Gestão de times híbridos: quais os desafios desse modelo de trabalho?

Com o advento da pandemia, muito foi falado sobre como seria o trabalho remoto, home office e o teletrabalho, além da adaptabilidade das equipes nesses novos sistemas de trabalho. Alguns países estão retomando cenários anteriores à pandemia e uma nova forma de trabalho, que acredito que veio para ficar: os times híbridos.

Hoje, cerca de 30% do time de desenvolvimento e produto da Pontomais é formado por profissionais que residem em 6 estados distintos do país e começamos esse modelo de trabalho durante a pandemia. Em breve, com o fim da pandemia, algumas pessoas do time irão voltar para o escritório e outras irão permanecer no modelo remoto. E o desafio que permanece é: como manter a integração entre o time e fazer uma gestão integral dentro do modelo híbrido?

Quais são as vantagens?

  • Aumento da qualidade de vida com menos deslocamentos;
  • Foco no resultado das entregas;
  • O mundo é o meu ‘escritório’!

E as desvantagens?

  • Falta daquelas saborosa e importante ‘conversas de cafézinho’ nas quais muitas informações do a dia eram alinhadas diminuindo necessidades de algumas reuniões;
  • Aumento das horas trabalhadas (se não cuidar isso pode virar um hábito);
  • Possível falhas na comunicação (explicado melhor a seguir):

Quando todo o time está presencial ou remoto, o fluxo da comunicação flui melhor, porém, quando parte do time está presencial e outra parte está remota surgem grandes desafios de manter a comunicação entre os times.

Quem já vivenciou um cenário parecido, provavelmente está se lembrando de quantas informações foram trocadas com as pessoas que estavam presencialmente que não chegaram a todos os colegas que estavam em trabalho remoto.

Então, a minha sugestão para esses casos é que tendo uma pessoa remota optar para que todos os membros conectem como se estivem remotos em seus locais de trabalho para evitar as conversas paralelas.

Ferramentas digitais e comunicação podem ser usadas ao seu favor

Por mais que as ferramentas de comunicação evoluíram muito, a troca de detalhes, interação que ainda ocorre no meio presencial é bem maior. Porém, pelo que vivi nos últimos anos atuando na gestão de times híbridos, o que mais importa é alinhar os objetivos e validá-los com o time de forma recorrente.

Outra prática que tem ajudado também a melhorar a comunicação é fazer encontros diários de 10 a 15 mim com as equipes (trazendo a técnica diária das metodologias ágeis) e quando há um assunto muito específico mantemos apenas os principais envolvidos.

Porém, quanto maior o seu time, provavelmente mais equipes/squads existirão, o que pode resultar em outra dificuldade que é como deixar toda a área ciente do que está acontecendo. Imagina ainda se uma equipe for totalmente remota e outra presencial, a possibilidade dessas pessoas trocarem experiências no dia a dia é bem reduzida.

Há pouco tempo enfrentamos esse cenário aqui nas squads de desenvolvimento, onde quem estava num determinado projeto sabia muito bem o que estava sendo feito, porém, não tinha uma noção do que a equipe ao ‘lado’ estava fazendo.

Para minimizar esse cenário, criamos uma reunião semanal, onde cada semana um representante (de preferência alguém que não tenha cargo de liderança) apresenta os principais acontecimentos/desafios do seu time, desta forma mantendo todas as equipes atualizadas ‘do que está rolando’.

Gestão de times híbridos e seus desafios

 

Por Bruno Favari, Gerente de Desenvolvimento na Pontomais.