim, uma vida com propósito é importante, mas lembre-se que para construir seu propósito existe uma sequência grande de dias que se desdobram em semanas, meses, anos até o fim da vida terrena. Perseguir seu propósito, sua ambição, sua visão, seus objetivos é o destino proposto, mas não o caminho. Este é feito de suas pequenas ações, de seus pequenos hábitos. É enquanto se constrói algo que se vive e não depois de ter construído. É no caminho que vivemos e não na chegada da longa jornada.

Sua caminhada acontece com algumas dimensões básicas

Corpo, mente (que faz parte do corpo, claro!), emoções e sentimentos (dentro do corpo) e espírito. Quais os hábitos que tratam destas 4 dimensões em sua vida? Aqueles relacionados ao corpo tratam de sua postura, alimentação, sono, movimento e consciência corporal. Os que lidam com suas emoções dizem respeito à atenção ao que se experimenta, emocionalmente, a cada momento. Hábitos como gratidão e o exercício da compaixão treinam suas emoções para viver integralmente.

Contudo, nossas emoções e sentimentos como tristeza, ansiedade, angústia também devem ser acolhidos ao invés de negados e empurrados para o porão de nossa existência.

Os hábitos que dizem respeito à sua mente, principalmente tratam da consciência da linguagem utilizada e dos pensamentos recorrentes. Qual o seu diálogo interno? Aquele rádio AM que fica tocando sem parar na sua cabeça.

Os que tratam de sua espiritualidade falam da transcendência de suas ações. Isso é o impacto que você causa nos outros, esteja consciente disso ou não.

Importante notar que embora tratados rapidamente e de forma separada, cada uma destas dimensões afeta a outra como em um grande emaranhado complexo. Ao mexer em um, você mexe nos outros. Somos um sistema único e por isso precisamos organizar e alcançar a coerência entre estas 4 dimensões.

Por isso, dê espaço! Isso é essencial como parte dos hábitos de alguém que vive uma vida integrada. É necessário que tenhamos respiro, literalmente. Os momentos de parada são integradores, não à toa no sono se concretiza o aprendizado e memória.

Numa vida de trabalho remoto nossos espaços de respiro diminuíram demais. O tempo todo somos demandados, pela empresa e pela família, tudo junto e misturado. Aquele cochilo no ônibus ou metrô, ou aquele momento de música no carro, já ajudavam um pouco com a integração. A conexão social, olho no olho também ajuda em uma experiência integradora e isso ficou, para muitos, escasso, restrito às telas.

Talvez não seja possível, neste momento, vislumbrar grandes saídas

Contudo, sempre será possível olhar para os pequenos detalhes do seu dia a dia e nele encontrar momentos fundamentais para tratar de seu corpo, sua mente, suas emoções e seu espírito.

Corremos um risco enorme de deixarmos este tema elementar de lado e seguirmos com a rotina adotada, para então somente lá na frente nos tocarmos de que tudo estava em nossas mãos e deixamos passar entre os dedos como areia fina, que escorre como o tempo, sem parar e assim nos tornarmos mais um integrante da triste constatação de Bronie Ware, cuidadora australiana que apontou os 5 arrependimentos mais comuns na hora da morte, momento esse que não nos resta muito mais para viver, delegando à uma próxima vida ou a um lugar infernal para nos torturar pela incapacidade de termos dado atenção ao que de mais básico faria de nossas vidas, uma jornada que vale a pena: viver uma vida integrada!

Sucesso! Vida Longa! Pause || Respire!

Tiago Petreca, diretor fundador e curador chefe da Kuratore – consultoria de educação corporativa, Country Manager da getAbstract Brasil e autor do Livro “Do Mindset ao Mindflow”. É um dos colunistas do RH Pra Você. Foto: Divulgação. O conteúdo dessa coluna representa a opinião do colunista. 


De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil pra você?
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5


0 Comentários

COLUNISTAS

Marcelo Simonato

Nos momentos de crise é que os verdadeiros Líderes assumem o controle

18/03/2020

Jorgete Lemos

ESG – Impulsor da diversidade & Inclusão nas organizações

19/02/2021

Fátima Motta

Autoconhecimento, Autoconsciência e Auto liderança

21/02/2020

Alberto Ogata

Como lidar com os impactos psicológicos da quarentena – o papel do RH

09/04/2020

Jorgete Lemos

Diversidade & Inclusão & Equidade. O Importante e o Urgente

07/02/2020

Reinaldo Passadori

O que nos reserva o futuro do trabalho

12/11/2020
Athomus Tecnologia da Informação