A digitalização dos processos criou desafios de gestão para o RH, mas também trouxe soluções

A digitalização dos processos possibilitou o aprimoramento de serviços e de profissionais com funções mais estratégicas dentro das empresas, inclusive os da área de Recursos Humanos.

A gestão de equipes, somada aos afazeres do departamento pessoal, sempre exigiu do RH extrema organização e agilidade, e, com a chegada – e permanência – de novos modelos de trabalho, como o híbrido, o home office, ou mesmo o anywhere office, é fundamental a rápida adaptação às tecnologias para a continuidade das rotinas.

Além disso, esse novo cenário trouxe outros desafios às empresas nacionais. O anywhere office, por exemplo, que pode ser traduzido para o português como “escritório em qualquer lugar”, contribuiu para a competição por talentos acontecer em nível global. Assim, empresas de fora do Brasil podem contratar brasileiros oferecendo salários em moedas mais valiosas para atrair os melhores profissionais. Assim, se a companhia não tiver um RH moderno que consiga fazer gestão estratégica, provavelmente sentirá dificuldade para atrair ou reter talentos.

É verdade que houve muito aprendizado durante os dois últimos anos, e com o uso de novas ferramentas, a área de RH tem obtido sucesso em tornar seus profissionais cada vez mais estratégicos e focados nos colaboradores.

Com os novos modelos de trabalho, a gestão ganha mais complexidade e as possibilidades de ferramentas tecnológicas se ampliam muito. O RH vai continuar no processo de modernização que já começou. Desde o controle de presença e a gestão de ponto, até os benefícios financeiros, que agora irão se transformar. É um momento promissor.

A tecnologia tem como característica evoluir continuamente. E, quem consegue acompanhar e implantar as ferramentas mais eficientes que surgem, sempre está um passo à frente. Por isso, é importante investir em digitalização e acompanhar de perto as tendências do mercado, possibilitando a competição com empresas nacionais ou estrangeiras na difícil missão de atrair e reter talentos.



E quais são as tendências tecnológicas da área para 2022?

Há algumas, indicadas por especialistas, entre elas:

1) Gerenciamento de capital humano – conhecido pela sigla HCM (Human Capital Management), é um conceito que consiste em colocar o colaborador e sua experiência em primeiro lugar, olhando com atenção para as pessoas enquanto principal ativo das empresas. Assim, é possível também buscar novas formas de melhorar a performance de colaboradores e times. A partir disso, gestores e RH devem encontrar maneiras de desenvolver profissionais e ampliar o engajamento.

Resumindo, o conceito de capital humano refere-se ao conhecimento acumulado pela empresa, na forma de experiência e qualificação dos profissionais que dela fazem parte. Portanto, é a soma de conhecimentos, qualidades e habilidades dos profissionais contratados.

A gestão de capital humano é essencial às empresas competitivas e suas ações e resultados devem ser passíveis de mensuração. Assim, o RH consegue viabilizar efeitos tangíveis, com qualidade e diferenciação. Então, é possível avaliar a situação de cada colaborador, identificando aqueles com dificuldades e os destaques, auxiliando-os em seu desenvolvimento.

2) Ferramentas de gestão para o trabalho remoto – plataformas que proporcionem dados e previsibilidade para a área de RH serão fundamentais para gerir o trabalho remoto de forma assertiva e contribuir para a tomada de decisões. No caso de o anywhere office ser o modelo de trabalho adotado, por exemplo, tais ferramentas contribuem para um controle mais efetivo das ações e da produtividade do colaborador.

A partir de informações em tempo real geradas por ferramentas de analytics, a área passa a atuar em outro patamar, entrando no campo estratégico e até mesmo no setor financeiro das organizações. É essencial que os dados gerados pelas ferramentas sejam de fácil interpretação. Dessa forma, o RH poderá analisá-los de maneira prática e entregar informações valiosas para diretores e outros C-levels das empresas, reforçando o protagonismo da área.

3) Treinamentos online – o trabalho a distância mostrou que os treinamentos de equipe também podem ser realizados de formas alternativas. Assim como o EAD para universidades, escolas e cursos, há uma tendência de aumento dos treinamentos online para empresas.

Nesses treinamentos, é necessário ter uma gestão moderna com plataformas que ajudem a avaliar como foram os resultados, com feedbacks de quem leciona e recebe o curso, buscando sempre o aprimoramento do evento.

4) People analytics – esse é um termo já conhecido pelos profissionais de recursos humanos que deve ganhar ainda mais espaço em 2022. Consiste no uso de sistemas especializados, que podem avaliar informações referentes aos colaboradores, para que os gestores tenham um melhor entendimento sobre o papel de cada um no negócio. Trata-se da inteligência de dados aplicada à gestão de recursos humanos.

People analytics ajuda a compreender as pessoas avaliando-as individualmente. Além de ser interessante em relação aos profissionais que já fazem parte da empresa, é uma das maneiras mais eficazes de melhorar o recrutamento e a seleção, encontrando candidatos que combinem perfeitamente com a vaga.

Baseada em dados para a tomada de decisões, é um conceito relacionado a big data, conhecido por inteligência de mercado (business intelligence). Sendo uma das tendências de RH, cada vez mais empresas devem perceber sua importância.

5) Gerenciamento de pessoas em tempo real – a velocidade das tomadas de decisões é um fator determinante para a competitividade. Dessa forma, ter informações sobre os diversos aspectos que envolvem a gestão de pessoas pode ser um enorme diferencial para o seu negócio. Entre os exemplos de possibilidades, podemos citar:

  • Aumentar a previsibilidade para o processo de tomada de decisão preventiva;
  • Acelerar a tratativa de ponto durante o mês, evitando que tudo seja feito com antecedência, agilizando o fechamento da folha.

Um bom começo é a escolha de uma ferramenta de gestão de ponto eletrônico. Algumas dessas tecnologias podem fornecer uma série de informações valiosas sobre os colaboradores em tempo real. Com isso, os gestores de RH e gerentes de cada área passam a contar com o apoio de dados atualizados.

Além disso, esses sistemas podem ser integrados a uma série de outras tecnologias de gestão, fazendo com que as marcações de horários da jornada de trabalho passem a ter muito mais valor.

6) Atividades em trabalho remoto – pessoas que trabalham em escritórios têm menos dificuldades em adaptar suas atividades para o trabalho remoto. Isso pode trazer um ganho de produtividade devido ao foco que é dado em cada uma das ações desenvolvidas, redução de custos operacionais e possibilidade do recrutamento de pessoas que moram longe do seu negócio.

Dependendo do modelo de negócio, os profissionais de RH podem atuar de forma híbrida. Dessa maneira, alguns dias podem ir até a sede, para conversar com colaboradores e fazer um trabalho de campo. Nos outros, podem resolver todas as pendências de forma virtual.

Essa é uma das tendências que podem ser aplicadas ao RH e a outros setores de sua empresa. O processo de transição pode ser algo demorado, mas vale a pena devido aos benefícios que pode proporcionar.

E já existem tecnologias que permitem uma ótima comunicação, gestão de presença, produtividade e interação entre os funcionários que atuam equilibrando o trabalho remoto e presencial.

Como se vê, o mundo cada vez mais digitalizado gerou mudanças nas relações e nos modelos de trabalho, mas também trouxe soluções para essa gestão. Cabe a cada RH inovar para não ficar de fora desse novo mundo. Até porque a modernização dos processos é um caminho sem volta.

A digitalização dos processos no RH
Por Gustavo Godoy, CFO da HR Tech Ahgora, desenvolvedora de tecnologias inovadoras para recursos humanos, com o objetivo de empoderar e tornar mais estratégicos os profissionais da área.

 

 

 

Para mais informações sobre modelos atuais de trabalho, ouça o episódio 85 “Presencial, Remoto ou Híbrido: como definir o modelo de trabalho da empresa?” do PodCast do RHPraVocê.

Uma pesquisa global realizada pela Adecco, multinacional de recursos humanos presente em 60 países, mostrou que a união entre o home office e a convivência com colegas de equipe é o que grande parte dos colaboradores espera do futuro do trabalho, ou seja, o modelo híbrido está consolidado como opção real no formato de trabalho para cerca de 71% dos respondentes do estudo.

Diversas organizações estão tomando as suas decisões sobre qual modelo de trabalho faz mais sentido para o seu negócio.

Essa é uma decisão que deve equilibrar diversos fatores, como o tipo de negócio em questão; a vontade de líderes e dos funcionários.

Quais principais critérios as empresas devem ter em mente nesse processo de retomada e qual o papel do RH diante disso?

No episódio, o CEO do Grupo TopRH, Daniel Consani, e a editora do RH Pra Você, Gabriela Ferigato, conversaram com Lucia Santos, diretora de RH da Adecco. Confira clicando AQUI ou acessando diretamente pelo app abaixo:

Não se esqueça de seguir nosso podcast e interagir em nossas redes sociais:

Facebook
Instagram
LinkedIn
YouTube

 

Para mais informações sobre a Ahgora, consulte o GUIARH:

Ahgora Sistemas