Nos últimos anos a gente passou a falar cada vez menos em “chefia” e muito mais em “liderança”, pois este conceito ultrapassa a noção de cargo ou posição hierárquica que existe no primeiro. Um líder encabeça pessoas, processos, fluxos e ideias. Aquele (ou aquela!) que assume a liderança ainda precisa cumprir objetivos e metas de acordo com as necessidades da empresa, mas também inspira e guia seus subordinados e colegas. Nesse sentido, desempenhar esse papel requer não apenas habilidades técnicas.

Você já deve ter visto a seguinte situação: o colaborador é talentoso, proativo e competente, mas ao assumir um posto de chefia, ele deixa a desejar (quando não é um completo desastre). Esse também pode ser o seu caso. Isso acontece porque ser líder demanda uma série de características, as chamadas soft skills, que vão além das capacidades técnicas.

Nesse sentido, é importante nos questionarmos: quais são as características de um bom líder? Essa posição implica em possuir a capacidade de se comunicar de forma clara e eficaz, demonstrar empatia para compreender e motivar os outros, ser capaz de tomar decisões assertivas, saber delegar responsabilidades de forma eficiente, cultivar a sinceridade e a transparência nas relações interpessoais e estar comprometido com o crescimento e desenvolvimento da equipe.

RH TopTalks cobertura

Com base na minha experiência como empresário e gestor, separei o que, na minha opinião, seriam 5 superpoderes do líder de sucesso:

Escuta ativa

Pense bem: só existe um líder por que existe um grupo. Ao final de toda deliberação, o grupo precisa agir em conformidade para atingir objetivos, superando ideias divergentes e anseios conflitantes. A escuta consciente dos colegas de trabalho representa respeito, flexibilidade e ainda pode agregar pontos de vista interessantes para o debate. Essa habilidade não se relaciona apenas com o que está sendo dito, mas também nas relações interpessoais de confiança, empatia e esforço coletivo.

Capacidade de delegar

A capacidade de delegar também está relacionada à confiança nos colegas de trabalho e na equipe escolhida. Além de prestigiar os integrantes do grupo, a distribuição de tarefas aumenta a produtividade. Nesse sentido, a importância de delegar tarefas pode ser entendida a partir de vários ângulos, incluindo a eficiência organizacional, o desenvolvimento da equipe e a saúde pessoal do líder. Esse mecanismo permite que os líderes se concentrem em tarefas estratégicas de alto nível, enquanto tarefas mais operacionais ou rotineiras são atribuídas a outros membros da equipe. Não só isso, mas também os membros da equipe podem ser mais qualificados e experientes em certas áreas, o que significa que as tarefas podem ser concluídas de maneira mais eficaz e com maior qualidade.

Preparo e tomada de decisões

Apesar de ser importante ter abertura ao diálogo, cabe ao líder a responsabilidade por uma decisão final. É primordial que quem está no cargo de chefia compreenda como suas escolhas podem moldar o destino dos negócios. Nesse sentido, bons líderes examinam minuciosamente as circunstâncias antes de tirar conclusões definitivas, buscando informações essenciais para embasar suas decisões.

Inteligência emocional

A inteligência emocional é a capacidade de reconhecer, compreender e gerenciar as próprias emoções e as emoções alheias. Ela envolve competências como autoconsciência, autorregulação, empatia, habilidades sociais e automotivação. Ter uma compreensão clara de suas próprias emoções permite tomadas de decisões mais conscientes e alinhadas com valores e objetivos da empresa. Fica claro que a inteligência emocional é uma habilidade crítica para líderes, pois influencia diretamente a maneira como eles se relacionam com suas equipes, lidam com desafios e promovem um ambiente de trabalho saudável e produtivo. Líderes emocionalmente inteligentes são mais eficazes na inspiração, motivação e engajamento de suas equipes, contribuindo para o sucesso organizacional a longo prazo.

Organização

A organização eficaz permite que os líderes gerenciem seu tempo de forma mais eficiente, priorizando tarefas importantes e minimizando desperdícios. Nesse sentido, uma liderança organizada é capaz de definir metas claras, planejar estratégias e coordenar as atividades da equipe de maneira a otimizar recursos e alcançar resultados. Não só isso, mas essa maneira de deliberar proporciona aos líderes uma visão clara do panorama geral, permitindo uma análise mais precisa das informações disponíveis e uma tomada de decisão fundamentada.

Considerações finais

Assim como a maioria dos talentos, o senso de liderança é suscetível a aprimoramento contínuo por meio de prática, aprendizado e experiência. Isso significa que, embora algumas pessoas possam ter uma inclinação natural para a liderança, qualquer um pode desenvolver e fortalecer suas habilidades ao longo do tempo com dedicação e esforço. Por meio da educação, treinamento, feedback e autorreflexão, os indivíduos podem expandir sua capacidade de inspirar, motivar e influenciar os outros de maneira positiva, tornando-se líderes mais eficazes em suas vidas pessoais e profissionais.

5 superpoderes do líder inspirador e competente

Por Bruno Corano, economista e investidor da Corano Capital.

 

 

Ouça o episódio 143 do RH Pra Você Cast, “Inclusão 50+, bom para o presente e para o futuro (de todos nós)“. Como você se enxerga daqui a cinco ou dez anos? O questionamento, que já deve ter sido feito a muitos de vocês durante algum processo seletivo ao longo da carreira, nem sempre traz consigo uma resposta fácil. Especialmente para um público que, diante de tantos estereótipos e preconceitos, sequer sabe como será o dia de amanhã em sua vida profissional. A cada nova geração que entra no mercado, uma anterior se vê diante do dilema de ficar para trás e ver cada vez menos portas se abrirem.

O panorama, todavia, não só precisa como deve ser mudado. Pesquisas revelam que o tão falado “choque geracional” é extremamente benéfico não só a profissionais de todas as idades, mas também às empresas. E, afinal, se não olharmos para o público 50+ com atenção, como será quando chegar a nossa vez de lutar por espaço com os mais jovens? Para falar sobre as vantagens de mesclar gerações e como desenvolver mecanismos de inclusão, o RH Pra Você Cast traz Mórris Litvak, Fundador e CEO da Maturi. Confira o papo clicando no app abaixo:

Não se esqueça de seguir nosso podcast e interagir em nossas redes sociais:

Facebook
Instagram
LinkedIn
YouTube

Capa: Depositphotos