CANAL

Jorgete Lemos

CEO da Jorgete Lemos Pesquisas e Serviços. Dir. de Diversidade ABRH Brasil; Membro do CORES/FIESP e Membro da Comissão Permanente da Mulher Advogada OAB-SP.

“Primeiro é preciso fazer o bolo crescer para depois dividi-lo”. Assim falou Antônio Delfim Netto, quando foi ministro da Fazenda do Brasil, 1967-1974.

Agora, vejamos esta outra frase: “O mundo não pode crescer se você não distribuir a renda entre as pessoas para aumentar o consumo”. Roberto Teixeira da Costa, economista, primeiro presidente da Comissão de Valores Mobiliários em sua fala à TV CIEE, em 08.02.2021.

As frases parecem antagônicas, mas tem mais de cinco décadas de distanciamento entre uma e outra, e o contexto em que foram faladas precisa ser considerado.

Mas, uma realidade permanece: “quem tem fome tem pressa”. Já dizia o sociólogo Hebert de Souza, o Betinho, no lançamento do movimento Ação da Cidadania contra a Fome e a Miséria, 20.09.1993.

Quando a área financeira se levanta reconhecendo que as desigualdades sociais são impedimentos para a sustentabilidade dos negócios, a Diversidade e Inclusão ou a Inclusão da Diversidade, passam a ser reconhecidas como importantes, estratégicas. Passam a compor o dashboard das empresas.

Importa se o reconhecimento vem pelo aspecto financeiro e não pelo óbvio, que é a humanização nas relações interpessoais, respeito, mudança de modelo mental e entendimento que temos pessoas que podem e outras que não podem ter acesso a uma vida digna?

Importa, sim. Não considero que os fins justificam os meios e neste momento, percebo muita contradição nos discursos corporativos e de RH. De um lado a bandeira da humanização do trabalho empunhada por aqueles que acreditam no capitalismo de stakeholders; de outro, reconhecimento só pela justificativa financeira, se não, não será estratégico. Esse cenário mostra o quanto nós, profissionais de RH temos de oportunidade de trabalho.

Mas, pensadores como o Ricardo Voltolini, Ideia Sustentável, que menciona a frase de Octávio Paz: “Os líderes seriam mais sábios se lessem poesia”, nos mostram que a utopia não é o irrealizável… (Paulo Freire) e nos impulsionam.

E o que é ESG? 

Não é mais uma onda passageira. É uma filosofia de vida aplicada aos negócios, que respeita e busca o equilibro do desempenho Ambiental, Social e de Governança. Filosofia de vida aplicada aos negócios, pois deve estar internalizada e praticada no dia a dia. Alguém consegue vivenciar filosofias antagônicas; uma para a vida pessoal e outra para o negócio?

ESG: Vejamos o que trata cada uma de suas dimensões

  • Ambiental

É como as empresas se relacionam com o ambiente natural em que atua. Requer políticas e capacidade de mitigar o risco ambiental.

Compreende o impacto ambiental da empresa, sua eficiência energética, uso de recursos naturais, gestão de resíduos, descarte de lixo, emissão de gases de efeito estufa que contribuem para a crise climática, ações em prol da biodiversidade, gestão de recursos hídricos. A relação com cada um desses subsistemas do sistema ambiental, requer o reconhecimento que somos hospedes e estamos de passagem e ao sair, precisamos deixar a casa melhor do que quando chegamos.

  • Social

Como disse Peter Drucker: “Social é a superfície da existência humana”.

Esta dimensão diz respeito ao desempenho das empresas no gerenciamento de suas interações com todos os seus stakeholders, nos espaços onde atua.

Tudo o que diz respeito aos colaboradores, fornecedores, clientes, comunidade e sociedade, segurança, diversidade no trabalho, relacionamento com as comunidades que vivem nas áreas em que a empresa tem operações, tratamento e apoio a fornecedores, entre outros públicos de interesse. Foca as visões e práticas sobre Diversidade, Direitos Humanos e Defesa do Consumidor.

Diversidade melhora os indicadores e a performance financeira das empresas… , vem sendo exaustivamente falado e demonstrado pelas maiores e melhores consultorias. Diversidade é um dos pilares da dimensão social e da sustentabilidade de negócios.

  • Governança

Compreende as políticas e práticas que regulam o modo como a empresa é dirigida. Diz respeito às questões diversas do conselho de administração e direção executiva, tais como Diversidade, remuneração, Ética e Combate à Corrupção, sustentada por forte metodologia de Compliance, garantindo os direitos dos acionistas e stakeholders.

Os investidores não querem mais correr riscos ambientais, sociais e de governança, com as empresas de sua carteira. Muito em breve as empresas que não aderirem ao ESG ficarão fora das oportunidades de acesso a investimentos.

“Em 4 meses Santander chega em R$1 bi de empréstimos ESG. Linha de crédito exige cumprimento de metas de indicadores sociais, ambientais ou de governança”. Fonte: Economia Estadão.

ESG. Impulsor da Diversidade & Inclusão - IMG I

Itaú, Santander e Bradesco apresentam ao governo plano para conservação da Amazônia. Fonte: Valor/Globo com

ESG – washing Cuidado!

ESG-washing é a prática de divulgar um comportamento ESG quando, na realidade, ele não existe. Lembram-se de Diversity Washing? Tokenismo? Essas práticas existem e persistem porque não são mitigadas,informadas e solucionadas.

Essa “propaganda enganosa” pode gerar danos profundos e irrecuperáveis ao ESG, por isto, precisamos checar muito bem se o discurso é praticado. Mas, temos plataformas como o InfluenceMap, que rastreia o que as empresas fazem em termos de lobby nos bastidores.

Um pouco de otimismo

Segundo análise realizada por mais de 50 especialistas sobre o que está por vir em 2021, ”The Economist”, vem em lugar de destaque: “Os humanos querem se socializar novamente… ”

Enquanto isso, no auge da pandemia COVID-19:

ESG. Impulsor da Diversidade & Inclusão - IMG II

Estamos vivendo um duelo onde somente os muito fortes sobreviverão e contarão essa história.

ESG. Impulsor da Diversidade & Inclusão. …e a Diversidade Racial?

Apesar das adesões de empresas metanoicas à inclusão da diversidade racial, por outro lado, individualmente, verificamos que profissionais que deveriam ser os vanguardistas dessa causa, ainda demonstram muita dificuldade em aceitar a realidade de conviver com uma maioria negra. Depende do tom da pele desse negro, da classe social, do padrão de beleza…

Para essa dificuldade precisaríamos acrescentar mais uma letra ao ESG. A letra seria o A de altruísmo, tipo de comportamento encontrado em seres humanos e outros seres vivos, em que as ações voluntárias de um indivíduo beneficiam outros. É solidariedade. Segundo o criador deste termo, Augusto Comte – 1831, altruísmo caracteriza o conjunto das disposições humanas que inclinam os seres humanos a dedicarem-se aos outros. Este conceito opõe-se ao egoísmo.

E guardem esta informação de um fato acontecido agora, fevereiro de 2021:

Tenente Coronel da PM de São Paulo Evanilson de Souza falava a 2 mil pessoas sobre programa de combate ao racismo da Polícia Militar de SP.

Hackers invadiram a plataforma e o ofenderam…

 Mas, a luta continua. Juntos!

Por Jorgete Lemos, sócia fundadora da Jorgete Lemos Pesquisas e Serviços – Consultoria. É uma das Colunistas do RH Pra Você. O conteúdo desta coluna representa a opinião do colunista. Foto: Divulgação.


De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil pra você?
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5


0 Comentários

COLUNISTAS

Ricardo Amorim

O que eu aprendi não investindo em Bitcoin em 2010

12/05/2021

Gustavo Mançanares Leme

É junto dos bão que ocê fica mió

20/04/2021

Aline Sueth

Transformação organizacional rumo ao novo normal

01/07/2020

Milton Camargo

Os primeiros 40 dias de COVID-19

24/04/2020

Tiago Petreca

Iris e a Armadura

03/12/2020

Fátima Motta

Você é amigo(a) de seus problemas?

07/01/2020
Athomus Tecnologia da Informação