Como o RH deve atuar para garantir a sintonia entre a cultura organizacional e o posicionamento da marca. Estratégia e treinamento são cruciais para ter alinhamento e gerar bons resultados

Posicionamento é um trabalho estratégico, um esforço de imprimir e executar ações para um entendimento que tenha aderência à missão, visão, valores e propósito da empresa. Mas como diria Peter Drucker, a cultura devora a estratégia no café da manhã.

É muito comum empresas de todos os portes investirem recursos em projetos para conquistar posicionamento, realizando eventos, parcerias, publicidade, propaganda e perceberem que a cultura vigente entre os funcionários compromete seriamente a estratégia da gestão da marca.

Neste sentido, o papel dos profissionais de Recursos Humanos é fundamental para garantir que os times estejam alinhados com o que a marca promete no mercado, para fazer as entregas de forma, no mínimo, satisfatória.

Porque investir em um profissional estrategista

De acordo com uma pesquisa recente da Freshworks Inc, 56% dos consumidores relatam que o atendimento ao cliente de uma marca muitas vezes não corresponde à imagem que elas retratam.

Ou seja, o que a sua marca passa para o cliente muitas vezes não é o valor e cultura que a empresa carrega.

Uma maneira de manter o alinhamento da cultura organizacional entre os colaboradores e consequentemente para os clientes é trabalhar com um profissional de Recursos Humanos que também é um estrategista.

O RH Estratégico deve conhecer profundamente as variáveis, peculiaridades e a produtividade corporativa de forma profunda. É preciso então compreender a cultura, os valores, as responsabilidades de cada departamento internamente. Assim, este profissional pode direcionar a empresa rumo à sua identidade.

É importante que a estratégia do seu negócio, da porta para dentro, esteja alinhada com a estratégia da marca. Ou seja, o resultado não está apenas ligado à conquista de novos clientes, mas sim na construção de uma relação entre os clientes e a marca, a cultura da empresa. Ou seja, a percepção que foi gerada em todos os pontos de contato.

A pesquisa indica ainda que, desde o início da pandemia, três em cada quatro brasileiros (76%) pararam de fazer compras em algumas empresas por problemas de comunicação com o cliente.

O papel do profissional de Recursos Humanos, portanto, é assegurar que os valores culturais e da organização estejam bem claros entre todos os colaboradores. Desta forma, a identidade da empresa se alia à marca e, consequentemente, aos serviços que ela oferece.

Ter um posicionamento claro e fluido requer abrir mão de muitas coisas. E você precisa estar preparado para isso. Quem quer ser tudo, no final não será percebido por nada. O profissional deve ter o entendimento claro do negócio hoje, e como pretende ser percebido no futuro, considerando as atividades/serviços/produtos e o perfil de público-alvo que quer atingir, sem esquecer os pontos que destacam seus diferenciais na percepção do consumidor.

É imprescindível, portanto, que este profissional foque não só nas tarefas coletivas, mas também no individual, como metas dos colaboradores e o desempenho de cada um, para identificar possíveis lacunas e assim apontar melhorias para cada área.

Uma alternativa para manter a sintonia cultural seria a criação de treinamentos e desenvolvimento de pessoas – para que todos os colaboradores estejam sempre atualizados, capacitados e a par dos valores que a empresa carrega.

O papel do clima organizacional na cultura e posicionamento

A empresa que tem um objetivo consolidado e quer passar estes valores e cultura para seus colaboradores precisa pensar em oferecer um clima organizacional saudável para todos.

Isso consiste basicamente não só em um ambiente físico à disposição, mesmo porque em época de pandemia, isso basicamente foi neutralizado em inúmeras empresas. Mas sim em como a comunicação interna é realizada.

É importante ser transparente e oferecer feedbacks constantes. Assim, os colaboradores, gerentes e diretores permanecem atualizados sobre tudo o que acontece na empresa. Em especial, sobre o capital humano – parte crucial para o bom desempenho de uma empresa.

Novamente, é papel do RH Estratégico garantir que todos, de gestores a colaboradores, mantenham o foco e carreguem não só os seus valores no dia a dia de trabalho. Mas também os valores e a cultura da empresa as quais são profissionais.

Recursos Humanos aliados à marca

Ainda de acordo com a pesquisa realizada pela Freshworks Inc, a maioria (77%) dos consumidores está disposta a trocar dados para uma experiência mais personalizada, rápida e baseada em valores.

E nada funciona se o RH de sua empresa não estiver devidamente aliado à marca. A proposta e a cultura organizacional da empresa. Construir uma marca não é uma tarefa fácil, tampouco rápida.

Exige planejamento, erros, acertos, dedicação para finalmente alcançar a eficácia.

É preciso ser consistente. Não gere uma dissonância cognitiva, ou seja, não pense que o que você vê e sente é o mesmo que o seu público vê e sente. Será preciso estruturar um Planejamento de Comunicação para ativar a sua marca.

O empreendedor deve estudar onde e como vai começar a divulgar a marca, o público e o alcance, e qual a relação custo e benefício nesse processo.

A melhor maneira de atingir ótimos resultados e conseguir alinhar os colaboradores com a identidade e os valores da empresa é a aliança entre o RH e a marca. Assim, a estratégia para capacitar o capital humano pode ser consolidada por meio de desenvolvimento pessoal e treinamentos eficazes, direcionados para este fim.

Portanto, torna-se importante que empreendedores e gestores considerem a contratação de profissionais para obterem orientação durante este processo. E, finalmente, consolidarem a sua marca, sua cultura e seus valores em grandes pilares de sustentação para suas empresas.

RH: cultura organizacional e posicionamento da marca
Por Helio Moreira, CEO da NEWGROWING que eleva conversas e cria experiências de marca enriquecedoras para pequenos e médios negócios que desejam alcançar o sucesso.