• Este tópico está vazio.
Visualizando 1 post (de 1 do total)
  • Autor
    Posts
  • #9260
    Anônimo
    Convidado

    A importância do feedback 1:1 no trabalho remoto: o termo one-on-one pode ser traduzido como “cara a cara” – expressão que é autoexplicativa e, definitivamente, faz parte do processo de liderança. No universo corporativo, esse é o termo que designa reuniões entre líderes e liderados com foco em performance, desempenho e também evolução.

    Essa é ainda uma oportunidade de dar um feedback sincero sobre o desempenho profissional de um colaborador, o que pode ser desafiador e tomar tempo dos gestores. Porém, esse é também um dos pilares para garantir um crescimento real e alinhar interesses e expectativas. Aliás, eu diria que uma boa cultura organizacional só pode ser feita se, de fato, houver uma perspectiva comum de objetivos, e uma das maneiras de fazê-lo é por meio do diálogo.

    No trabalho remoto, é ainda mais importante não abrir mão desse tipo de iniciativa, pois é fundamental proporcionar um ambiente de trabalho seguro e uma relação de confiança entre líder e liderado. A partir desse mecanismo, as informações são trocadas de baixo para cima, facilitando a comunicação e resolução de problemas ou insatisfações de ambas as partes.

    O colaborador, muitas vezes, não se sente ouvido ou sente falta de mais direcionamento e uma conversa honesta pode resolver os problemas acima e evidenciar a preocupação da empresa com suas competências e carreira.

    Observar possíveis mudanças comportamentais e desenvolver a habilidade de motivar, orientar e avaliar são alguns dos pontos-chave para identificar e medir a desenvoltura dos colaboradores. Até porque, a ideia aqui é individualizar cada vez mais a relação entre empresa e funcionário. Ainda mais quando falamos em trabalho remoto, modalidade que já demonstrou funcionar de forma excelente, mas que exige um cuidado extra da parte dos gestores para se conectarem com seus subordinados.

    E qual é a frequência ideal para esse tipo de avaliação? A resposta é simples: depende.

    Como mencionado acima, é importante entender as necessidades de cada um e adaptar a intensidade e regularidade das conversas a partir disso. De qualquer forma, existem algumas orientações gerais, nas quais podem ser aplicadas em quase todas as situações do gênero.

    Oriente o colaborador a trazer sua pauta, assim, existem mais chances de a discussão abordar uma questão realmente importante para ele; ; esteja disposto a ouvir; reserve alguns minutos para trazer assuntos externos ao trabalho para “quebrar o gelo”; e finalize o papo com próximos passos e direcionamento definidos. E você, qual a sua opinião sobre a importância do feedback no trabalho remoto?

    CristianoSoares2

    Por Cristiano Soares, country manager da Deel no Brasil.

     

Visualizando 1 post (de 1 do total)
  • Você deve fazer login para responder a este tópico.
Athomus Tecnologia da Informação